Trabalho Completo Auditoria

Auditoria

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Negócios

Enviado por: LEANDROCRISPIM 12 outubro 2012

Palavras: 3670 | Páginas: 15

TRABALHO DE AUDITORIA

RESUMO DOS CAÍTULOS

10, 11, 12 E 13

DO LIVRO

AUDITORIA CONTÁBIL

TEORIA E PRÁTICA

SILVIO APARECIDO CREPALDI

Capítulo 10

Planejamento da Auditoria

O auditor deve planejar seu trabalho de acordo com as Normas Profissionais de auditor independente.O planejamento deve considerar todos os fatores relevantes na execução dos trabalhos,especialmente os seguintes:o conhecimento detalhado das práticas contábeis adotadas pela entidade e as alterações procedidas em relação ao exercício anterior; o conhecimento detalhado do sistema contábil e de controles internos da entidade e seu grau de confiabilidade; os riscos de auditoria e identificação das áreas importantes da entidades,quer pelo volume de transações , quer pela complexidade de suas atividades; a natureza, a oportunidade e a extensão dos procedimentos de auditoria a serem aplicados; a existência de entidades associadas, filiais e partes relacionadas; o uso dos trabalhos de outros auditores independentes,especialistas e auditores internos; a natureza, o conteúdo e a oportunidades dos pareceres, relatórios e outros informes a serem entregues a entidade; a necessidade de atender a prazos estabelecidos por entidades reguladoras ou fiscalizadoras e para entidade prestar informações aos demais usuários externos.

O planejamento e os programas de trabalho devem ser revisados e atualizados sempre que novos fatos o recomendarem.As informações obtidas quando da avaliação dos serviços conforme previsto nas Normas Profissionais de Auditor independente,aprovadas pelo Conselho Federal de Contabilidade,devem servir de base,também,para elaboração do planejamento da auditoria,sendo esta etapa subseqüente aquela.

O auditor independente deve ter em conta que o planejamento de auditoria é um processo que se inicia na fase de avaliação para contratação dos serviços.Nesta etapa, devem ser levantadas as informações necessárias para conhecer o tipo da atividade da entidade, a sua complexidade a legislação aplicável, os relatórios, o parecer e outros informes a serem omitidos, para, assim, determinar a natureza do trabalho a ser executado. A conclusão do planejamento de auditoria só se dar quando o auditor independente completar os trabalhos preliminares.

As informações obtidas,preliminarmente, para fins de elaboração da proposta de serviços, juntamente com as levantadas para fins do planejamento da auditoria, devem compor a documentação comprobatória de que o auditor executou estas etapas de acordo com as normas de auditoria independente das demonstrações contábeis.

Os principais objetivos do planejamento da auditoria são: obter conhecimentos das atividades da entidade;propiciar o cumprimento dos serviços contratado;assegurar que as áreas importantes da entidade e os valores relevantes contidos em suas demonstrações contábeis recebam a atenção requerida;buscar a coordenação do trabalho a ser efetuado por auditores internos.

Para elaborar o planejamento de auditoria são necessários algumas informações e condições: conhecimento das atividades da entidade;fatores econômicos,lesgislação aplicável,práticas operacionais,competência da administração,práticas contábeis,sistema contábil,sistema de controle interno e volume de transações.

O planejamento deve conter seguintes elementos: cronograma,procedimentos de auditoria,relevância e planejamento,riscos de auditoria,pessoal designado,épocas oportunas dos trabalhos,supervisão e revisão.

A realização de uma primeira auditoria em uma entidade requer alguns cuidados especiais da parte do auditor independente,podendo ocorrer três situações básicas: quando a entidade nunca foi auditada,quando a entidade for auditada no período imediatamente anterior,quando a entidade não foi auditada no período imediatamente anterior.

O auditor deve examinar e confrontar os saldos de abertura com os registro contábeis dos saldos das contas do ativo,passivo e patrimônio liquido.

Com objetivo de avaliar a observância dos princípios fundamentais, o auditor independente deve preceder à revisão dos procedimentos contábeis adotados pela entidade no exercício anterior e naquele a ser auditado.

A comparabilidade das demonstrações contábeis de dois exercícios depende dos procedimentos contábeis uniformes adotados.

Quando o auditor independente estiver realizando uma primeira auditoria numa entidade e constatar situações que caracterizem como relevantes eventos subseqüentes ao exercício anterior, deve, imediatamente, discuti –las com a administração da entidade.

A preparação de um plano de auditoria para um serviço contratado tem em vista a primeira norma de execução de trabalho de campo.Ainda que a redação do plano de auditoria fique a cargo de qualquer outra pessoa, a responsabilidade básica por sua preparação cabe ao gerente encarregado ou ao sócio, se não houver gerente designado.

A maneira mais fácil de preparar um plano de auditoria é escrevê-lo no término dos trabalhos.Nessa ocasião, todos os fatos de números são definitivos e não haverá quaisquer duvidas sobre os detalhes do plano que foi seguido.Esse procedimento, todavia é altamente indesejável, pois anula a finalidade de preparar um plano de auditoria.O plano de vê ser preparado antes, e não depois, de terminados os trabalhos.

Os meios de prova e planejamento de auditoria são: adquirir conhecimentos sobre a empresa auditada, planejar maior volume de horas nas auditorias preliminares, obter uma maior cooperação do pessoal da empresa, determinar os testes detalhados de auditoria, identificação prévia de problemas.

Antes de iniciar qualquer trabalho de auditoria, convém ter preparado um programa de auditoria que é um rol de medidas de verificação a serem aplicadas, expostas de forma tal que as inter-relações de um procedimento com outro estejam claramente demonstradas.

Durante a execução do trabalho, o auditor deve estar atento para qual a melhor forma de obtenção das provas necessárias ao seu trabalho, captando informações consideradas validas e satisfatórias e avaliando de imediato todas as provas e informações obtidas no transcorrer de seu trabalho.

Os principais procedimentos da auditoria são: providências para reunião com a gerencia da empresa, planejamento das horas.

Capítulo 11

Programas de Auditoria para contas de Ativos

Determinar se foram utilizados os princípios fundamentais de contabilidade, em bases uniformes

• determinar se está corretamente classificado nas demonstrações contábeis e se as divulgações foram expostas por notas explicativas

• apurar se realmente existem todas as disponibilidades mencionadas no balanço

• assegurar-se de que existem todas as disponibiiidades que deveriam existir

Assegurar-se de que os títulos negociáveis e as inversões financeiras existem realmente e são propriedade da empresa em exame

• assegurar-se, de que todos os rendimentos produzidos foram devidamente recebidos e contabilizados

• apurar se as contas a receber de cliente são autênticas e se têm origem em transação relacionada com vendas

Apurar se os valores apresentados são efetivamente realizáveis

• assegurar-se de que os estoques existem fisicamente e são de propriedade da empresa auditada

• determinar se os estoques são apropriados para sua finalidade e se têm

Condições de realização

– verificar se há obsolescências, problemas de conservação etc

• examinar os critérios de avaliação e a adequação desses critérios, tendo em vista dos princípios fundamentais de contabilidade e a correção dos cálculos

Verificar a existência e propriedade dos procedimentos aplicados a investimentos relevantes

• constatar a existência, posse e propriedade dos bens imobilizados

• examinar a adequação de contabilização

– dos custos

– da correção e depreciação do imobilizado

– sua classificação contábil

– consideradas a natureza, vida útil e utilização dos mesmos

PLANEJAMENTO DE AUDITORIA

– o objetivo global de um exame de auditoria é dar aos auditores provas suficientes para fundamentar seu parecer sobre as demonstrações financeiras, em

Sua totalidade

OBJETIVOS E PROCEDIMENTOS

– OS OBJETIVOS DE AUDITORIA

• EXISTÊNCIA

• AVALIAÇÃO

• AUTORIZAÇÃO

• PROPRIEDADE

• RESTRIÇÕES

• EXATIDÃO DE VALORES

• APRESENTAÇÃO NAS DEMONSTRAÇÕES

AUDITORIA DAS DISPONIBILIDADES

• os procedimentos devem ser definidos em função dos objetivos do auditor

• uma vez que o caixa é considerado um bem que envolve grande risco e relativa mente difícil de ser

Controlado

– os procedimentos de auditoria a ele destinados tendem a ser mais extensos e mais detalhados que as outras áreas

OBJETIVOS ESPECÍFICOS DE AUDITORIA

– VERIFICAÇÃO DA EXISTÊNCIA

– DA PROPRIEDADE

– DA EXATIDÃO DOS VALORES

– A DESCOBERTA DE EVENTUAIS RESTRIÇÕES

– A DETERMINAÇÃO E APRESENTAÇÃO FIDEDIGNA NAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

DESFALQUES NO CAIXA

– o número de métodos criados para se dar desfalques no caixa talvez só seja igualado pelo número de pessoas que tentaram até hoje dar Desfalques

DESFALQUES NO CAIXA HÁ DOIS TIPOS COMUNS DE DESFALQUES

– LAPPING (ENRROLAR)

• se faz com cobranças de contas a receber

• consiste em desviar os resultados de cobranças, substituindo-se o montante desviados por cobranças Posteriores

DESFALQUES NO CAIXA

KITING (FLUTUANTE)

• é um tipo de desfalque de caixa que envolve os desembolsos aí feitos

• é um sistema de encobrir faltas de dinheiro com transferências, em cheques, não registradas

TIPOS DE ERROS NAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS X TESTES

– existência, direitos, integridade

• confirmação de saldos

• testes de reconciliação

• revisão das transferências

– apresentação e divulgação

• pesquisa de restrições

CONTROLES INTERNOS DISPONIBILIDADES

• estrutura organizacional

– segregação das funções entre tesouraria e contabilidade

– definição clara e por escrito das responsabilidades

• manejo de fundos

– politica oara aplicação de excedentes

– preparação de previsões de pagamentos e recebimentos

– análise do realizado x previsto

FUNDOS DE CAIXA

– medidas de segurança e proteção

– restrição de acesso

– contagens periódicas por pessoa independente da função

COBRANÇA

– controle de emissão de recibos

– exame dos descontos

– depósitos dos recebimentos

– controle dos cheques depositados

– segregação das funções de controle físico x contábil

PAGAMENTOS COM CHEQUE

– autorizações

– dupla assinatura

– comunicação com banco na demissão de empregado

– controle dos cancelamentos

– controle das emissões

PAGAMENTOS EM DINHEIRO

– limites para pagamento em dinheiro

- fundo fixo para pequenos pagamentos

– autorizações e controle de vales

• data e objeto do vale

• assinatura do recebedor

• valor por extenso

AVISOS/CONTAS BANCÁRIAS

– recebimento por empregado alheio às atividades de caixa

– revisão e conciliação periódica

• regulares e feitas por pessoas que não tomam parte da operação de emissão de cheques

– sistema de comunicação como banco

– evitar débitos automáticos

– atenção redobrada ao acesso via internet

AUDITORIA DE CONTAS A RECEBER

• verificação da propriedade

– existência real e a exatidão dos valores

– determinação da rentabilidade da cobrança

– descoberta de quaisquer ônus referentes às contas a receber

– determinação da melhor forma de apresentaçao das demonstraçoes financeiras

EVIDÊNCIAS EXTERNAS – CONFIRMAÇÃO

– confirmação direta do débito com o devedor

– o auditor pode usar um pedido de confirmação

• positivo

– pede-se ao devedor que responda se a informação constante do pedido é correta ou incorreta.

– se for incorreta, o devedor deverá apontar o erro

• negativo

– solicita-se ao devedor que responda apenas se

A informação está errada

EVIDÊNCIA INTERNA

– teste dos registros contábeis e exame da documentação hábil

• procedimentos analíticos

– analisar, pelos vencimentos, os saldos de contas a receber

• controle interno

– segregação de tarefas

– autorizações e procedimentos de fatura mento

PDD

– identificação dos métodos utilizados

– identificação das provisões

– avaliação dos valores

TIPOS DE ERROS X TESTES

– existência/direitos

• circularização

• análise

– integridade

• vendas x recebimentos de caixa

– valorização

• avaliação das provisões

– apresentação/divulgação

• revisão das d.f.

• requisitos dos principios contábeis

AUDITORIA INTERNA CONTAS A RECEBER

• controles gerenciais

– existência de análise de índices, tendências e idade dos saldos

– existência de análise de risco de crédito

• rating

• crédit score

– análise de transações anormais

CONTROLES ADMINISTRATIVOS

– sistema de aprovação de crédito

– cálculo de limites

– existência de politicas de crédito

– alçadas

– baixa e aprovação de pdd

CONTROLES INDEPENDENTES

– quem faz a conciliação entre o diário auxiliar clientes x controles contábeis

– quem confere a idade dos saldos ?

– quem certifica que todas as vendas foram recebidas ?

CONTROLES DE FLUXO

– qual o modelo de concessão de crédito?

– como é feita a conciliação entre recebimento e entrega de produtos?

– quais os procedimentos que eram cobrança de duplicatas?

– quais os documentos internos evidenciam que a duplicata foi cobrada e que o valor da cobrança foi depositado ?

AUDITORIA DE ESTOQUES

• determinação de que há controle sobre os estoques

• verificação da real propriedade do estoque

• determinação da quantidade de estoque em movimentação

• averiguação e certeza de que o cliente atribui preço (custo) adequado a seu estoque

• determinação se há ônus sobre o estoque

• determinação da possibilidade de venda do estoque existente

• determinação da forma correta de apresentação do estoque nas demonstrações financeiras

OBSERVAÇÃO DO ESTOQUE

– procedimento que ajuda os auditores a atingirem vários objetivos

• relativos à propriedade

• quantidades

• existência real

• possibilidade de venda

– a observação efetiva do estoque deve dar ao auditor a certeza com relação às características

• físicas

• qualitativas

• quantitativas

– procedimento que ajuda os auditores a atingirem vários objetivos

• relativos à propriedade

– estamos seguros de que os estoques são de propriedade do cliente

• quantidades

– estamos seguros de que os inventários representam estoques reais

• existência real/condições de uso

– estamos seguros de que não existem itens obsoletos

– estamos seguros da existência dos itens

• possibilidade de venda

• avaliação

– os estoque foram avaliados conforme os principios contábeis

PROCEDIMENTOS DA EMPRESA

– antes de iniciar a contagem física dos estoques

• a empresa deve dar instruções específicas a todos os empregados sobre o que fazer durante a contagem física

– cabe ao auditor

• verificar a contagem de estoque

• com base nos testes

• determinar, em geral as providências para que os resultados sejam exatos

TIPOS DE ERROS X TESTES

– existência/direitos/integridade

• observação da contagem física e confronto com listagem do inventário

• confirmação de estoques em poder de terceiros

• testes de somas e cálculos

– valorização

• revisão do métodos utilizados (peps/pmp)

– apresentação

• revisão das demonstrações financeiras

• revisão dos contratos

– empréstimos

– caução

– consignação

SEGREGAÇÃO DE FUNÇÕES

– quem vende não separa

– quem entrega não vende

– quem contabiliza não vende e não entrega

– o pessoal encarregado de efetuar a Contagem física possui funções independentes ?

• escrituração

• compras, recepção, fabricação, expedição

• armazenagem

AUDITORIA DO IMOBILIZADO

• determinar sua existência física e a permanência em uso

• determinar se pertence à empresa

• determinar se foram utilizados os princípios fundamentais de contabilidade

• determinar se o imobilizado não contém despesas capitalizadas e, por outro lado, as despesas não contém itens capitalizáveis

• determinar se os bens do imobilizado foram adequadamente depreciados monetariamente em bases aceitáveis

• determinar a existência de imobilizado penhorado dado em garantia ou com restriçao de uso

CAMPO DE EXAME

– compreende os direitos que tenham por objeto bens destinados à manutenção das atividades da empresa, ou exercidos com essa finalidade, inclusive os de propriedade industrial ou comercial

– estão igualmente incluídas no campo de exame as contas retificadoras do ativo imobilizado que digam respeito

• amortização

• depreciação

• exaustão

REVISÃO DO CONTROLE INTERNO

– contagens físicas periódicas

– balancete periódico entre as fichas individuais do imobilizado com os registros contábeis

– sistema de autorização para aquisições e vendas de bens do imobilizado

– sistema de comunicação para os casos de transferências, obsolecência ou baixas de bens do imobilizado

– limites de capitalização quanto a valores e tempo de vida útil

– segregação de funções entre o setor de compras e recepção dos bens

PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA

– EXAME FÍSICO

– CONFIRMAÇÃO

– DOCUMENTOS ORIGINAIS

– CÁLCULO

– ESCRITURAÇÃO

– INVESTIGAÇÃO

– INQUÉRITO

– REGISTROS AUXILIARES

– CORRELAÇÃO

– OBSERVAÇÃO

ERROS X TESTES

– Existência / direitos / integridade

• revisão das normas da empresa

• testes de existência e propriedade

– valorização

• análise das depreciações

• análise dos impactos econômicos

– apresentação

• revisão de hipotecas e garantias

• verificação de operações de

Leasing/arrendamento mercantil

AUDITORIA DE INVESTIMENTOS

• determinar

- a existência de um sistema adequado de controle interno sobre investimentos e lucros deles decorrentes

– que os investimentos apresentados nos registros realmente existem e são de propriedade da empresa

– a avaliação adequada para os investimentos e de apresentação correta dos mesmos nas demonstrações financeiras

– a descoberta e divulgação de eventuais ônus sobre os investimentos

– registro adequado de resultados e de receitas com investimentos

EXAME E CONFIRMAÇÃO

– quando há títulos envolvidos, considera- se boa prática o auditor examiná-los e confrontá-los com a contagem feita pela empresa

– se esse procedimento for impraticável, uma alternativa pode ser a confirmação om o encarregado externo da custódia dos bens

PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO

– Os investimentos, em geral, são apresentados nas demonstrações financeiras pelo custo ou pelo preço de Mercado, o que for mais baixo

– no caso em que o investidor exerce algum controle sobre a investida, recomenda-se o método da participação proporcional no patrimônio líquido

• equivalência patrimonial

– quando se trata de empresas submetidas a regulamentação especial, os investimentos são apresentados pelo Valõr de mercado

AUDITORIA DO DIFERIDO

• Determinar

– se as contas refletem os critérios de diferimento

• despesas pré-operacionais

• gastos com pesquisas

• despesas de reorganização

EXAME E CONFIRMAÇÃO

– identificação dos saldos iniciais

– identificação das amortizações do período

– confirmação dos cálculos

Capítulo 12

Programas de Auditoria para contas de Passivos

O auditor estabelece a importância das contas passivas, a serem testadas, verificando se todas as dívidas da empresa foram devidamente registradas na contabilidade.

Obrigações Passivo Circulante:

Empréstimos a pagar, Fornecedores de mercadorias, Impostos a recolher, Salários a pagar, Outras obrigações e Provisões.

Os principais erros no passivo circulante decorrem :

Subavaliação do passivo: Esconder situação de dificuldade financeira

Superavaliação do Passivo: Aumentar o capital de Terceiros, prejudicando credores e sócios

Valores Fictícios: Dividas inexistente

Valores ocultos: beneficiar a situação financeira, afeta o Imposto de Renda

Simulação: Classificar divida de curto prazo, como longo prazo

Para encontrar estes erros utiliza-se de um programa de auditoria:

Fornecedor: Verificar se todas aquisições a prazo foram contabilizadas

IR: Verificar se a despesa com IR foi contabilizada no exercício social

Salários a pagar: analisar o saldo das contas com o razão geral da contabilidade

Descontos em Encargos: Confrontar os valores das folhas de registros de empregados

Provisões: Verificar se as provisões foram feitas de acordo com a legislação vigente

Os objetivos desse programa de auditoria, além de verificar os erros, também verificam se existe controle interno, determinar a razoabilidade e a propriedade, certificar-se de que não há item algum sem registro e determinar se os itens são corretamente apresentados.

Auditor ia para empréstimos e financiamento circulantes e não circulante

Objetivos deste programa :

As obrigações e passivos foram corretamente descritas

Os respectivos encargos são corretamente contabilizados de acordo com os princípios fundamentais da contabilidade.

Tipos de erros

Contas a pagar:

Existências/ Obrigações: Representam passivos relacionados a aquisição de matérias e serviços

Integridade: Incluem todas as importâncias a pagar corretamente pela entidade

Apresentação e Divulgação: Devida a divulgação relativa a esses valores foram feitas

Passivos acumulados:

Existências / Obrigações: Representam obrigações por recursos e serviços adquiridos

Integridade / Valorização: Todas as importâncias devidas pela entidade

Apresentação e Divulgação: Se estão corretamente descritos e classificados

Empréstimos e Outras Dívidas:

Existências / Obrigações: Representam passivos validos da entidade

Integridade: Todas as dívidas por empréstimos

Existência / Integridade: Se as clausulas contratuais e obrigações “extras balanços” foram identificadas e consideradas

Apresentação e Divulgação: Se os empréstimos e outras dividas estão corretamente descritos e classificados

Imposto de Renda

Existência / Direito e Obrigações/ Valorização: As obrigações registradas relativas a IR representam impostos a pagar e foram corretamente registradas

Integridade: Se IR incluem todos os impostos a pagar

Ocorrência/ Valorização: Se a provisão para IR é adequada mas não excessiva

Integridade/ Valorização: Se a locação de impostos foi corretamente registrada

Apresentação e Divulgação: Se o IR esta corretamente apresentado e divulgado

Quando o auditor independente encontrar algum erro ele deve obter evidencias para os tais erros: período em que foram gerados, o grau de probabilidade de um resultado favorável/ desfavorável.

Os seguintes procedimentos devem ser executados pelo auditor independente com respeito aos passivos não registrados e as contingencias.

Indagar e discutir com a administração a respeito das polícas dos procedimentos adotados.

Obter formalmente da administração uma descrição das contingências na data de encerramento das demonstrações contábeis e para o período que abrangem

Examinar os documentos em poder do cliente vinculado aos passivos

Obter representação formal da administração, contendo: a lista de consultores ou assessores jurídicos que cuidam do assunto e representação de todas as contingências potenciais ou ainda não formalizadas.

Caso considerem necessário o auditor baseado nas informações obtidas dos consultores jurídicos tendo em vista eventuais incertezas e relevância do assunto deve solicitar administração a opinião de outro consultor jurídico independente.

Outros procedimentos consultados para propósitos diferentes que também podem fornecer informações sobre passivos não registrados e contingentes

Leituras de atas de reuniões

Leituras de contratos

Obtenções de informações relativas a garantias de empréstimos ou financiamentos

Leitura do livro fiscal – termos de ocorrências

Leitura ou exame de qualquer outro documento

Capítulo 13

Programas de Auditoria para contas do Patrimônio Líquido

O patrimônio Liquido representa a parcela dos Ativos financiada pelos acionistas. Ele é composto dos seguintes grupos de contas: Capital Social, Reserva de Capital, Ajustes de avaliação patrimonial e reservas de Lucro.

O valor contábil do patrimônio liquido(PL) corresponde à diferença entre o ativo e o

passivo, assim considerando, após conclusão da auditoria do ativo e passivo estaria também concluída a auditoria do PL. No entanto é preciso ainda verificar as regularidades quanto aos formalismos legais e estatutários além de verificar também a regularidade de cada parcela em que se divide o patrimônio líquido conforme a lei 6404/76.

Objetivos da auditoria do PL

Os principais objetivos da auditoria do PL são: determinar se as ações ou o titulo de propriedade do capital social foram adequadamente autorizados e emitidos; determinar se todas as normas descritas nos estatutos sociais, as obrigações sociais e legais foram cumpridas; determinar se foram, utilizados os princípios de contabilidade geralmente aceitos; determinar a existência de restrições de uso das contas patrimoniais; determinar se o patrimônio liquido está corretamente classificado nas demonstrações financeiras, se as divulgações cabíveis foram expostas por notas explicativas.

Revisão do controle interno

Assim como para as outras contas patrimoniais deve-se avaliar o controle interno

aplicado a esta área. Segundo Hilário Franco este abrange a regularidade e tempestividade das publicações obrigatórias, o arquivamento no registro de comércio, a regularidade da escrituração dos livros societários, e emissão dos títulos representativos das ações, a guarda dos títulos não preenchidos, o controle e guarda das ações em tesouraria, a organização do arquivo das publicações efetuadas e outras correlatas.Exemplos de controle interno utilizados:

• segregação de funções entre a guarda física das cautelas e pessoas autorizadas a assinar;

• decisões importantes aprovadas por assembléias ou atas de reuniões da diretoria;

• assinatura de cheques para pagamentos de dividendos por duas pessoas independentes;

• sistema de autorização e aprovação para desdobramento de cautelas;

• segregação de funções entre o departamento de ações e a contabilidade.

Procedimento de auditoria

De acordo com a avaliação do controle interno o auditor determina a extensão e profundidade de seus testes e os procedimentos que deverão se utilizados. São exemplos de procedimentos:

a: Exame físico: contagem das cautelas em branco e confirmação dos canhotos de cautela emitidos.

b: Confirmação: confirmação da participação acionária, confirmação de advogados sobre aspectos legais e societários ou quaisquer passivos que possam afetar o patrimônio líquido.

c: Documentos originais: exame documental das cautelas emitidas, rasgadas, desdobradas, exame das atas de assembléias e reuniões, exames de arquivos na junta comercial, exame dos estatutos sociais.

d: Cálculos: cálculo da reserva legal, cálculo de participação a partes beneficiárias, cálculo da distribuição de dividendos.

e: Escrituração: exame da conta de razão de lucros suspensos, exame de conta de razão de reserva legal, exame de conta de razão de reserva de contingência.

f: Investigação: exame detalhado de desdobramento de cautelas, exame minucioso dos dividendos distribuídos, exame das aprovações de alterações de capital.

g: Inquérito: inquérito quanto a tendência de mudanças dos negócios da companhia, inquérito quanto a possíveis mudanças acionárias, inquérito quanto a possíveis aumento de capital.

h: Registros auxiliares: exame de razão das reservas de capital, exame do razão analítico das reservas de lucros.

i: Correlação: relacionamento da reserva legal como resultado do exercício.

j: Observação: classificação adequada das contas, observação aos princípios de contabilidade.

Nesse enfoque, foram apresentados os principais procedimentos utilizados na auditoria do patrimônio líquido. Percebeu-se que, ao auditar-se o ao patrimônio líquido, o objetivo principal é verificar a obediência não apenas às determinações legais, mas também às determinações estatutárias.

ALUNOS RESPONSÁVEIS

41777 - ADELINE KOSCHEL XAVIER DE ANDRADE

62836 - ANGELICA OLIVEIRA GUIMARAES PEREIRA

63808 - CLELCIO ADRIANO DE ALMEIDA

63805 - LEANDRO DO NASCIMENTO CRISPIM DE JESUS

62496 - CAMILA COLOMBARI LUIZON

64401 - UDSON BARRETO DOS SANTOS

64029 - VICTOR AUGUSTO COSTA

70531 – CESAR NOGUEIRA