Trabalho Completo Auditoria De Controles Intenos

Auditoria De Controles Intenos

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Outras

Enviado por: Maria 19 dezembro 2011

Palavras: 5504 | Páginas: 23

...

ext this study aimed to explore how far the lack of auditing of internal controls interfere with the functioning of the internal processes of the department of treasury of the small Aparecida de Goiania, and this lack of internal control can be harmful to the small organizations. For that we developed a quantitative survey with 20 companies located in the city of Aparecida de Goiania, where it was found through a semi structured questionnaire that the lack of auditing of internal controls interfere with the success of the internal processes of the treasury department from the moment in that information or incorrect data may hinder the decision-making within an organization leading questions and hasty decisions.

Key - words: Audit, Control, Treasury

Introdução

Em um cenário cada dia mais competitivo as organizações como um todo vê a necessidade de se manterem vivas para satisfazer as necessidades de seus clientes e as suas necessidades próprias, buscando manter essa qualidade e esse desenvolvimento que das organizações se esperam surge à área de Auditoria de Controles internos, que são um serie de normas e padrões pré-definidos que as organizações utilizam a fim de manter um controle eficaz das rotinas de seus departamentos.

Surge então a idéia de trabalhar os conceitos de auditoria de controles internos dentro do departamento de tesouraria, por se tratar de um departamento de suma importância para qualquer organização, seja ela de caráter privado ou publico, o estudo busca visar e desenvolver junto as empresas de pequeno porte de Aparecida de Goiânia o quanto e importante o uso desta ferramenta e a sua importância para uma administração eficiente, o estudo busca enfatizar que a Auditoria de Controles internos voltada ao departamento de Tesouraria , evidenciando a pratica desses controles para o êxito e desenvolvimento dos processos no departamento de tesouraria , busca eliminar erros e maximizar resultados e performance, contribuir não apenas como uma ferramenta de controle, mas sim propiciar as empresas de pequeno porte um ganho em qualidade e exatidão em seus serviços, evitando erros e possíveis fraudes que possam comprometer o desenvolvimento e sucesso dos negócios da empresa.

Para a administração de empresas o mundo e composto de organizações sejam elas com fim lucrativo ou não. A administração de empresas tem como objetivo gerir, através de planejamento, organização, direção e controle, as atividades por elas realizadas. O ato de gerir uma empresa , segundo Chiavenato (2003), significa utilizar idéias e conceitos , garantindo eficiência e eficácia de modo que ela sobreviva no mercado.

1- Desenvolvimento

1.1- Problemática

Observando a importância da Auditoria de Controles Internos nas organizações, buscou-se com este trabalho levantar a aplicabilidade do mesmo nas pequenas empresas de Aparecida de Goiânia.

Por se tratar de uma região do estado de Goiás que está em franca ascensão o estudo abordou a região de Aparecida de Goiânia , por ser um pólo fortíssimo de empresas deste segmento de pequeno porte, empresas familiares, e organizações que estão buscando expansão e reconhecimento em um cenário cada dia mais competitivo a região tem todos os predicados para ser o objeto de estudo desta pesquisa.

Analisando o objeto de pesquisa “As pequenas empresas, situadas em Aparecida de Goiânia”, a situação problema identificada nas organizações esta diretamente relacionada ao departamento de Tesouraria e nos impactos que esta gestão pode causar dentro das organizações. Em suma a problemática a ser respondida por esta pesquisa é a seguinte: Ate que ponto a falta da auditoria dos controles internos interferem no êxito dos processos financeiros e administrativos do departamento de tesouraria nas empresas de pequeno porte em Aparecida de Goiânia?

1.2- Hipóteses

A problemática levantada sugere como hipóteses as afirmativas:

- Falta de fluxograma e manuais bem estabelecidos com as seqüências e rotinas dos processos a serem seguidos no departamento.

- Falta de Treinamento aos colaboradores da área.

- Cultura organizacional

- Falta de acompanhamento pelos departamentos responsáveis.

1.3- Justificativa

A realização da pesquisa tornou-se viável a partir do entendimento que a Auditoria de Controles internos é uma realidade, e pode proporcionar as empresas de pequeno porte de Aparecida de Goiânia uma visão de como é importante praticar á auditoria de controles internos , voltados ao departamento de tesouraria, evidenciando a pratica desses controles , para o êxito e desenvolvimento dos processos do departamento de tesouraria, buscando eliminar erros e maximizar os resultados e performance. Contribuir não apenas como uma ferramenta de controle, mas sim propiciar as empresas um ganho em qualidade e exatidão das informações e realização de seus serviços.

Nesse aspecto há de se concorda com Florentino (1987: 09), quando ele diz que:

[...] Uma das preocupações humanas tem sido a de eliminar total ou parcialmente os fatores adversos, naturais, ou criados pelo próprio homem, que afeta o seu bem – estar , o seu equilíbrio, ou os seus propósitos.[...] trata-se da luta constante , pois fatores que atuam sobre o homem , ou sobre os mecanismos que ele constrói, são muito diversificados e tem comportamento muito variável, conforme as circunstâncias.

Essa afirmação leva as organizações a buscar sempre manter um nível de equilíbrio para conseguir alcançar os seus propósitos, e torna-se fundamental estudar os aspectos do comportamento humano a fim de eliminar total ou parcialmente os fatores adversos nos desenvolveres de suas atividades.

1.4- Objetivo Geral

Analisar ate que ponto a falta de auditoria de controles internos interferem no funcionamento dos processos internos do departamento de tesouraria das pequenas empresas de Aparecida de Goiânia.

1.5- Objetivo Especifico

- Buscar aspectos que comprovem que a utilização da auditoria controles internos melhoram o desenvolvimento das atividades do departamento de tesouraria.

- Fazer levantamento bibliográfico.

- Analisar as condições atuais dos departamentos de tesouraria.

2- Referencias Bibliográfica

Controles e suas aplicações na Contabilidade

A Crescente evolução das estruturas organizacionais das empresas, num cenário cada dia mais competitivo, onde se busca cada dia manter á eficiência e a eficácia dos processos administrativos, o uso dos controles internos se tornou uma ferramenta de sumaria importância para que os processos administrativos sejam realizados de forma em que os mesmos alcancem os objetivos que deles se esperam, pois praticando o uso dos controles internos as empresas agregam confiabilidade nos processos. Os processos de controles internos estão diretamente ligados à contabilidade, pois de acordo com Attie: “Um sistema de contabilidade que não esta apoiada em um controle interno eficiente é, ate, certo ponto inútil, um vez que não é possível confiar nas informações contidas nos seus relatórios”

Os Controles Internos quando bem trabalhados geram segurança para á tomada de decisão, saber se os procedimentos que foram estabelecidos para cada departamento estão sendo realizados de maneira em que venham a contribuir para que o objetivo da organização seja alcançado, ou seja, se uma empresa traça planos e metas para um departamento de cobrança de manter a carteira de cobrança sempre em dia, e a empresa não utiliza a ferramenta de controles internos para avaliar se os procedimentos que foram planejados estão sendo realizados corretamente, como ficaria a sua carteira de clientes devedores, qual seria o seu índice de inadimplência, como proceder para reverter essa situação, certamente seria a pergunta que qualquer Administrador faria, a falta de acompanhamento e desenvolvimento dos controles internos provavelmente irão causar prejuízos que num montante poderá gerar perdas, e que com certeza comprometera o desenvolvimento dos objetivos da empresa.

A finalidade do uso dos Controles Internos por parte da organização é poder obter precisão nas informações, é utilizar desta ferramenta para que a mesma possa ser um diferencial para a busca dos objetivos e de vantagens competitivas, hoje a contabilidade bem como a administração necessita de controles eficientes dentro das organizações para manter não só o seu negocio em perfeito andamento, mas garantir sua credibilidade perante clientes internos e externos.

“Muitos pensam que a contabilidade tem o objetivo exclusivo de registrar as operações de uma empresa ou entidade com a finalidade de medir as variações do valor , em determinado tempo, de seus patrimônios . Entre tanto, sua atuação não se resume em simples método ou instrumento de registro e medição. Dois outros campos vastíssimos se abrem ao seu domínio : o do controle e o da analise”. (FLORENTINO,1987:03).

O controle contábil , entretanto alarga-se para um campo muito maior que o simplesmente contido no seu teor teórico. Assim que ao planejar os diferentes tipos de registros operacionais da organização, o especialista contábil passa a estabelecer também uma rede de controles internos para a empresa, a fim de contribuir com a exatidão dos registros, evitando erros e omissões, quer a segurança contra desvios ou fraudes.

“A contabilidade, como instrumento de controle empresarial, não pode ser eficiente se não oferecer á administração a possibilidade de advertir tempestivamente qualquer variação importante. A contabilidade deve também oferecer uma avaliação dos afastamentos dos valores padrão e uma determinação das possíveis causas de variação”. (RONCHI, 1969 :74)

Considerando que o campo de atuação da contabilidade inclui a implantação e pleno funcionamento de controles internos na empresa e levando em conta que a Auditoria avalia o grau de confiança na fidedignidade dos registros contábeis é imprescindível que toda esfera contábil tenha um controle eficaz destas informações.

Quanto mais racionais forem os controles das diversas operações da organização, e quanto mais rápido os dados possam chegar á contabilidade, tanto melhor será os resultados perante aos departamentos das organizações, por este motivo as empresas devem manter um sistema global de controles , a fim de contribuir para a lisura das informações, esse profissional responsável por assegurar que as informações seja evidenciadas da melhor maneira possível e que o seu conteúdo seja verdadeiro em algumas organizações recebe o nome de Controller.

Toda empresa precisa manter , alem das especificações de ordem técnica que regulam suas atividades operacionais, um serie de Manuais de Instruções quanto as rotinas que envolvem o setor, Administrativo, Econômico, Financeiro, esses manuais podem ser de: Instruções para compra, guarda e fornecimento de materiais, instruções de pagamento, instruções de movimento de caixa, instruções sobre faturamento e cobrança, instruções sobre exame periódico de estoque, etc....

“Para a auditoria , a existência de controles internos empresariais é fundamental. Caso os estoques não estejam submetidos a controles ,a manipulação de dinheiro e cheques não esteja subordinada a certas normas , os bens não se encontrem convenientemente inventariados e fiscalizados, o auditor não poderá examinar , testar, ou certificar coisa alguma. A rigor, o auditor só poderá executar seus serviços em uma entidade que mantenha um mínimo compatível de controles internos.” (FLORENTINO, 1987:18).

“Os controles contábeis fundamentais podem ser classificados como: Método contábil do duplo registro, plano de contas, fiscalização e supervisão permanente sobre registros contábeis, apuração, controle e listagem dos saldos, inventario físico, conciliações, setores especiais para detalhamento de saldos e para ajustes de conciliação”. (FLORENTINO, 1987:31).

Para que os controles internos possam ter um bom resultado há que se realizar alguns testes para avaliar a eficiência e eficácia do uso dos controles internos dentro da organização. Essa avaliação torna-se necessária não somente para que a diretoria da empresa possa ter certeza do grau de eficiência dos controles , mas também para que os auditores da empresa possam ter uma idéia bem concatenada da existência e da validade desses controles, para cada setor que se encontra dividida a empresa se fará uma inspeção preliminar que incluirá acompanhamento de algumas operações para verificar se estão de acordo com as pré-estabelecidas nos manuais, buscar arquivos e documentos, investigação em livros, e registros, no sentido de procurar conhecer os controles existentes nesses setores e avaliar sua eficiência de funcionamento.

Erros e Fraudes

E certo que os erros na maioria das vezes ocorrem pela conseqüência de um volume excessivo de operações a serem manipuladas por uma só pessoa, de ausência de controles de seqüência e outros controles básicos, e de falta de qualificação técnica e profissional do funcionário que cometeu os erros.

Diferente dos erros as fraudes são manipuladas ou preparadas para beneficiar o fraudador ou seja em próprio beneficio utilizando artifícios ilícitos para conseguir vantagem.

Segundo Florentino (1987) As fraudes podem ser cometidas:

• Por fornecedores ou terceiros contra a empresa

• Pelos próprios empregados da empresa em seu proveito próprio ou tentando beneficiar fornecedores ou clientes.

• Pela direção ou administração da empresa.

Em todos os casos sejam eles praticados contra ou a favor da empresa não diminui a culpabilidade de quem comete o ato fraudulento.

Dentro do departamento de tesouraria podemos destacar que os principais tipos de fraudes podem ser no setor de caixa e bancos, onde se situam principalmente na manipulação ou apropriação indébita de numerário, ou seja desvio de dinheiro ou depósitos bancários, desvio ou retenção de recebimentos, duplicidade de pagamentos, ou pagamentos indevidos, entre outros.

Por isso que uma organização que pratica o bom uso dos controles internos pode não evitar as fraudes, mas porem podem inibir e proporcionar amedrontamento e desestimular a intenção de fraudes dentro da organização, pois os controles estabelecem uma constante vigilância e os empregados ou terceiros sentem-se vigiados e controlados. Mesmo assim se uma fraude acontecer, sua identificação e apuração será detectada com rapidez, a tempo ainda de localizar os responsáveis e puni-los pelos atos fraudulentos.

Em se tratando de erros, e não fraudes o sistema de controles internos poderá contribuir para que os erros sejam corrigidos e atuar como forma de prevenção para que os mesmos não voltem a acontecer no futuro. Por isso o melhor sistema de proteção contra as fraudes reside em ter um sistema de controles internos eficiente para coibir á ação de possíveis fraudadores.

Auditoria

Segundo Florentino (1987) Podemos conceituar Auditoria da seguinte forma:

“Auditoria Contábil é um sistema permanente de atividades especializadas exercidas em uma entidade , compreendendo: o conhecimento das leis, normas ou costumes que regem as atividades da entidade ; a observação dos controles internos mantidos pela entidade; o exame dos registros contábeis e dos documentos de suas operações ; a verificação física dos bens ou valores da entidade; confirmação dos débitos e créditos de terceiros que transacionam com a entidade, com a finalidade de apurar: se as demonstrações contábeis expressam a realidade patrimonial da entidade e a realidade de suas relações com terceiros, se as operações da entidade foram conduzidas conforme as leis e normas vigentes, se os bens ou valores administrados pela entidade não sofreram fraudes, desvio ou extravios.”

Existem algumas diferenças entre auditorias internas e externas, se a auditoria e realizada pelos próprios funcionários da empresa estamos diante de uma auditoria interna, os auditores internos devem estar subordinados a mais alta autoridade da organização, sendo um erro subordiná-los ao tesoureiro, diretor financeiro, etc.., mesmo porque esses são fiscalizados pelos auditores o que pode influenciar num parecer redundante.

Algumas empresas tem a necessidade de prestar contas ao seus acionistas, por isso vêem a necessidade de contratar auditores independentes, que são os auditores que não fazem parte do quadro de funcionários, os auditores externos poderão aceitar ou aproveitar muitas tarefas que já foram executadas pelos auditores internos, para tanto os auditores externos verificarão a competência , a perfeição, e a imparcialidade que foram executados esses procedimentos junto a organização.

Para Florentino (1987) Para exercer a profissão de auditor são requeridas qualidades tais como: “competência, equilíbrio emotivo, integridade moral, paciência, habilidade de raciocínio, pesquisa e observação, honestidade, alto senso de julgamento, sigilo.”

“O auditor que não desempenhar bem suas funções , e que por desídia ou inoperância deixar de apurar ou apontar falhas , fraudes ou irregularidades, poderá ser penalizado por ação cível ou penal movida pelos acionistas, credores, fornecedores, clientes ou pessoas que se basearem em seus relatórios ou certificados para transacionar com a entidade auditoriada.” (FLORENTINO, 1987:143).

O Auditor deve manter uma imparcialidade e uma independência em relação a organização ou seja não pode ser parente dos diretores, não pode ser acionista ou empregado da empresa, não pode manter qualquer transação profissional( de outra área) ou comercial coma a empresa.

Segundo Gil (2000), são estas as Principais técnicas de procedimentos de auditoria.

- Exame físico de documentos.

Objetivos: Identificar situações de irregularidades em termos de documentos rasurados, ilegíveis, armazenamento de documentos em ambiente impróprio, etc..

- Contagem Física.

Objetivos: Garantir a existência dos ativos empresariais tais como; matéria-prima, instalações, produto acabado, moveis e utensílios, maquinas e equipamentos, etc...

- Comparação de Registros.

Objetivos: Correlacionar situações sob auditoria em termos de arquivos operacionais com arquivo contábeis, registro manuais com registros em computador, informação existente entre filia A e filial B.

- Analise de Registro.

Objetivos: Identificar a qualidade das informações existentes nas organizações em termos de lógica de armazenamento, etc...

- Observação de Procedimentos.

Objetivos: Determinar a adequacidade das atividades operacionais da dependência auditada., em termos de procedimentos em duplicidade, falta ou inexistência de procedimentos, etc...

- Aplicação de Questionário.

Objetivos: Direcionar o trabalho da auditoria via: Viabilizar a auditoria a distancia, facilitar a tabulação das respostas, etc...

- Realização de Entrevista.

Objetivos: Captar dos profissionais auditados, explicações acerca do funcionamento das dependências, sugestões para otimização operacionais, etc...

- Efetuar Circularizaçao.

Objetivos: Confirmar uma posição financeira, um conjunto de procedimentos operacionais ou em uma situação sob auditoria com o titular da posição ou profissional que estabeleceu o procedimento.

Tesouraria

A Tesouraria é uma das áreas mais importantes dentro de uma empresa , pois praticamente , todos os recursos financeiros que giram dentro da organização transitam por este departamento. Por isso sua relação esta de uma forma ou outra ligada direta ou indiretamente com os outros departamentos, pois e através do departamento de tesouraria que os demais departamentos conseguem os recursos necessários para dar andamento em seus projetos. Por ser um departamento de apoio sua principal função não é de gerar lucros mas sim de assegurar os recursos necessários para as atividades da organização,ou seja viabilização econômica de projetos, obtenção de recursos financeiros a custo adequado, e maximizar a rentabilidade das aplicações financeiras.

O Departamento de Tesouraria e composto por vários sistemas, entre eles se destacam os sistemas de Contas a Pagar responsável pelo controles de pagamentos a fornecedores, controlar cobranças bancarias, liberar duplicatas para pagamento, etc, Contas a Receber responsável por duplicatas a receber de Clientes,Controlar duplicatas em carteiras e cobranças bancarias, etc., Planejamento Financeiro responsável em elaborar á projeção de fluxo de caixa, estabelecer política de aplicação financeira, analise de investimentos e analise de financiamento, e Administração do Caixa responsável em controlar os recursos disponíveis em caixa e bancos, etc.. .

Segundo Hoji, “De modo geral , pode se dizer que a finalidade básica da Tesouraria é: assegurar os recursos e instrumentos financeiros necessários para a manutenção e viabilização dos negócios da empresa.” (HOJI, 2009:134).

“O Dinheiro , como é sobejamente sabido , exerce grande influencia no instinto de preservação , cobiça , ambição, das pessoas e a grande maioria das irregularidades a ele se relacionam. Além disso , o dinheiro entra praticamente em quase todas as transações....” (Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo, 1998: 51).

Certamente as principais fraudes que ocorrem dentro das organizações envolvem dinheiro, mas, não quer dizer que são exclusivamente ocorridas dentro da Tesouraria, na maioria dos casos ela se origina fora da tesouraria, pois uma eventual “falta de dinheiro” seria facilmente descoberto. Mas isso não quer dizer que o departamento de Tesouraria não deve manter um eficiente sistema de Controle Interno em suas operações a fim de evitar ocorrências de irregularidades , intencionais ou não.

Normalmente , os manuais de auditoria orientam para que haja uma perfeita segregação de funções entre as pessoas que fazem e as que contabilizam , este tipo de orientação começa a ser questionado pelas empresas que precisam enxugar no Maximo sua estrutura administrativa a fim de diminuir as suas despesas com pessoal, o que pode acarretar uma serie de outros gastos advindos de funções mau executadas, e possíveis retrabalhos nas execuções das mesmas.

Alguns exemplos de Controles Internos que podem ser utilizados dentro de um departamento de Tesouraria são:

• Fluxo de Caixa

• Disponibilidade

• Aplicações Financeiras

• Empréstimos e Financiamentos

• Contas a Receber

• Contas a Pagar

• Cheques devolvidos provindo de Clientes

• Tarifa Bancaria

• Documentos enviados pelo departamento de Contabilidade

Controladoria

A Controladoria enquanto ramo do conhecimento , é responsável pelo estabelecimento das bases teóricas e conceituais necessárias para a modelagem , construção e manutenção de Sistema de Informações Gerencias a fim de contribuir para que os Gestores possam ter informações precisas e corretas para a tomada de decisão.

Cabe a Controlodoria , por ser a uma área com visão ampla e possuidora de instrumentos adequados á promoção da otimização do todo, ou seja fazer com que a sua missão seja cumprida da melhor forma possível, assegurar a otimização do resultado econômico da organização, mas para que essa missão seja alcançada e tenha o sucesso esperado e preciso se atentar aos objetivos da Controladoria que são: Promoção da eficácia organizacional, viabilização da gestão econômica, promoção da integração das áreas de responsabilidade. Atingir estes objetivos significa a obtenção de resultados econômicos. Controladoria é segundo Guerrero, Catelli, Dornelles (1997: 3), “A gestão econômica, compreendidos pelo conjunto de decisões e ações orientadas por resultados desejados e mensurados segundo conceitos econômicos”.

A Controladoria deve gerir os sistemas de informações, definindo a base de dados que permita a organização da informação necessária a gestão, elaborando diversos modelos de decisão para os eventos econômicos , considerando as características físico-operacionais próprias da área para os gestores.

“A Controladoria , para ser eficaz em sua missão , é profundamente dependente da cultura organizacional vigente. Essa cultura organizacional tem sua gênese no subsistema institucional e, em função da missão , crenças , e valores, serão definidos o Modelo de Gestão que estabelece a maneira como a empresa será conduzida”. (CATELLI,2001:353).

3- Metodologia

A pesquisa caracterizou-se como descritiva .Segundo Gressler: “A pesquisa descritiva descreve, sistematicamente, fatos, características presentes em uma determinada população ou área de interesse [...]” (Gressler, 2004:54). Tendo-se utilizado o método quantitativo para a construção do instrumento de coleta de dados, que foram tratados com estatística descritiva simples. De acordo com Naresh, “Questionário e uma técnica estruturada para coleta de dados que consiste em uma serie de perguntas, escritas ou orais, que um entrevistado deve responder.” (Naresh, 2006: 290)

A população constituiu-se de funcionários que desempenham as funções nos departamentos de tesouraria das empresas pesquisadas. A amostra composta de 18 sujeitos, de um universo de 20, cada qual responsável pelo departamento de tesouraria de uma empresa, o que caracteriza um universo de 20 empresas pesquisadas, com a participação de 18 empresas em uma população de 20 pesquisadas, o que permitiu atender os requisitos para a realização de testes estatísticos. Destaca-se , no entanto que os resultado são validos apenas para a população de empresas analisadas, no município de Aparecida de Goiânia, empresas privadas.

4. Analise dos resultados

A analise dos dados foram feitas através do método quantitativo, com um questionário direcionado aos colaboradores internos que fazem parte dos respectivos departamentos de tesouraria de suas empresas. Onde se buscou entender junto às empresas pesquisadas se realmente a falta da auditoria e dos controles internos interfere no êxito dos processos financeiros e administrativos do departamento de tesouraria nas empresas de pequeno porte em Aparecida de Goiânia.

[pic]

Gráfico 1- A empresa utiliza alguma foram de controles internos no departamento de tesouraria?

A analise do Gráfico 1, evidenciam que 88 % da empresas pesquisadas não utilizam nenhuma forma de controles internos no departamento de tesouraria enquanto que apenas 12% das empresas utilizam alguma espécie de controle interno no departamento de tesouraria.

[pic]

Gráfico 2- Existe manual que auxilia no desenvolvimento das rotinas no departamento de tesouraria ?

A analise do Gráfico 2, mostra que 72% das empresas pesquisadas não tem nenhum modelo de manual que possa colaborar para com as rotinas no departamento de tesouraria, enquanto 28 % afirmam que a empresa em questão tem sim um manual que auxilia os mesmos nas rotinas do departamento.

[pic]

Gráfico 3- A falta de qualquer tipo de controle interno do departamento de tesouraria compromete o desenvolvimento eficaz do mesmo?

A analise do Gráfico 3, mostra que 50% das empresas pesquisadas acham que a falta de qualquer tipo de controle interno do departamento de tesouraria compromete o desenvolvimento eficaz do mesmo, e 50% acha que a falta de qualquer tipo de controle não interfere para que o departamento funcione de forma eficaz.

[pic]

Gráfico 4- A empresa já propôs alguma espécie de controle para o departamento de tesouraria?

A analise do Gráfico 4, mostra que 68% das empresas já proporão o uso de alguma espécie de controle interno para o departamento de tesouraria, e 32% não proporão nenhuma espécie de controle interno para o departamento.

[pic]

Gráfico 5- Você participou de algum treinamento para exercer a função no departamento de tesouraria?

A analise do Gráfico 5, mostra que 88% dos pesquisados dizem que participaram de treinamento para exercer a função no departamento de tesouraria, e 12% afirmam que não receberam treinamento nenhum para realizar as funções dos departamentos de tesouraria.

[pic]

Gráfico 6- Você tira férias do departamento de tesouraria rotineiramente?

A analise do Gráfico 6, mostra que 65% dos colaboradores que participaram da pesquisa dizem que não tiram férias rotineiramente, ou seja dentro do período exigido pelas leis trabalhistas, e 35% afirmam que tiram férias rotineiramente.

5- Considerações Finais.

Este artigo buscou analisar o quanto à Auditoria de Controle Interno é importante para as empresas. Buscou-se ainda entender ate que ponto a falta de auditoria de controles internos interferem no funcionamento dos processos internos do departamento de tesouraria das pequenas empresas de Aparecida de Goiânia.

No decorrer da pesquisa verificou-se o quanto a Auditoria de Controles Internos é importante para as organizações sejam elas de pequeno ou grande porte , a pesquisa colheu informações junto a um grupo de 20 empresas de pequeno porte em Aparecida de Goiânia cujo resultado nos mostrou que sem nem um tipo de processo de controles internos relacionados ao departamento de tesouraria, pode acontecer de alguns processos ficarem vulneráveis, e perder a fidedignidade, ou seja o êxito na informação. De ante do exposto e com base na pesquisa de coleta de dados concluímos que o objetivo geral do trabalho foi cumprido de analisar ate que ponto a falta de auditoria de controles internos interferem no funcionamento dos processos internos do departamento de tesouraria das pequenas empresas de Aparecida de Goiânia. Pois em um mercado cada dia mais competitivo e onde as informações podem ser um diferencial para o sucesso ou insucesso, devemos considerar que as informações para a tomada de decisão tendem a ser cada dia mais um fator determinante para o sucesso das organizações, principalmente sendo elas de cunho financeiro onde se destaca um dos principais pilares da estrutura de uma organização.

O tema relacionado à área de Auditoria de Controles Internos é um estudo que precisa ser mais explorado ficando o convite a outros pesquisadores que possam também trazer sua contribuição devido o fato de sua importância para as organizações e principalmente a contribuição que esses estudos podem trazer para ajudar a Contabilidade quanto a Administração.

Referencias Bibliográfica

ATTIE, William. Auditoria: conceitos e aplicações. São Paulo, Atlas, 1985

CATELLI, Armando, Controladoria: Uma Abordagem da gestão econômica, 2º ed. São Paulo , Atlas, 2001.

CATELLI, Armando, DORNELLES, João Aldemir,GUERREIRO, Reinaldo. A controladoria sob o enfoque GECON- gestão econômica: A experiência da Caixa Econômica Federal do Brasil. Trabalho apresentado a CONTHAB, Mar. 1997

CHIAVENATO, Idalberto , Introdução a Teoria Geral da Administração. 7º ed. Revista e atualizada,4 reimp. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003

FLORENTINO, Américo Matheus, Auditoria Contábil, 5º ed. Rio de Janeiro, Fundação Getulio Vargas, 1987.

GRESSLER, Lori Alice. Introdução à pesquisa: projetos e relatórios. 2 ed. São Paulo: Edições Loyola, 2004

GIL, Antonio Loureiro, Auditoria operacional e de gestão, 5º ed. São Paulo, Atlas, 2000.

HOJI, Masakazu, Administração financeira e orçamentária, 8º ed. São Paulo: Atlas, 2009.

NARESH, K. Malhorta. Pesquisa de Marketing uma orientação aplicada. 4º ed. Porto Alegre, Brookman, 2006

RONCHI, Luciano. Controle econômico e financeiro para a alta administração. Atlas, !969

Apêndices A

1- A empresa utiliza alguma forma de controles internos no departamento de tesouraria?

( ) Sim ( ) Não

2- Existem manuais que auxiliam no desenvolvimento das rotinas no departamento de tesouraria ?

( ) Sim ( ) Não

3- A falta de qualquer tipo de controle interno do departamento de tesouraria compromete o desenvolvimento eficaz do mesmo?

( ) Sim ( ) Não

4- A empresa já propôs alguma espécie de controle para o departamento de tesouraria?

( ) ( ) Não

5- Você participou de algum treinamento para exercer a função no departamento de tesouraria?

( ) Sim ( ) Não

6- Você tira férias do departamento de tesouraria rotineiramente?

( ) Sim ( ) Não

-----------------------

Não

Sim

72%

28%

12%

88%

Sim

Não