Trabalho Completo Animais Habitos Noturnos

Animais Habitos Noturnos

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Outras

Enviado por: Luiza 22 dezembro 2011

Palavras: 2180 | Páginas: 9

...

her a sua poderosa língua para alcançar o alimento até 100 vezes pôr minuto. Vive nos campos, cerrados e florestas de quase toda América do Sul. No entanto, em nosso país o tamanduá é atualmente mais encontrado nos campos de Roraima e nos cerrados do Brasil central. A gestação da fêmea dura 190 dias e nasce um único filhote, e a mãe carrega nas costas durante várias semanas. Existem rarissimos casos de nascimento de gêmeos entre os tamanduás. Quando cresce mais um pouco, o filhote acompanha a mãe galopando a seu lado pêlos campos cerrados.

Sucuri

[pic]Nome popular: Sucuri, Anaconda.

Classe: Reptilia.

Ordem: Squamata.

Família: Boidae.

Nome científico: Eunectes murinus.

Distribuição: América do Sul.

Habitat: Pântanos, rios, e lagoas

Hábito: Diurno e crepuscular

Hábitos alimentares: Alimenta-se principalmente de capivaras, veados, jacarés, e qualquer animal desavisado que vai fazer uso da água na hora errada..

Reprodução: Vivípara, nascendo entre 10 e 20 filhotes no início da estação chuvosa.

Curiosidade:A sucurijú ou sucuri é uma das maiores serpentes do mundo, conhecida também por outros nomes, como sucuriju, sucuriúba, boiaçu ou anaconda, é um réptil ofídio da família dos boídeos. Mede em geral de 5 a 7m, podendo atingir até 12m. Como as demais cobras da família, a sucuri não é venenosa, vale-se de uma notável força muscular e com um rápido movimento ela abraça sua vitima, paralisa a circulação sangüínea do animal e os seus ossos são triturados. Alimentadas podem passar dias imóveis fazendo a digestão. Vive principalmente nos rios, onde nada e mergulha com desembaraço. É carnívora, alimenta-se de aves aquáticas, jacarés, peixes e mamíferos como capivaras, filhotes de anta e veado, costuma atacar suas presas quando estão bebendo água nos rios. As duas metades do maxilar se movem independentemente, com isso pode engolir um animal quatro vezes maior que a sua cabeça.A coloração da sucuri revela variações de padrão, mas tipicamente ela é marrom-esverdeada que a deixa bastante camuflada na vegetação aquática. Na época do acasalamento, a sucuri sai à procura do parceiro. E, quando encontra, o namoro é longo. Na época reprodutiva, a fêmea exala um odor e atrai os machos, o tempo de acasalamento dura horas, dias, ela pode copular com vários machos e geram de 4 a 82 filhotes já formados.

SAGUI BIGODEIRO

[pic]Nome vulgar: SAGUI BIGODEIRO.

Nome científico: Saguinus imperator.

Distribuição: Brasil (Amazonas).

Habitat: Florestas tropicais.

Hábito: Diurno.

Alimentação na natureza: Frutas, vegetais, insetos e ovos.

Alimentação em cativeiro: Frutas, ovos, carne e insetos.

Causas da extinção: Tráfico de animais e destruição do habitat.

Curioidades:Animais tipicamente florestais, lembram os esquilos pelo seu comportamento e na forma do corpo. Raramente adotam a postura bípede. Apoiam-se sempre nas quatro patas, ou deitam-se nos galhos, com a cauda pendente.

Suas garras são utilizadas para subir nos troncos e para retirar insetos e larvas do interior dos galhos das árvores. Raramente saltam de uma árvore para outra que esteja a distância, mas, como geralmente as copas se tocam, atravessam com agilidade as pontes formadas pelos ramos. Abrigam-se nos ocos dos troncos, mas não constróem ninhos.

Possuem domínios definidos e os bandos instalam-se nas proximidades das fruteiras, na mata, repetindo os mesmos percursos todos os dias. Utilizam as mesmas árvores e os mesmos galhos durante os deslocamentos. Em geral, os machos encarregam-se do transporte dos filhos pequenos, que se agarram aos pêlos do dorso e às vezes da barriga.

skip to main | skip to sidebar

ANTA

[pic]Nome popular : ANTA

Nome científico: Tapirus terrestris

Orden:Perissodactyla.

Família: Tapiridae.

Habitat: Florestas Tropicais, Pantanal e Cerrado.

Características: Pode atingir até 02m de comprimento por 1m de altura. Quando adulto pode pesar até 300 kilogramas. Possui uma pequena tromba móvel na ponta do focinho e uma cauda curta, além de 04 unhas nas patas dianteiras e 03 nas traseiras.

Curiosidades: Uma lenda conta que, quando o mundo foi feito, o Criador formou a anta com partes tomadas de empréstimo de outros animais. Isto explicaria porque a anta ou tapir tem a forma de um porco, pé de rinoceronte, cascos de boi e o focinho como uma pequena tromba de elefante. Porém, não é igual a nenhum desses animais.

BUGIO

[pic]Nome Vulgar: BUGIO.

Nome em inglês: Red Howler Monkey.

Nome Científico: Alouatta seniculus.

Outros Nomes: Guariba, barbado bugio e roncador.

Classe: Mammalia.

Ordem: Primates.

Família: Cebidae.

Espécies: 5 .

Subespécies: 21 do gênero Alouatta.

Distribuição: Ocorrem desde as matas costeiras do sul do México até o Chaco e o sudeste brasileiro.

Habitat: Uma variedade de ambientes que vai da floresta tropical úmida aos campos cerrados e o pantanal.

Hábito: Diurno.

Comportamento: Grupo de até 10 indivíduos.

Longevidade: 20 anos.

Maturidade: Fêmea - 4 a 5 anos, Macho - 6 anos.

Época reprodutiva: Durante todo o ano.

Gestação: 4 a 5 meses.

Desmame: 1,5 a 2 anos.

Nº de filhotes: 01

Características: O corpo é forte e maciço. A cabeça, também maciça, nos machos parece ainda maior, devido aos longos pêlos que revestem o queixo, (por isso ele também é conhecido como macaco barbado) e ao grande desenvolvimento do osso hióide, em forma de cápsula, que funciona como caixa de ressonância. A cauda é muito musculosa, com a porção inferior da ponta desprovida de pêlos e dotada de grande sensibilidade. Enrola-se firmemente nos galhos e funciona como um quinto membro, sustentando o corpo por longos períodos de tempo, por exemplo, enquanto o animal se alimenta.

Cor: Sua coloração varia do preto ao vermelho. Em uma das espécies, encontrada no Brasil central (Alouatta caraya), os machos são completamente negros enquanto que as fêmeas e os filhotes apresentam colorido castanho-oliváceo (veja a foto ao lado).

Peso adulto: 5 a 9 Kg

Tamanho: até 70 cm de comprimento.

Peso filhote: 120 a 130 g.

Alimentação na natureza: Folhas e frutas.

Alimentação em cativeiro: Frutas diversas, verduras e iogurte.

Causas da extinção: Tráfico de animais. A espécie encontra-se ameaçada de extinção, principalmente devido à destruição de seu hábitat e também à caça indiscriminada. Sua carne e pele são muito apreciados pelos índios e caboclos.

Cobra D'água.

[pic]Nome popular: Cobra D'água.

Classe: Reptilia.

Ordem: Squamata.

Família: Colubridae.

Nome científico: Liophis miliaris.

Nome inglês: Water snake.

Distribuição: América do Sul(pantanal).

Habitat: Cerrado e Mata Atlântica.

Hábito: Diurno.

Curiosidades: Esta espécie é muito dócil e geralmente foge assim que perturbada.

Possui uma coloração que varia muito da região onde é encontrada. Na Mata Atlântica é mais comum encontrá-la no padrão amarelo com preto, enquanto no cerrado é mais comum o esverdeado com preto

CERVO DO PANTANAL

[pic]NOME CIENTÍFICO: Blastocerus dichotomus.

OUTROS NOMES: Veado-suaçuapara / Guaçupuçu / Suaçuatê, Veado-galheiro.

NOME EM INGLÊS: Marsh Deer.

FILO: Chordata.

CLASSE: mammalia.

ORDEM: Artiodactyla.

FAMÍLIA: cervidae.

ALTURA: Até o dorso - de 1,1 a 1,2 m.

COMPRIMENTO: 1,8 e 1,9 m, cauda de 10 a 15.

PESO: 100 a 150 kg.

PELAGEM: comprida e áspera.

COR: castanho brilhante no verão, marrom-avermelhada no inverno.

CRIA: um filhote por ano.

PERÍODO DE GESTAÇÃO: 9 meses.

HABITAT: Vive perto da água, deslocando-se bem sobre terrenos pantanosos devido à estrutura de seus cascos.

HÁBITOS: diurnos.

ALIMENTAÇÃO: herbívoro.

BIGODEIRO

[pic]Nome vulgar: SAGUI BIGODEIRO.

Nome científico: Saguinus imperator.

Distribuição: Brasil (Amazonas).

Habitat: Florestas tropicais.

Hábito: Diurno.

Alimentação na natureza: Frutas, vegetais, insetos e ovos.

Alimentação em cativeiro: Frutas, ovos, carne e insetos.

Causas da extinção: Tráfico de animais e destruição do habitat.

Curioidades:Animais tipicamente florestais, lembram os esquilos pelo seu comportamento e na forma do corpo. Raramente adotam a postura bípede. Apoiam-se sempre nas quatro patas, ou deitam-se nos galhos, com a cauda pendente.

Suas garras são utilizadas para subir nos troncos e para retirar insetos e larvas do interior dos galhos das árvores. Raramente saltam de uma árvore para outra que esteja a distância, mas, como geralmente as copas se tocam, atravessam com agilidade as pontes formadas pelos ramos. Abrigam-se nos ocos dos troncos, mas não constróem ninhos.

Possuem domínios definidos e os bandos instalam-se nas proximidades das fruteiras, na mata, repetindo os mesmos percursos todos os dias. Utilizam as mesmas árvores e os mesmos galhos durante os deslocamentos. Em geral, os machos encarregam-se do transporte dos filhos pequenos, que se agarram aos pêlos do dorso e às vezes da barriga.

NOTURNO

CASCAVEL

[pic]Nome popular: Cascavel.

Classe: Reptilia .

Ordem: Squamata .

Família: Viperidae .

Subfamília: Crotalinae.

Nome científico: Crotalus durissus.

Nome inglês: Neotropical Rattlesnake. Distribuição: Américas Central e do Sul.

Habitat:Campos abertos de cerrados, áreas pedregosas e secas.

Hábito: Crepuscular e noturno.

Curiosidades: Possui um chocalho na extremidade da cauda, facilitando seu reconhecimento. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o número de anéis no chocalho da Cascavel, não representa sua idade. Sendo assim, se uma Cascavel tem 12 anéis no chocalho, não quer dizer que ela tenha 12 anos de idade. Cada vez que o animal muda de pele, o que ocorre de 2 a 4 vezes por ano, ele acrescenta um novo anel no chocalho. Alimentação: Alimenta-se de pequenos roedores.

As Cascavéis são perigosas, mas não agressivas, fugindo rapidamente quando avistadas. Diferente de seus parentes da América do Norte, que possuem em seus venenos propriedades proteolítica (necrosante), a nossa Cascavel possui veneno neuro tóxico (que atua no sistema nervoso), fazendo com que a vítima tenha dificuldades de locomoção e respiração. Reprodução: Dá a luz entre 16 e 24 filhotes vivos, reprodução vivípara, que ocorre de Novembro

[pic]

LOBO-GUARÁ

[pic]Nome vulgar: LOBO GUARÁ.

Classe: Mammalia.

Ordem: Carnivora.

Família: Canidae.

Nome científico: Chrysocyon brachyurus.

Nome inglês: Maned Wolf

Nomes na Argentina: Aguarú guazú, Lobo de crin, zorro potrillero, zorro grande, zorro de chaco.

Nomes Indíginas: Gueken, guelken, huika(tehuelche septentrional).

Indios Kamaiuras (alto rio Xingu)o auratsim. Tupí-guaraní: guará.

Nome na Bolívia: Boroche

Distribuição: Centro-Oeste do Brasil, Paraguai, Leste da Bolívia e Norte da Argentina.

Habitat: Campos.

Hábito: Crepuscular/noturno.

Comportamento: Solitário.

Longevidade: 13 anos.

Maturidade: Após 3 anos.

Época reprodutiva: Julho a Agosto.

Gestação: 62 a 66 dias.

Nº de filhotes: 02 a 05.

Nº de crias: 01

Peso adulto: 30 Kg.

Peso filhote: 350 g.

Alimentação na natureza: Pequenas cutias, pacas, aves, répteis, frutas (fruta-do-lobo), mel, cana-de-açucar, peixes, moluscos e insetos.

Alimentação em cativeiro: Frutas, carne, ovos e alimento vivo

ONÇA PINTADA .

[pic]Nome vulgar: ONÇA PINTADA .

Classe: Mammalia.

Ordem: Carnivora.

Família: Felidae.

Nome científico: Panthera onca.

Nome inglês: Jaguar.

Distribuição: Ao sul dos EUA, México, América Central e América do Sul (Noroeste da Argentina).

Habitat: Florestas e savanas.

Hábito: Noturno.

Comportamento: Solitário e territorialista.

Longevidade: 20 anos.

Maturidade: 3 a 4 anos de idade.

Época reprodutiva: Durante todo o ano.

Gestação: 93 a 105 dias.

Nº de filhotes: 1 a 4 filhotes.

Peso adulto: 36 a 158 Kg.

Peso filhote: 700 a 900 g.

Alimentação na natureza: Aves, Mamíferos.

Alimentação em cativeiro: Carne.

Causas da extinção: Caça e destruição do habitat.

Curiosidades:Os índios do Brasil guardam a gordura da onça abatida e a comem com a ponta de uma flecha. Eles acreditam que ela lhes dá uma grande coragem, como se fosse a porção de um feiticeiro. Essa gordura também é esfregada no corpo dos meninos, para torná-los fortes e protegê-los contra o mal.

Habita florestas úmidas às margens de rios e ambientes campestres desde a Amazônia e Pantanal até os Pampas Gaúchos. A onça pintada ou jaguar possui hábitos noturnos e é solitária. Excelente caçadora e nadadora, costuma abater capivaras, veados, catetos, pacas e até peixes. Pode também caçar macacos e aves. Para atacar sua vítima, é muito cautelosa, desloca-se contra o vento e aproximando-se silenciosamente surpreende a presa saltando sobre seu dorso. Daí surgiu o nome jaguar ou jaguara que significa no dialeto Tupi-guarani a expressão "o que mata com um salto".

Sendo o maior mamífero carnívoro do Brasil, necessita de pelo menos 2 Kg de alimento por dia, o que determina a ocupação de um território de 25 a 80 Km2 por indivíduo a fim de possibilitar capturar uma grande variedade de presas. A onça seleciona naturalmente as presas mais fáceis de serem abatidas, em geral indivíduos inexperientes, doentes ou mais velhos, o que pode resultar como benefício para a própria população de presas. Na época reprodutiva, as onças perdem um pouco os seus hábitos individualistas e o casal demonstra certo apego, chegando inclusive a haver cooperação na caça. Normalmente, o macho separa-se da fêmea antes dos filhotes nascerem. Em geral, após cem dias de gestação nascem, no interior de uma toca, dois filhotes - inicialmente com os olhos fechados. Ao final de duas semanas abrem os olhos e só depois de dois meses saem da toca. Quando atingem de 1,5 a 2 anos, separam-se da reprodutora, tornando-se sexualmente maduros.