Trabalho Completo APM-MANSO

APM-MANSO

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Outras

Enviado por: laynakenner 27 junho 2013

Palavras: 1117 | Páginas: 5

APM MANSO

Cuiabá/MT

26/03/2013

Sumário

1. Introdução 4

2. Objetivo 5

3. Discussão 6

Usina Hidroelétrica 6

Enchente de 1974 em Cuiabá 6

Usina de Manso 6

Localização 6

A Construção 6

Funcionamento da Usina 7

4. Conclusão 10

1. Introdução

Em 1974, a enchente do Rio Cuiabá atingiu cota de 10,87 metros, uma das maiores cheias do rio. A enchente desabrigou 12.000(doze mil) pessoas. A inundação trouxe calamidade publica aos bairros ribeiros do rio. Os estudos para construção de uma barragem que pudesse não só conter as cheias, regular as secas, mas que tivesse múltiplo aproveitamento começou então nesse mesmo ano da inundação. Em 1988 o projeto da construção de Manso começa com a ELETRONORTE. Localizada na confluência do rio da Casca com o rio Manso. As obras ficaram paralisadas por 10 anos e em fevereiro de 1998 a FURNAS assumiu a construção. Em novembro de 1999 as obras foram concluídas. O lago obteve sua cota máxima em 2001. Por se tratar de uma Usina Hidrelétrica de Aproveitamento Múltiplo, a água utilizada para geração da energia elétrica é também responsável pela regularização do nível das águas do rio Cuiabá, o que consequentemente, torna seu nível de oscilação pequeno, variando de 4m à 4,5m entre os períodos de seca e chuva. Está localizada dentro do município símbolo do centro geodésico da América do Sul - Chapada dos Guimarães, tornando esse, um lugar de atração e beleza cênica ímpar.

2. Objetivo

A visita técnica em campo pelos graduandos de Engenharia Sanitária e Ambiental da Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT, teve como objetivo proporcionar o conhecimento in loco das funções da Usina de Aproveitamento Múltiplo de Manso (APM Manso), bem como entender o seu funcionamento.

3. Discussão

Usina Hidroelétrica

Usina Hidroelétrica consiste em sumo na geração de energia elétrica através do aproveitamento do potencial hidráulico existente. Podemos afirmar que o objetivo principal de uma usina hidroelétrica é a geração de energia elétrica.

Enchente de 1974 em Cuiabá

No dia 18 de março de 1974, o Rio Cuiabá atingiu 10,87 metros depois de fortes chuvas que desabaram sobre a capital mato-grossense. Conforme a FURNAS no ano de 74 as enchentes atingiram 2400 edificações e 12 mil pessoas. No ano de 1995 a cota do rio chegou a 10,50, quando cerca de oito mil pessoas ficaram desabrigadas, segundo o jornal ‘A Gazeta’ da região. Com a construção da Usina de Manso, passou a existir certo controle sobre o volume das águas do rio Cuiabá. Segundo Rubem Mauro apud

(Rodrigues, 2010), com a Usina de Manso foi possível evitar, no ano de 2010, outra enchente, pois o volume de chuva foi o maior dos últimos 79 anos, chegando a atingir 423,6 mm, ante média histórica de 220,0 mm. O rio Cuiabá atingiu a cota de 8,0 metros na régua limnimétrica, sendo a cota de alerta de 8,5 metros. Não fosse o fechamento das comportas da Usina, a cota chegaria a 9,5 metros. Isso se deveu ao fato de a Usina estar com capacidade de 80% do seu volume, havendo, portanto, sido capaz de captar um maior volume de águas pluviais e manter o escoamento controlado através das comportas.

Usina de Manso

Localização

Segundo SILVA, 2007, o APM Manso está localizado no município da Chapada dos Guimarães a 85 km de Cuiabá (MT), na região centro sul de Mato Grosso. O reservatório se situa à jusante da bacia do rio Manso, afluente da margem esquerda do rio Cuiabá. Os principais afluentes do rio Manso são os rios Casca, Palmeiras, Quilombo e Roncador. Os rios Casca e Manso compõem, com o rio Cuiabá, uma sub-bacia do rio Paraguai e representam 2% da bacia que controla o complexo do Pantanal.

A Construção

A concepção de um primeiro projeto para Manso se deu em 1972, com a ELETROBRÁS, posteriormente transferindo para a ELETRONORTE que concluiu em 1974. As obras em Manso são iniciadas pela ELETRONORTE em 1988. Nesse ano, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso, instalou uma Audiência Pública, com isso as obras ficaram paradas até 1998. Em fevereiro de 1999, o projeto é transferido da ELETRONORTE para FURNAS. A Usina começou a operar em 1999, com os objetivos de gerar energia, controlar enchente e irrigação, facilitar a navegação fluvial, melhorar o turismo e o lazer, enfim, alavancar o desenvolvimento da região. Nomeado de Aproveitamento Múltiplo de Manso (APM-Manso). Em 2001 alcançou seu pleno funcionamento.

Funcionamento da Usina

A usina hidrelétrica, basicamente, compõe-se das seguintes partes: barragem, sistemas de captação (canal), adução de água (duto ou condutos), casa de força, turbina, linhas de distribuição e devolução ao leito natural do rio.

Figura 1 - Usina Hidrelétrica

Fonte: 1 – InfoEscola, Usina Hidrelétrica

O reservatório de Manso abrange 427 km² nos municípios de Chapada dos Guimarães e Nova Brasilândia. Com potência instalada de 212 MW, a usina foi projetada para atender ao conceito de usos múltiplos do reservatório e da água. Entre os benefícios do Aproveitamento Múltiplo de Manso, destaca-se o de regularizar os ciclos de cheias e secas do rio Cuiabá.

DADOS TÉCNICOS:

BARRAGEM:

Comprimento total: 3.680 m

Em concreto: 140 m

Em solo compactado: 3.120 m

Em enrocamento: 420 m

RESERVATÓRIO:

Bacia hidrográfica: 9.365 km²

Área inundada (NA Máx.Max): 427 km²

Volume acumulado: 7,3 x 109 m3

Volume útil: 2.951 x 106 m3

NA máximo normal: 287 m

NA mínimo normal: 278 m

TOMADA D’ÁGUA:

Tipo: gravidade

Comprimento: 45 m

Número de vãos (comportas): 04

Cota da soleira: 264,90 m

Número de condutos forçados: 04

Diâmetro interno; 5.200 m

VERTEDOURO:

Vazão: 2.990 m3/s

Número de vãos: 03

Cota da soleira vertente: 276,25 m

Comprimento total: 50 m

Tipo comporta: segmento (9,5 x 13,5)

CASA DE FORÇA:

Tipo: abrigada

Dimensão: 116,80 m x 16,80 m

Número de unidades: 04

Potência instalada: 212 MW

Ponte rolante: 2 x 650/150 kN

Gerador:

Potência nominal aparente: 55,5 MVA

Fator de potência: 0,95

Freqüência: 60 Hz

Tensão nominal: 13,8 kV +/- 5%

Potência máxima contínua: 62,5 MVA

Energia firme: 92 MW/ano

TURBINA

Tipo: Francis de eixo vertical

Queda líquida nominal: 57,5 m

Potência nominal: 52,5 MW

Rotação: 180 rpm

Engolimento: 104,6 m3/s

Transformadores: 5 (operação mais reserva)

Tipo - monofásico

Capacidade total em operação - 250 MVA

Relação de transformação - 13,8/230 kV

Fabricante – Toshiba

4. Conclusão

Por meio deste trabalho de campo os alunos graduandos puderam conhecer a APM Manso e observar a importância dessa construção não só para a produção de energia e o controle das cheias do Rio Cuiabá, mas para o controle das secas mantendo a vazão controlada proporcionando melhor navegação, irrigação, clima, abastecimento das cidades. Além disto, a área envolta de Manso tem sido abrigada por espaços de turismo, residenciais, clubes, parques, atraindo mais turista e movimentando o turismo da cidade de Chapada dos Guimarães.

5. Bibliografia

FURNAS, 2013, Disponível em: http://www.furnas.com.br/hotsites/sistemafurnas/usina_hidr_manso.asp. Acesso em: 03/04/2013.

USINA Hidrelétrica, 2008, Disponível em: http://www.infoescola.com/energia/usina-hidreletrica/. Acesso em: 03/04/2013.

LAGO de Manso, 2011, Disponível em: http://www.lagodemanso.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=120&Itemid=153. Acesso em: 03/04/2013.

BARBOSA, Genislaine Conceição dos Reis. Enchentes urbanas na percepção de risco a desastres naturais em Cuiabá/MT. Dissertação de Mestrado. Cuiabá/MT: UFMT, 2010. p61,64.

DIAGNÓSTICO Social Aproveitamento Múltiplo de Manso, 2007, Disponível em:http://www.ibase.br/pt/wp-content/uploads/2011/06/cter-diagn%C3%B3stico-manso.pdf. Acesso em: 03/04/2013.