Trabalho Completo ATPS Tecnologias De Gestão

ATPS Tecnologias De Gestão

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Outras

Enviado por: Brunamara 11 setembro 2012

Palavras: 6330 | Páginas: 26

FACULDADE ANHANGUERA DE SOROCABA

ALEXSANDRA ZEFERINO DOS SANTOS – RA 3306506320

ANA DE OLIVEIRA ROMERO FILHA – RA 3345562399

ARIANE DANUZA NOGUEIRA SOARES – RA 3319530058

BRUNA MARA FRANCISCO BARBOZA – RA 2322400142

VÂNIA CRISTINA BONETE – RA 1158387484

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS: Tecnologia de Gestão

SOROCABA

2012

FACULDADE ANHANGUERA DE SOROCABA

ALEXSANDRA ZEFERINO DOS SANTOS – RA 3306506320

ANA DE OLIVEIRA ROMERO FILHA – RA 3345562399

ARIANE DANUZA NOGUEIRA SOARES – RA 3319530058

BRUNA MARA FRANCISCO BARBOZA – RA 2322400142

VÂNIA CRISTINA BONETE – RA 1158387484

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS: Tecnologia de Gestão

Atividades Práticas Supervisionadas de Tecnologia de Gestão apresentado para a banca examinadora da Faculdade de Administração da Anhanguera Educacional, como requisito parcial aprovação na disciplina de Tecnologia de Gestão sob orientação do Prof. Tutor Presencial Silvio Soares da Rosa e Prof. EAD. Walker Soares do Nascimento.

SOROCABA

2012

ALEXSANDRA ZEFERINO DOS SANTOS – RA 3306506320

ANA DE OLIVEIRA ROMERO FILHA – RA 3345562399

ARIANE DANUZA NOGUEIRA SOARES – RA 3319530058

BRUNA MARA FRANCISCO BARBOZA – RA 2322400142

VÂNIA CRISTINA BONETE – RA 1158387484

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS: Tecnologia de Gestão

Atividades Práticas Supervisionadas de Tecnologia de Gestão apresentado para a banca examinadora da Faculdade de Administração da Anhanguera Educacional, como requisito parcial aprovação na disciplina de Tecnologia de Gestão sob orientação do Prof. Tutor Presencial Silvio Soares da Rosa e Prof. EAD. Walker Soares do Nascimento.

06 de Junho de 2012.

BANCA EXAMINADORA

_____________________________________

Prof. Silvio Soares da Rosa.

_____________________________________

Prof. Walker Soares do Nascimento.

RESUMO

O objetivo deste estudo é desenvolver habilidade, reconhecer e definir problemas, equacionar soluções, pensar estrategicamente para tomada de decisão, analisar a importância das organizações visando à mudança organizacional, quebras de paradigmas, verificar qual é o papel do gestor organizacional, definir gestão de qualidade total e demonstrar quais são as vantagens e desvantagens na terceirização. Por fim, como utilizar a Tecnologia e ferramentas de gestão.

Palavras chave: Organizacional, mudança organizacional, quebras de paradigmas, gestão da qualidade total, terceirizados e ferramentas de gestão.

SUMÁRIO

CAPÍTULO 1 – Atividades Práticas Supervisionadas de Tecnologia de Gestão.

1.1 INTRODUÇÃO 5

1.2 A empresa Wise Up 6

1.2.1 Mudança Organizacional 8

1.2.2 Quebras de Paradigmas 8

1.2.3 Gestor Organizacional 9

1.3 Gestão de qualidade total 10

1.3.1 Terceirização 11

1.3.2 Características, vantagens, aplicações da Tecnologia de Gestão 12

1.3.3 Relatório da Tecnologia apresentada à empresa 19

1.4 Tecnologia e Ferramentas de Gestão 20

1.4.1 Sistema de Informações Gerenciais- SIG, Balanced Scordecard, Seis Sigma 21

1.5 CONCLUSÃO 24

1.6 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 26

1.1 INTRODUÇÃO

A atividade apresentada sobre Tecnologia e Ferramentas de Gestão transmitirá um breve aprendizado de futuros gestores que utilizarão essas ferramentas atuais nas organizações.

Verificaremos uma empresa que passou por um processo de mudança organizacional, definindo também quebras de paradigmas e apresentando um conceito sobre o papel do gestor organizacional. Também iremos mencionar a gestão da qualidade total com intuito de focar nas necessidades dos clientes.

Iremos demonstrar a importância da terceirização, suas vantagens e desvantagens na empresa. E descrever as características, vantagens, e aplicações de cada uma das tecnologias apresentadas no livro-texto (PLT), vendendo uma ferramenta inovadora e moderna para a empresa entrevistada.

Portanto, abordaremos o papel dos sistemas de informações e seu amplo papel nas organizações, compreenderemos o Balanced Scorecard e o Seis Sigma.

1.2 A empresa Wise Up.

Escolhemos a empresa descrita abaixo, por ser uma empresa conceituada e com um enorme crescimento em seu segmento que é o Ensino da Língua Inglesa cada dia mais necessário para qualquer setor. Abaixo as informações:

Nome da Empresa: “WISE UP FRANCHISING”

Localização: Avenida Barão de Tatuí, 751.

Bairro: Jardim Vergueiro.

Cidade: Sorocaba /SP.

Segmento em que atua:

Prestadora de Serviços no ensino da Língua Inglesa.

Produtos:

Venda do Curso da Língua Inglesa acompanhando o material didático.

Porte da Empresa:

Empresa de Grande porte de Franquias.

Entrevista com a Coordenadora da Escola Wise up – Helen Nunes.

A Missão da Wise Up

Tem por objetivo ensinar a Língua Inglesa de uma forma clara num curto espaço de tempo, onde os profissionais de hoje não dispõem de muito tempo, viajam muito e que necessitam aprender a Língua Inglesa.

Com a Wise Up é possível estudar, pois temos uma enorme agenda de horários e mais de 600 Unidades no Brasil ou no Exterior, onde o aluno pode estar repondo suas aulas, quando estiver em viagens, pois o calendário é Nacional.

Seus Valores

Para chegar ao topo a Wise Up, sempre trabalhou com clareza, mostrando para os seus futuros alunos que nosso trabalho é sério e o aprendizado depende do empenho de cada um, tendo um método de 100% conversação e um único foco ao Ensino da Língua Inglesa.

Produtos

A Wise Up, conta com uma Box de Livros e DVDs, que ajuda os alunos a prepararem suas aulas de forma clara, todo o material é na Língua Inglesa, pois desta maneira o aluno será obrigado a pensar em inglês, que é o nosso objetivo final.

Fornecimento

Nosso fornecedor é o Grupo Ometz, através deles que temos nossos Livros sempre atualizados, pois existe um laboratório de pesquisa exclusivamente para esta finalidade.

Sobre a Empresa

A Wise Up Sorocaba é uma franqueada, tendo sua Matriz na cidade de Curitiba e tendo mais de 600 unidades espalhadas no Brasil e várias delas no Exterior.

Nosso sistema é interligado entre todas as Unidades tendo um calendário único, pois desta maneira é mais fácil os alunos manterem sua agenda programada.

Qualificação

Temos mensalmente reuniões regionais onde são passados os problemas pontuais e eventuais, para que da melhor maneira possam ser resolvidos e esclarecidos, assim deixando nossos clientes satisfeitos.

Nossos Professores são totalmente qualificados e a maioria deles estudou no exterior, tendo um contato direto com a Língua Nativa.

Nossos operacionais e comerciais, têm reuniões mensalmente e vídeo conferências semanais para passar situações que tenham a necessidade de uma atenção maior, desta maneira nossa mensagem continue sendo transmitida de maneira clara, eficaz e que nosso objetivo seja mantido.

Normas e Políticas

Temos normas internas onde todas as franqueadas devem manter, para que a imagem da Empresa seja uma só, transmitindo desta maneira confiança.

Inovação

Temos a cada dia inovado nossos serviços, contando desde o inicio de 2012, com o

Wise Up Online, onde o aluno pode ter acesso, a chats de Inglês, explicações online, aulas que já foram dadas, uma infinidade de exercícios e diversas outras coisas, bastando estar conectadas a internet e logado com sua senha fornecida pela empresa.

Temos Também o Wise Up Go Getter, onde nós vamos até o aluno, muito utilizado pela petrolíferas, onde o professor fica embarcado durante os períodos necessários.

Ambiente

Somos uma empresa amiga do ambiente, onde temos em nossos livros assuntos relacionados, onde conscientizamos nossos alunos através de palestras e cartazes na importância da conservação de nosso planeta.

Nossos boletos são enviados via email, pois desta maneira não há desperdício de papel.

1.2.1 Mudança Organizacional.

A empresa tem que se adequar a cada dia a inovações, novos concorrentes, novas idéias. Tem que viver em constante mudança, pois a tecnologia muda a toda hora e se não queremos ficar para trás temos que nos adaptarmos.

A empresa tem que buscar mudança, pelo bem comum, onde ambas as partes ganhem, pois cliente satisfeito é a melhor propaganda, porém a mudança tem que ser gradativa, planejada, pois se da noite para o dia a empresa resolve mudar ao avesso sua forma de ensino, então estará passando a imagem de que antes desta mudança, seu trabalho não era sério e desta maneira a confiança estará comprometida.

O gestor tem que ter uma visão sistêmica e procurar sempre sair na frente de seus concorrentes.

No mundo de hoje as empresas têm que ter visão ampla e estar em constante desenvolvimento buscando a cada dia a eficácia.

1.2.2 Quebras de Paradigmas.

Paradigma que tem o significado de modelo, ou seja, um padrão a seguir, muitas empresas ao quebrarem o paradigma abre um enorme leque de oportunidades, pois estará saindo na frente e tornando possível o que outras empresas não visaram.

A Wise Up quebrou o paradigma a 16 anos, onde de forma inovadora implantou um Ideal de Ensino jamais visto na época, seu fundador planejou como tudo seria e acreditou em seu sonho, assim conseguido de forma inovadora, crescer de tal maneira, que hoje em dia já tem unidades de Ensino até na China.

A Wise up vem quebrando paradigmas todos os dias e vem rompendo fronteiras, pois algo bem planejado e bem executado terá um sucesso garantido.

No mundo vigente os paradigmas são para serem quebrados, pois só quem tiver a coragem para rompê-los é que conseguiram se destacar das milhares de empresas que abrem e que fecham todos os dias.

1.2.3 Gestor Organizacional.

Ser gestor não é nada fácil, pois todo o andamento de uma organização depende de suas escolhas.

Se as tarefas não forem bem distribuídas e organizadas, o retrabalho será maior, haverá mais conflitos e o tempo será escasso.

O gestor decide e repassa aos lideres de cada setor, e cabe a eles transmitir aos demais colaboradores as tarefas.

Os colaboradores reportam ao Líder que reporta ao gestor, tudo tem que estar em pleno equilíbrio, para que desta maneira se obtenha o melhor resultado no final.

Para desempenhar o papel de “Administrador” ou “Gestor”, tem que saber Planejar, Organizar, Liderar e Controlar, ter ética, ser ágil, ter uma visão ampla de tudo ao seu redor, ver a solução antes mesmo que o problema aconteça com tudo isto certamente a organização estará sendo desenvolvida no seu melhor potencial.

Se analisarmos profundamente a lista de coisas deliberadas a um gestor, veremos que não se resumo nestas quatro palavras.

O gestor antes de tomar alguma decisão tem que ter tudo planejado, mas sempre com um plano B, pois imprevistos acontecem, seu planejamento deve ser a curto, a médio e em longo prazo, pois destas maneiras suas metas e objetivos estarão garantidos.

O gestor tem que ter habilidade necessária, para saber distribuir o trabalho para os setores de maneira correta, pois desta maneira manterá tudo organizado e nenhum setor ficará sobrecarregado e com certeza a gestão do tempo será melhor, o retrabalho será desnecessário e os insumos minimizados e suas metas sempre cumpridas.

Liderar faz parte do roteiro do gestor e ética e o principio de tudo, onde ele tem que saber se colocar no lugar do funcionário tem que buscar o bem dos dois lados, a empresa e funcionário, gerir os conflitos de maneira justa, motivar sempre, pois funcionário motivado é um funcionário satisfeito, que consequentemente dará o seu melhor pela organização.

Respeitar as limitações de cada pessoa, saber valorizar o desempenho de cada um, elogiar quando necessário e repreender quando for preciso, reconhecer as capacidades de cada um, incentivar ao crescimento intelectual promovendo cursos de especialização.

Mostrar aos colaboradores que estão todos a trabalhar com a mesma finalidade, desta maneira terão aliados e não meros subordinados.

Mas um líder tem que ter pulso firme, saber ouvir, mas também saber transmitir de forma clara e objetiva o que pretende, tem que estabelecer regras e ser o primeiro a cumprir, para não se contradizer em seus princípios éticos.

Controlar não quer dizer tomar pose de algo, mas sim da situação, se o planejamento foi correto e o trabalho tem sido distribuído de maneira correta, tendo um líder que executa com ética e zelo sua função e o seu trabalho, com certeza terá tudo controlado, pois se algo não sair conforme o esperado saberá, onde é a fonte do problema e irá ao encontro, minimizando o máximo de consequências negativas, pois estará indo direto ao ponto, sem ter que ficar dando voltas para saber onde ocorreu o problema.

1.3 Gestão da Qualidade total.

A Gestão da qualidade total conhecida como TQM ou (GQT, TQC), foi desenvolvida entre 1950 e 1980, com intuito de focar nas necessidades dos clientes, tendo em vista a prioridade da qualidade de uma empresa, tornando um processo de melhoria contínua envolvendo todas as áreas da organização.

O termo TQC evoluiu em 1980, sendo um controle exercido por todas as pessoas para a satisfação das necessidades de todos.

Conceitos de TQC são: Orientação pelo cliente, qualidade em primeiro lugar, ação orientada por fatos e dados, controle de processos, controle de dispersão, próximo processo é seu cliente, controle a montante, ação de bloqueio, respeito pelo empregado como ser humano, comprometimento da alta direção.

Juran (2002) diz que a Gestão da qualidade total é definida como a extensão dos planejamentos da empresa, junto o planejamento da qualidade.

Deste modo, definem-se como atividades da TQM: Estabelecer metas abrangentes, determinar as ações para alcançá-las, atribuir responsabilidade bem definidas para o comprimento das nações.

Para Harrington (1997) define os pontos básicos da TQM: prevenção de erros táticos e operacionais.

Já Wood (2004), a prática do TQM vive em um momento delicado, mostrando uma lacuna entre as expectativas geradas pelos projetos de implantação e seus resultados efetivamente alcançados. Algumas soluções para os problemas mais críticos da aplicação do TQM são: a participação efetiva do presidente na empresa, foco no consumidor para evitar confusão entre os meios e os fins, ligação dos objetivos do TQM com os objetivos estratégicos da empresa e uso intensivo do Benchmarking.

1.3.1 Terceirização.

Nos dias atuais a terceirização (outsourcing) vem crescendo gradativamente nas organizações de pequenos e médios portes e faz com que aumente a competitividade com a redução de custos por intermédio de contratações.

A terceirização nada mais é do que a contratação de uma empresa com mão-de-obra especializada para prestação de serviços.

Segundo Martins, (2001, p.23), “consiste a terceirização na possibilidade de contratar terceiro para a realização de atividades que não constituem o objeto principal da empresa”.

Conforme pesquisa que fizemos a empresa de estudo terceirizou os serviços de contabilidade, pois como sabemos é uma área de grande complexidade e representa vários riscos para empresa, contudo é fundamental que a equipe contábil seja especializada e que evite deslizes tornando despesas tributárias para a empresa.

A mão-de-obra especializada já é um ponto muito importante na terceirização, além disso, obtém-se redução dos custos devido aos encargos trabalhistas e previdenciários que a empresa pagaria se esse tipo de serviço não fosse terceirizado, como: salários, férias, gratificação natalina, FGTS, INSS e entre outros, os quais já estão embutidos nos valores de contratação. Com a terceirização será pago somente o valor do serviço contratado e todos os encargos e verbas pertinentes à mão de obra são pagos pela empresa terceirizada.

Para a empresa manter-se atualizada dentro do mercado com as normas tributária brasileira, investir em tecnologia e cursos de especializações fica conseqüentemente mais caro, porém com a terceirização a empresa contratada já se imcube da atualização e especialização, trazendo redução de custos para a empresa contratante. Porém é importante escolher uma boa empresa terceirizada e fazer um acompanhamento do serviço para verificar se a mesma não está fugindo da realidade.

Os principais ganhos e vantagens que empresa obteve foi à mão-de-obra especializada, redução de custos, trabalho com qualidade, eficiência, eficácia e até mesmo organizada.

A empresa poderia terceirizar o setor de limpeza e setor comercial (Marketing), pois dessa forma teria a especialização na mão-de-obra, redução dos custos, ganharia tempo para focar suas atividades principais o que tornaria a empresa contratante mais competitiva. A terceirização define-se por ser um processo de transferência de algumas atividades delegadas para terceiros (empresa terceirizada), ficando a mesma concentrada em fazer somente as tarefas em que são especializadas ou que atuam.

Existe algumas desvantagens dentre muitas vantagens, são elas:

- Presunção do vínculo empregatício;

- Os mesmos serviços prestados para a empresa podem também ser prestados para outras empresas, aumentando a concorrência;

- Rotatividade de mão de obra;

- Dificuldade de encontrar empresas de confiança.

1.3.2 Características, vantagens, aplicações da Tecnologia de Gestão.

A tecnologia do Benchmarking trás a oportunidade para as organizações de melhorarem seus desempenhos, no sentido de pesquisar, comparar e analisar o que outras organizações tem feito com grande sucesso. A proposta do benchmarking é contribuir com a melhora na aplicação dos processos, serviços e produtos que a organização desenvolve, podendo levar a um caminho de total excelência em sua aplicação.

A principal característica do Benchmarking é permitir que a organização ou empresa conquiste um ponto de destaque em relação às outras. Muitas organizações que já possuem certa modernidade não medem esforços para obterem um ganho competitivo ou vantagens sobre outras empresas, com o pensamento de serem lembrados pelos seus clientes, por seu produto, marca ou estratégia empresarial. O Benchmarking já é utilizado por grandes organizações fazendo parte de sua cultura empresarial.

Afinal, todas as empresas deveriam investir e utilizar essa tecnologia, pois as empresas de pequeno porte ficam desprotegidas por não obterem poucas informações e vulneráveis diante do mercado competitivo ou até na busca pela tão desejada superioridade no mundo dos negócios. Vale lembrar que benchmarking não pode ser confundido com copia ou uma simples coleta de dados.

A tipologia de Benchmarking é definida por quatro etapas:

Benchmarking Interno: É capaz de identificar as atividades da organização, para melhor desenvolverem a prática destas atividades.

Benchmarking Competitivo: É a analise das atividades de outras organizações que estão praticando no mesmo ambientes, conquistando assim uma vantagem competitiva.

Benchmarking Genérico: Neste processo são pesquisadas as atividades mais complexa que vai além do ambiente competitivo da organização.

Benchmarking Funcional: É desenvolvido junto com seus parceiros, com objetivo de analisar certo processo.

Para que ocorram os objetivos esperados é preciso planejar e executar o Benchmarking cuidadosamente. Seguindo as etapas abaixo: Planejamento, Coleta de dados, Análise e comparações, Elaboração e implementação do plano de mudanças.

As principais vantagens de utilizar o Benchmarking é introduzir novos conceitos de avaliação, melhorar o conhecimento da própria organização, a identificação das áreas que devem ser melhoradas, estabelecerem objetivos viáveis e realistas, criar critério de prioridade o planejamento, o favorecimento de um melhor conhecimento dos concorrentes e seu nível competitivo no mercado e por último aprender com os melhores.

Open-Book Management também conhecido como Gestão com o Livro Aberto nos traz um tecnologia de aplicação bem simples e com resultados notáveis.

Para a aplicação desta tecnologia é importante que todas as pessoas envolvidas tenham o total conhecimento da situação em que a organização está como ela deve ser operada e quais são os objetivos a serem atingidos em todos os setores.

Na execução do Open-Book Management é de extrema importância que nenhuma informação seja ocultada deve ser banida toda a desconfiança. Todos os envolvidos na implantação desta tecnologia precisam ser totalmente competentes na execução da tarefa que lhe foi atribuída, que o ambiente organizacional seja favorável para que haja a cooperação, confiança e percepção de todos para obterem o resultado favorável que a organização precisa.

Vejamos alguns fatores fundamentais para a implantação do Open-Book Management:

O Clima organizacional, a tecnologia da informação, disponibilização dos números e um sistema diferenciado de recompensas. È fundamental obter o comprometimento das pessoas, sendo assim precisa implantar uma política de recompensas para que elas se sintam motivadas e importantes.

E como qualquer outra tecnologia de gestão é necessária que alguns cuidados sejam tomados para se evitar erros na implantação do Open-Book Management: saber o real significado do Open-book Management para que ele não caia no modismo ou por ser ima gestão viável, não levar a sério os pontos fortes e fracos da organização, além das suas ameaças e oportunidades, não fazer o devido levantamento dos pontos críticos de sucesso para a organização, se esquecer quais são os objetivos do negocio ou deixá-los em segundo plano, tomar as decisões por informações incompletas ou até mesmo erradas, não definir claramente os objetivos a ser alcançado, quebrar os paradigmas.

Já que para cada problema devemos ter pelo menos uma solução. Segue algumas sugestões para evitar os setes erros: Através da administração, todas as pessoas envolvidas devem ser informadas do que esta acontecendo na organização para saber como agir, os resultados a serem alcançados e ter o devido comprometimento, a organização deve fazer uma analise criteriosa dos pontos fortes, fracos, as oportunidades e as principais ameaças no ambiente que estão para definir os planos que melhor se encaixam, definir de maneira clara e objetiva seus fatores críticos de sucesso, sabendo a forma certa de atingi-los e preservar-los, tomar o devido cuidado para não cometer erros graves, equívocos, esquecimentos e mal-

entendidos, que podem contribuir de forma negativa no resultado final, os objetivos devem estar escritos de maneira clara e atualizado, para implantar qualquer mudança é preciso quebrar paradigmas e ter uma visão clara para enxergar as possibilidades atuais e futuras, as pessoas estar totalmente envolvidas e participar de todo o processo de decisões, criarem um programa de mediação para partilhar e discutir questões importantes, para que as eventuais situações sejam resolvidas rapidamente e com alto desempenho, dar o devido incentivo as pessoas para gerar, apresentar e implantar as suas sugestões, os colaboradores da organização têm quer ser estimulados a agir e pensar como se fossem os donos do negócio, levar em contas velhas e conhecidas comissões, que tenham metas e desafios bem elaborados.

Para encerrar está tecnologia vale lembrar que para a implantação do Open-book Management é muito importante que a organização seja totalmente transparente ao passar suas informações ao seu corpo funcional não deve haver meios termos.

Reengenharia nada mais é que a mudança radical nos processos administrativos da organização, avaliando todos os processos para que possa contribuir no total desempenho da organização. Reengenharia não é apenas uma melhora nos processos, mas sim de um novo desenho organizacional e diferente. A reengenharia esta definida em quatro termos:

Fundamental: Entender como e por que a empresa trabalha desta maneira.

Radical: Mudar e adotar novos procedimentos

Drástica: Deixa o que tem e muda para outras formas de trabalho.

Processos: Tira o foco das tarefas e coloca nos processos, descobrindo o que e por que do processo.

A reengenharia vem com o propósito de modificar o perfil do processo empresarial, proporcionando mudanças na estrutura organizacional, nos valores organizacionais e nos sistemas de informação. Porem essas mudanças causa algumas resistências aos colaboradores que já haviam se acostumados na forma de executar o trabalho.

Quando definimos a reengenharia o principal elemento em destaque é o processo, pois a maioria dos problemas em uma organização está relacionada com o baixo desempenho e lentidão na geração dos processos.

Para entendermos melhor vejamos algumas características do processo de Reengenharia:

Coordenar as atividades em determinado tempo e espaço, objetivo de produzir um bem ou um serviço, definir os inputs (entradas): os recursos a ser transformado, definir os outputs (saída): os recursos já transformados, definir as ferramentas e técnicas que vão transformas os inputs em outputs, agregar valores aos inputs, o resultado de um produto ou serviço para um cliente.

Para que o processo da reengenharia ocorra com sucesso é preciso que a organização tenha uma liderança comprometida.

Essa liderança precisa das seguintes características: Ser forte, Agressiva, Comprometida e Com conhecimento.

A reengenharia junto com todo o seu processo de mudança radical que significa não só melhorar o processo já existente, mas sim mudá-lo completamente, traz a real valorização dos clientes da organização, melhorando o seu desempenho, com propostas amplas a fim de corrigir seus pontos fracos certamente terá grande sucesso.

Empowerment que significa o mesmo que empoderamento é uma tecnologia de gestão que tem como objetivo de atribuir poder, autoridade e responsabilidade aos membros da organização para se tornem mais ativas e proativas assim as pessoas tornam se mais parceiras.

Com o Empowerment espera se que todos os envolvidos sejam mais motivados, criativos e comprometidos no desenvolvimento das suas tarefas, possibilitando aos gestores um ambiente com menos pressão, dando liberdade ao executarem novas tarefas e oportunidades de novos negócios.

Podemos definir em cinco variáveis fundamentais que interferem no comportamento da organização:

Variável econômica: Considerando que todos precisem de recursos financeiros e matérias para obter o desempenho em sua função.

Variável informacional: O aspecto de conhecer a tarefa desenvolvida, por que, quando e como.

Variável técnica: Refere se a tecnologia disponível, necessidade de ter materiais e equipamentos a disposição.

Variável política: Enfoca a autoridade do individuo tem sobre outras pessoas e quando pode e deve exercê-la.

Variável cultural: Engloba todos os fatores psicológicos e sociais que influenciam no desenvolvimento do trabalho.

Algumas características fundamentais para o sucesso do Empowerment é que todos tenham participação direta nas decisões, atribuição d responsabilidades por atingir as mentas e resultados, liberdade na escolha de método e processos, atividade grupal, solidaria, integridade na equipe, a sua auto-avaliarão por meio de melhorias.

A liderança implica na capacidade de influenciar pessoas em direção do alcance dos objetivos, terem autoridade e influencia o líder não pode se limitar a uma equipe que não pensa, sem atitude e vontade de mudar e assumir riscos.

O objetivo do Empowerment é ampliar a capacidade de decisão das pessoas envolvidas, utilizando melhor o intelectual de cada um, agilizando e auxiliando na qualidade do trabalho e principalmente na tomada de decisão. Enfim os colaboradores estarão mais motivados devido a sua maior autonomia e transparência.

Lembrando que o Empowerment só alcançara o sucesso total se a organização souber tolerar os erros sem intenção de seus colaboradores, quando cometidos na busca pela excelência.

Gestão e Organização Horizontal podem ser definidas como uma organização que minimiza o nível de hierarquia que existe na empresa ajudando a aumentar o desempenho do setor operacional, tendo como objetivo eliminar os ruídos existentes na comunicação em seus setores assim agilizando e democratizando as tomadas de decisão.

Há algum tempo atrás as organizações utilizavam um modelo de gestão mecanicista que tinha como característica principal uma estrutura rígida, de alta especialização, centralizada, com controle estreito e altamente formalizada. Encontrando nesse modelo de gestão um ponto negativo, pois suas informações eram limitadas e com pequena participação na tomada de decisões junto aos seus colaboradores.

Já na Organização Horizontal os cargos dentro da organização passa ter um enriquecimento sendo mais valorizados. Vejamos alguns pontos: Rotação de cargos; as pessoas passam por um revezamento de cargos em curto espaço de tempo, ampliação horizontal; o colaborador precisa conhecer todas as atividades desenvolvidas nos setores adquirindo maior habilidade, ampliação vertical; Neste cargo o trabalhador é responsável por executar e controlar as tarefas, desenvolvendo maior autonomia, enriquecimento de cargos; aplica se a ampliação horizontal e vertical a um mesmo cago, obtendo o beneficio das duas.

Este modelo de gestão facilita e acelera o desenvolvimento de talentos, a competência dos colaboradores na organização permitindo uma participação nas atividades envolvidas, descentralizando o poder de decisão.

Capital intelectual pode ser definido como um conjunto de elementos organizacionais intangíveis, proporcionando vantagem competitiva para a organização que tem a competência de gerir, conhecimento em seus colaboradores notáveis e criando um valor organizacional. Ele esta divido em duas partes: patrimônio visível que são: os estoques, imóveis, dinheiro, maquinas, veículos, etc. estes recursos estão mais visíveis dentro da organização e são representados numericamente Ativos intangíveis formados pela estrutura externa, interna e a competência individual, externa a marca, qualidade em se relacionar com clientes, parceiros e fornecedores. Interna o gerenciamento, procedimentos, atitudes das pessoas, inovação, sistemas e pesquisas. E por ultimo a competência individual talentos, experiência, formação acadêmica, iniciativa e a capacidade de tomar decisão e resolver problemas.

Somando o patrimônio visível e os ativos intangíveis vão proporcionar a organização uma vantagem competitiva muito grande ganhando destaque no mundo dos negócios.

Gestão de Conhecimento são experiências condensadas, informações contextuais, valores que nos proporciona uma estrutura de avaliação e incorporação de novas informações e experiências, assim divididas:

Conhecimento tácito: pessoal e difícil de formalizar, valores, palpites, intuições e emoções.

Conhecimento explícito: compartilhado por formulas, princípios universais, manuais e especificações expressadas em palavras e números.

O Significado de SECI: Socialização, Externalização, Combinação e Integração. Estes processos ocorrem junto à interação continua e dinâmica entre o Conhecimento tácito e Conhecimento explícito. Vamos entender melhor esses processos:

Socialização: configura o processo de compartilhamento de experiências viabilizando a criação do conhecimento tácito. Sendo difícil de formalizar em tempos e lugares específicos, podendo ser adquirido somente por trocas de experiências e convivência direta.

Externalização: Este processo de aprendizagem passa do teórico para o pratico, pois, é ele que se comunica com os demais para haver uma troca de idéias e vivencia.

Combinação: Nesse processo os colaboradores das organizações trocam e combinam suas idéias dentro e fora de suas áreas de trabalho.

Internalizações: Podem ser descritas por aprender fazendo o processo, pois, o conhecimento que se adquire é transmitido para outra pessoa da empresa para que cada um saiba uma nova função.

Acabamos de ver que a aprendizagem organizacional só acontece por meio do capital intelectual e da gestão do conhecimento, através do processo de mudanças, inovações e a capacidade de identificar quais as qualidades de cada colaborador da organização conquistando uma vantagem competitiva no seu ambiente de negocio.

1.3.3 Relatório da Tecnologia apresentada à empresa.

BENCHMARKING COMPETITIVO: tem como objetivo a analise das atividades de outras organizações que estão praticando no mesmo ambientes, conquistando assim uma vantagem competitiva.

Para aplicação de Benchmarking Competitivo é necessário a aplicação de etapas:

Planejamento: Selecionar atividades que possam vir a agregar melhorias aos cursos. Selecionar organizações concorrentes para identificação de parâmetros utilizados.

Coleta de dados: Obter informações através de jornais, revistas, pesquisas, bancos de dados, publicações das próprias organizações e internet.

Análises: analisar qualidades, custos e vantagens na aplicação de melhorias. Com esse processo a organização pode comparar o desempenho de suas atividades atuais, e identificar o resultado se aplicado as melhorias.

Elaboração e implementação de mudanças: é necessário elaborar um plano de implementação de mudanças, atentando-se à necessidade de rever objetivos e metas estabelecidas. Analisar uma empresa como referência, elaborar um planejamento estratégico identificando os objetivos a serem atingidos. O último passo consiste na adaptação e melhoria por intermédio da tomada de decisões quanto às ações tomadas para melhorar a rentabilidade e competitividade da empresa.

Sugerimos a implantação da caneta que fala em inglês para melhora da pronúncia. A caneta tem por objetivo um melhor aprendizado da língua inglesa, uma vez que ao utilizá-la o aluno poderá ter a noção se está pronunciando correto.

É um recurso utilizado em outra organização onde faz a diferença no aprendizado. Poderá trazer benefícios aos alunos com dificuldade no aprendizado da língua inglesa no quesito pronúncia.

Para a implementação de Benchmarking com possibilidade de sucesso é necessário uma postura de vontade de mudar, ter consciência que a concorrência está em constante mudança, boa vontade para compartilhar informações com parceiros, ter espírito aberto para novas idéias, criações e inovações.

1.4 Tecnologia e Ferramentas de Gestão.

Os Administradores não podem ignorar os sistemas de informações, pois é fundamental para o desempenho e crescimento das organizações atuais. O SI é uma ferramenta importante nas tarefas do cotidiano empresarial auxiliando no processo de tomada de decisão, ele é um conjunto de componentes inter-relacionados que trabalha junto para coletar, recuperar, processar, armazenar e distribuir as informações com a finalidade de facilitar o planejamento, o controle, coordenação e o processo decisório.

A melhor forma de definir e escolher o sistema de informações gerenciais é levarmos em conta as características como, por exemplo: recolhimento, registro, armazenamento e pré-processamento de dados.

Nos dias de hoje tomar decisões sem o apoio desses sistemas está cada dia mais

complicado, pois ocorrem riscos e erros no qual poderá acarretar em uma decisão equivocada.

Quanto às decisões gerenciais se não houver o apoio é possível que o gestor tome decisões precipitadas e erradas com mais facilidade, pois não tem as informações necessárias para tomar decisões correndo o risco de ocorrer danos futuro para a organização. O sistema de informações gerenciais ajuda a suprir à média gerência, informando e permitindo a análise, planejando e dando suporte as decisões.

A partir dos sistemas percebemos o quanto ele é importante no ambiente organizacional moderno, sua utilização passa a ser um recurso estratégico decisivo na manutenção de vantagem competitiva, saindo sempre à frente da concorrência. A característica dos Sistemas de Informação Gerenciais é de utilizar somente dados estruturados, que também são úteis para o planejamento de metas estratégicas.

1.4.1 Sistema de Informações Gerenciais – SIG, Balanced Scorecard, Seis Sigma.

Por meio de tomada de decisões os administradores optam nos dias de hoje pelo Sistema de Informações Gerenciais em sua organização.

Essa ferramenta nos faz tomarmos decisões mais concretas se o sistema estiver corretamente com seus dados, evitando os equívocos que possam causar danos a organização.

Com esses sistemas as empresas desenvolvem um posicionamento estratégico e ampliam os horizontes de atuação externa, acrescentado elementos internos e utilizando dessa forma ferramentas gerenciais no planejamento das ações.

A gestão da informação é um conjunto estruturado de atividades que incluem a maneira como uma empresa obtém, distribuindo e usado informações e conhecimento. Elas estão planejando parte do orçamento para compra e melhoria na tecnologia.

Os SI atuais desempenham um papel importante na organização, pois fornecem estrutura que nos dias de hoje necessitamos, sendo eficiente e competitivo.

As funções empresariais estão relacionadas com as atividades especializadas das empresas e podemos citar várias delas sendo: Vendas, marketing, produção, contabilidade e recursos humanos. Também é usado como fonte de informação para o desenvolvimento; criação de produtos e serviços exclusivos; e por fim planejamentos estratégicos.

Assim podemos afirmar que toda organização deve se empenhar para desenvolver produtos de qualidade, bom atendimento ao cliente, adequar sua política de venda e preços aos clientes, cumprir prazos predefinidos, ou seja, estar atenta ao mercado.

O BSC é um conjunto de indicadores, que permite o estudo qualitativo do desempenho empresarial de diversas perspectivas inclusive as não financeiras.

Essa ferramenta de gestão é utilizada em qualquer organização sendo públicas privadas e ONGs, permitindo uma visão balanceada e integrada da organização.

Para o desenvolvimento correto desta ferramenta é necessário o envolvimento da alta administração no momento da construção dos indicadores empresariais. Ela é importante, porque reflete o equilíbrio entre objetivos de curto e longo prazo. O BSC proporciona uma visão rápida e abrangente, contendo medidas integradas de ocorrência e direcionadores de tendência, sendo assim desenhados para capturar a estratégia e ligado por relações de causa e efeito.

Para trabalhar com essa ferramenta tem que conhecer o ambiente, produto, serviço, visão e missão da empresa, agregar valores aos processos e saber gerenciar a equipe tendo em vista o planejamento e estabelecer metas.

Atualmente, as organizações necessitam dessa ferramenta para estabelecer os objetivos e metas, tendo a interação de todos os colaboradores sendo importante para as implementações adequadas das estratégias, permitindo que as empresas se tornem mais flexíveis, sendo uma exigência do mercado moderno.

Podemos dizer que o Seis Sigma é um caminho para corporações que precisam mudar suas operações e seus processos de desenvolvimento de produtos e serviços. Existem dois métodos utilizados: o DMAMC para melhoria de um processo ou produto e o DMEDI aplicado na criação de um novo processo ou produto.

O SS é orientado para prevenção, sendo um dos principais métodos para melhoria continua de um processo e fixação de referenciais competitivos.

Ele tem como características focar os problemas reais relacionados ao desempenho, utilizando diversas ferramentas e técnicas, junto com os métodos estatísticos, sustentando a melhoria em longo prazo, assim atuando como agente de mudança em melhoria a organização.

O Seis Sigma trás resultados financeiros, possibilitando a minimização e eliminação de produtos e processos defeituosos.

1.5 CONCLUSÃO

Nos dias de hoje para administrar uma organização é preciso entender mais sobre tecnologia e ferramentas de gestão.

Escolhemos uma empresa conceituada e com um enorme crescimento no segmento de Ensino da Língua Inglesa, verificamos que houve mudança organizacional, quebras de paradigmas e que existe a terceirização na área contábil. Vimos o quanto à empresa vem se adequando a inovação e tendo novas idéias.

Compreendemos que para desempenhar o papel de Gestor temos que saber planejar, organizar, liderar e controlar, ter ética, ser ágil, ter uma visão ampla.

A proposta do benchmarking é investigar, analisar o que outras empresas têm feito com sucesso, contribuindo com a melhoria na aplicação dos processos, serviços e produtos que a organização desenvolve, assim levando ao caminho de total excelência em sua aplicação.

A gestão com o livro aberto é uma ferramenta que tem como premissa a divulgação de todos os dados organizacionais, fazendo com que todas as pessoas tenham acesso as informações da organização em que trabalha, portanto todos colaboradores sabem como devem cooperar e quais os seus resultados a serem atingidos.

Com o ato de analisar e modificar os processos da empresa a reengenharia vem atribuindo na empresa como uma remodelagem ou reestruturação de acordo com o objetivo e missão, trazendo uma organização melhor que a antiga.

O Empowerment trata-se de dar poder e responsabilidade as pessoas para torná-las mais ativas dentro da empresa, tendo acertos e erros na tomada de decisão.

Nos dias de hoje temos que ser gestores diferenciados, saber gerenciar, trabalhar com dados, conhecer a organização a fundo e com certeza administrar grupos. Através das informações o gestor sempre estará na frente com a organização.

Vimos que o Balanced Scorecard é um conjunto de indicadores, que permite o estudo quantitativo do desempenho empresarial de diversas perspectivas, incluindo as não financeiras, nos proporcionando uma visão rápida e abrangente.

Para enfatizar um controle estratégico da qualidade e definir os padrões de excelência operacional o Seis Sigma elimina qualquer problema procurando agregar valor ao produto.

Contudo, compreendemos que a tecnologia e ferramentas de gestão é importante para um gestor administrar uma organização e sempre estar à frente da concorrência.

1.6 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

FRANCO, Decio; Edna de Almeida Rodrigues; Moises Miguel Cazela: Tecnologia e Ferramentas de Gestão. Campinas, SP. Editora Alínea, 2011.

REBOUÇAS, Djalma Pinto de Oliveira- Teoria Geral da Administração- Uma Abordagem Prática- Editora Atlas.

CARAVANTES, Geral R./ Panno, Cláudia C./ Kloeckner, Mônica C.- Administração Teorias e Processo- Editora Pearson- Prentice Hall.