Tecnologia / Rede De Combate à Incêndio

Rede De Combate à Incêndio

Artigo: Rede De Combate à Incêndio
Buscar 155.000+ Trabalhos e Grátis Artigos

Enviado por:  Mariana  01 dezembro 2011
Tags: 
Palavras: 2313   |   Páginas: 10
Visualizações: 146

...

âmetro de 38 mm (1 1/2")

- pressão mínima de 1,5 bares (15 mca) para esguichos com requinte de 16 mm (5/8") ou de 3,5 bares (35 mca) para esguichos com requinte de 13 mm (1/2")

Proteção Classe B

- vazão mínima de 500 litros por minuto em cada requinte

- mangueiras com diâmetro de 63 mm (2 1/2")

- pressão mínima de 1,5 bares (15 mca) para esguichos com requinte de 25 mm (1"), de 2,5 bares (25 mca) para esguichos com requinte de 22 mm (7/8") ou de 4,5 bares (45 mca) para esguichos com requinte de 19 mm (3/4").

Proteção Classe C

- vazão mínima de 900 litros por minuto em cada requinte

- mangueiras com diâmetro de 63 mm (2 1/2")

- pressão mínima de 2 bares (20 mca) para esguichos com requinte de 32 mm (1 1/4"), de 3 bares (30 mca) para esguichos com requinte de 28 mm (1 1/8") ou de 4,5 bares (45 mca) para esguichos com requinte de 25 mm (1")”.

A partir da planta baixa da indústria, para a qual devemos dimensionar a rede de incêndio, podemos desenhar esquematicamente como desejamos que a tubulação caminhe e a posição dos hidrantes e demais peças utilizadas.

A partir destas informações podemos calcular as perdas de carga em cada peça, porém antes iremos detalhar os hidrantes para que possamos calcular a perda de carga em cada um e descobrir qual é o mais desfavorável.

O material escolhido foi o ferro fundido usado com coeficiente C = 90.

Detalhe dos Hidrantes:

Requinte: 1” (variação gradual 10º).

2 hidrantes funcionando por linha – 4 tomadas

Material : mangueira de lona emborrachada 2 ½”; tubulação de aço carbono ASTM A53 # 40 nos diâmetros e detalhes do projeto indicados.

Condições operacionais: duas tomadas 2 ½” funcionando por hidrante.

Comprimento das mangueiras: L = 60 m.

Pressão no hidrante mais desfavorável: P = 1,5 hg/cm².

Descarga por tomada: Q = 500 l/min = 8,33 l/s

Perda de Carga na Mangueira :

Pois,

2 ½”

Q = 500 l/min

J = 7,5 m/ 100m.

(*) Ábaco da KSB, perda de carga em mangueiras de lo

na emborrachada

Perda de Carga no Requinte:

K = 0,075 para 1 / 2 = 2,5.

Q = 500 l/min = 0,00833 m³/s.

θ= 10º (ângulo entre as paredes do requinte)

e onde,

Então,

Assim,

Portanto, a perda de carga no requinte será:

Assim, a perda de carga no requinte mais a perda de carga na mangueira será de:

Agora, iremos calcular a perda de carga unitária ao longo de cada tubo de diâmetros diferentes na tubulação, a partir da fórmula de Hazen-Willians e das vazões tiradas da tabela de pré-dimensionamento (Anexo 1), com C = 90:

Para tudo de 4”:

Q = 1000 l/min = 16,67 l/s

J = 9,816 m/100m

Para tudo de 8”:

Q = 2000 l/min = 33,33 l/s

J = 1,213 m/100m

Para tudo de 10”:

Q = 2000 l/min = 33,33 l/s

J = 0,5198 m/100m

Para tudo de 2 ½”:

Q = 500 l/min = 8,33 l/s

J = 32,75 m/100m

Agora faremos o calculo da perda de carga no hidrante:

Peças | Perda ou Comprimento (m) |

Tubo de 2 ½”, 0,30m de comprimento | 0,30 (comprimento físico) |

Registro de gaveta aberto 4” | 0,70 ...



Cadastre-se no TrabalhosGratuitos

Cadastre-se no TrabalhosGratuitos - buscar 155.000+ trabalhos e monografias