Biologia e Medicina / Criticas A Drenagem Turbinada

Criticas A Drenagem Turbinada

Trabalho Escolar: Criticas A Drenagem Turbinada
Buscar 155.000+ Trabalhos e Grátis Artigos

Enviado por:  alexandrecardoso  09 junho 2013
Tags: 
Palavras: 3265   |   Páginas: 14
Visualizações: 55

Crítica à Drenagem Turbinada

As diferenças técnicas entre drenagem linfática, massagem estética e drenagem turbinada

Severina Francisco da Silva - Carlos Roberto Serrão Haddad

Com o surgimento da Drenagem Turbinada, que se propõe a utilizar recursos da drenagem e da estética, vimos brotar uma linha de drenagem bem diferente das demais: todos os trabalhos de drenagem linfática são suaves enquanto que a turbinada, não. Esta drenagem vem ganhando terreno rapidamente no interesse dos clientes e dos terapeutas e, apesar disto, não oferecemos este curso aqui no IBTED, instituto promotor de cursos de especialização em terapias corporais. Os motivos estão explicados abaixo.

O que é Drenagem Linfática?

Drenagem Linfática consiste em manobras de massagem que utiliza pressões graduadas e constantemente alteradas, imitando as contrações próprias da musculatura lisa dos vasos linfáticos, no intuito de estimular a circulação da linfa. A linfa é um líquido imunológico branco e viscoso que se origina nos espaços intersticiais (entre as células) e tem seus próprios canais até desembocar em certos pontos da circulação venosa. A circulação linfática se dá através de fatores intrínsecos e extrínsecos que aumentam a pressão da musculatura e acionam os linfângios (válvulas que dirigem esta circulação). Enquanto que em uma pessoa em repouso, o coração faz circular cerca de 5 litros de sangue por minuto à pressão normal de 120 mmHg, a circulação de linfa remonta apenas à 100 ml por hora (Guyton, pg 126).

O sistema linfático representa uma via acessória ao sistema circulatório pela qual pode fluir líquido dos espaços intersticiais para o sangue. E, o que é mais importante, os capilares linfáticos podem transportar proteínas e grandes partículas para longe dos espaços dos tecidos, muitas das quais não poderiam ser absorvidas para os capilares. Essa remoção de proteínas dos espaços intersticiais é uma função absolutamente essencial, sem a qual morreríamos em 24 horas (Guyton, pg. 124

).

O sistema linfático se estende por todo o organismo em forma de rede, iniciando-se pelos capilares linfáticos, que confluem para formar os coletores pré-nodais. Vários desses coletores (vasos aferentes) caminham para os linfonodos e quando os deixam (pós-nodais) são denominados de coletores eferentes. Normalmente são em menor número do que quando chegam aos linfonodos. Esses coletores eferentes caminham para formar os troncos linfáticos que formarão os ductos linfáticos. Os ductos linfáticos são os vasos da porção final da drenagem linfática que desembocam no sistema venoso, ao nível da junção subclávia-jugular onde a partir daí a linfa, já no sistema venoso, caminha para o coração.

O sistema linfático possui vasos superficiais e profundos. Os vasos superficiais são muito numerosos e possuem grande quantidade de anastomoses. Localizam-se acima da fáscia muscular e drenam os tecidos superficiais. Seu trajeto acompanha as veias e a drenagem é feita para os linfonodos superficiais. ...



Cadastre-se no TrabalhosGratuitos

Cadastre-se no TrabalhosGratuitos - buscar 155.000+ trabalhos e monografias