Trabalho Completo BALANÇO PATRIMONIAL, ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS E ÍNDICES DE LIQUIDEZ

BALANÇO PATRIMONIAL, ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS E ÍNDICES DE LIQUIDEZ

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Outras

Enviado por: KellyMotta 15 setembro 2013

Palavras: 2258 | Páginas: 10

BALANÇO PATRIMONIAL, ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS E ÍNDICES DE LIQUIDEZ

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO 3

1 Balanço Patrimonial 4

2 Origem e Aplicação dos Recursos 5

OPINIÃO DO GRUPO 10

CONCLUSÃO 11

INTRODUÇÃO

Este trabalho de contabilidade apresenta um estudo destacando o que é um balanço patrimonial, o que são as origens e aplicações de recursos e o que são os índices de liquidez.

São objetivos gerais deste estudo, reconhecer as relações entre conceito e aplicação à prática do conteúdo e proporcionar experiências de aprendizagem.

São objetivos específicos visados no estudo da contabilidade, entender como funciona e como são aplicados os conceitos na prática.

Deve-se reconhecer como contribuições deste estudo, uma experiência que nos proporcionou um grande aprendizado, pois conseguimos visualizar a aplicação da contabilidade, em como se monta um balanço patrimonial, quais são suas origens e aplicações de recursos e também apurar os índices de liquidez, analisando um à um.

Para fundamentar este trabalho, foi empregado pesquisa bibliográfica e também dados e valores em reais para montar o balanço, proporcionados pelo próprio professor.

O balanço patrimonial é uma ferramenta importante nos relatórios contábeis.

O patrimônio da empresa é representado pelo balanço patrimonial, em um gráfico de dois lados. O lado direito fica o passivo onde mostra a origem de Capitais, isto é, como a empresa consegue os recursos que possui, e o ativo mostra o que a empresa aplicou os recursos originados.

E os índices de liquidez englobam o relacionamento entre contas do balanço patrimonial mostrando a capacidade da empresa em pagar seus compromissos e dívidas, principalmente às de curto prazo. Sendo que todo conteúdo complementam a demonstração contábil.

DESENVOLVIMENTO

1 Balanço Patrimonial

Balanço Patrimonial é uma ferramenta importante nos relatórios contábeis. É através dele podemos observar a situação patrimonial e financeira da empresa. E seus números refletem a situação da empresa em um momento específico.

A Estrutura do Balanço Patrimonial é ativo, passivo e patrimônio líquido.

O ativo é os recursos de valor sobre os quais a empresa tem direito de uso, recurso sobre o controle da empresa capaz de gerar benefícios futuros, como o caixa.

O Passivo é o capital de terceiros, está representado pela empresa, são os compromissos que ela tem contra seus recursos ou ativos. Esses terceiros fornecem recursos para a organização e esperam ser pagos. O Passivo é como o compromisso da organização relativo a eventos já ocorridos e que resultam em consumos de seus ativos.

O Patrimônio Líquido é o grupo de elementos patrimoniais que juntamente com os Bens, os Direitos e as Obrigações, completarão a demonstração contábil denominada.

1-R: Elaboração do Balanço Patrimonial

BALANÇO PATRIMONIAL

1 ATIVO 2 PASSIVO

10 Ativo Circulante 20 Passivo Circulante

10.1 Caixa R$ 463,00 20.1 Fornecedores a Pagar R$ 4.500,00

10.2 Bancos R$ 15.000,00 20.2 Salários a Pagar R$ 5.000,00

10.3 Estoque R$ 5.567,00 20.3 Impostos a Recolher R$ 1.500,00

10.4 Impostos a Recuperar R$ 3.461,00 20.4 Duplicatas a Pagar R$ 1.900,00

10.5 Duplicatas a Receber R$ 1.007,00

10.6 Outras Contas a Receber R$ 1.700,00

Total R$ 27.198,00 Total R$ 12.900,00

11 Ativo Realizável a Longo Prazo 21 Passivo Exigível a Longo Prazo

11.1 Duplicatas a Receber R$ 4.500,00 21.1 Contas a Pagar R$ 7.000,00

11.2 Outras Contas a Receber R$ 4.000,00 21.2 Outras Contas a Pagar R$ 4.000,00

Total R$ 8.500,00 Total R$ 11.000,00

12 Ativo Permanente 22 Patrimônio Líquido

12.1 Investimentos R$ 6.000,00 22.1 Capital R$ 25.000,00

12.2 Imobilizados R$ 15.500,00 22.2 Reservas de Capital R$ 5.000,00

12.3 Instalações R$ 1.500,00 22.3 Lucro R$ 4.798,00

Total R$ 23.000,00 Total R$ 34.798,00

Total do Ativo R$ 58.698,00 Total do Passivo R$ 58.698,00

2 Origem e Aplicação dos Recursos

O patrimônio da empresa é representado pelo Balanço Patrimonial em um gráfico de dois lados. O lado direito fica o passivo onde mostra a Origem de Capitais, isto é, como a empresa conseguiu os recursos que possui; e o ativo mostra a Aplicação de Capitais; isto é, em que a empresa aplicou os recursos originados.

Passivo: Origem dos Recursos

O lado do passivo é representado por dois grupos de elementos patrimoniais: as obrigações e o patrimônio líquido.

• Obrigações: correspondem á parte do Patrimônio que a empresa deve a terceiros. Por isso, são também chamadas de Capitais de Terceiros.

No desenvolvimento normal de suas atividades, uma empresa efetua diariamente uma série de operações que poderão acarretar obrigações, as quais serão representadas por duplicatas a pagar, promissórias a pagar, etc. Essas obrigações terão de ser pagas a fornecedores, empregados, governo, bancos, etc.

• Patrimônio Líquido: é a parte do patrimônio que pertence ao proprietário da empresa. São os Capitais Próprios, que podem se originar de duas fontes:

1° Recursos do Proprietário: é o caso do Capital Inicial e dos aumentos posteriores, quanto esses aumentos forem efetuados com recursos do proprietário, oriundos de fora da empresa.

2° Evolução normal da empresa: a gestão do patrimônio gera acréscimos no Patrimônio Líquido, em decorrência dos lucros apurados. Esses lucros poderão estar representados em contas de reservas.

Ativo: Aplicação dos Recursos

O lado do ativo é representado por dois grupos de elementos patrimoniais: Bens e Direitos

Os Capitais Próprios e de Terceiros, cujas origens são demonstradas mediante os elementos que compõem o Passivo, são aplicados na empresa em Bens e Direitos, conforme mostram os elementos que compõem o ativo. Portanto, os recursos que a empresa utilizou para ter no seu ativo, os Bens e direitos foram obtidos conforme mostram os elementos do passivo.

2-R:As origens e Aplicações dos Recursos

• Origens

- Obrigações= Capital de terceiros= R$ 23.000,00

- Patrimônio líquido= Capitais próprios= R$ 34.798,00

• Aplicações dos Recursos

- Bens e direitos= Aplicação de capitais= R$ 58.698,00

3 Índices de liquidez

Os índices de liquidez englobam o relacionamento entre contas do Balanço Patrimonial mostrando a capacidade da empresa em pagar seus compromissos e dívidas, principalmente às de curto prazo. Os principais quocientes são os de liquidez corrente, seca, imediata e geral.

Índice de liquidez corrente = Ativo circulante

Passivo Circulante

3-R: Apuração do índice (ILC)

Índice de Liquidez Corrente (ILC):

AC 27.198,00 = 2,10.

PC 12.900,00

4-R: Análise do índice (ILC)

No curto prazo, para cada R$ 1,00 de dívida teremos R$ 2,10 para saldar as obrigações, pois podemos visualizar que a realidade da empresa é muito boa.

Esse quociente mostra a capacidade de pagamento da empresa no curto prazo, ou seja, a capacidade de a empresa honrar suas obrigações vencíveis no exercício seguinte ao do encerramento do Balanço.

O Índice de liquidez corrente, isolamento, pode ser considerado favorável quando for superior a 1. Índices inferiores a 1 revelam a curto prazo insuficiência de fundos para o pagamento das obrigações. Entretanto, é preciso ter muita cautela ao avaliar o significado real desse quociente, levando – se em conta as seguintes observações:

• O ativo circulante engloba itens como disponibilidades, contas a receber, estoques e despesas pagas antecipadamente, cujo grau de conversão em caixa pode ser muito variado.

• A presença de estoques no numerador pode diminuir a validade do quociente como indicador de liquidez caso os estoques levem, por exemplo, em média, 90 dias para ser vendidos. É preciso verificar se os estoques não estão superavaliados ou até mesmo obsoletos.

• No caso de contas a receber, a empresa pode demorar 60 dias para receber suas vendas a prazo, além de se considerar o risco associado à ocorrência de inadimplência.

• É preciso tomar cuidado com o possível descasamento dos vencimentos do conta a receber, do lado do ativo circulante, com os vencimentos do contas a pagar, do lado do passivo circulante, uma vez que o índice de liquidez corrente em si não evidencia a sincronização entre recebimentos e pagamentos. Uma empresa com índice aparentemente bom, igual a 3,0, pode apresentar problemas de liquidez caso a maior parte de suas obrigações vençam nos primeiros 30 dias, ao passo que os recebimentos estejam concentrados nos próximos 70 dias.

• A diminuição de índice de liquidez corrente não apresenta necessariamente perda da capacidade de a empresa pagar as dívidas de curto prazo, pois pode significar um gerenciamento mais eficiente dos itens de estoques, do contas a receber e do contas a pagar.

Índice de liquidez seca = Ativo circulante - Estoque

Passivo circulante

3-R: Apuração do índice (ILS)

Índice de Liquidez Seca (ILS):

AC–ESTOQUE 27.198,00 – 5.567,00 = 21.631,00 = 1,67.

PC 12.900,00 12.900,00

4-R: Análise do índice (ILS)

No curto prazo, para cada R$ 1,00 de dívida, teremos R$ 1,67 para saldar as obrigações, porém não dependemos diretamente da venda.

Esse quociente propicia uma análise mais conservadora e realista da situação de liquidez da empresa em determinado momento, pois elimina o risco associado à incerteza de venda dos estoques. Imaginemos qual seria a capacidade de uma empresa honrar seus compromissos de curto prazo no caso de seu estoque ficar de uma hora para outra obsoleto, sem haver, por conseguinte, realização de vendas por certo período de tempo.

Índice de liquidez imediata = Disponibilidades

Passivo circulante

3-R: Apuração do índice (ILM)

Índice de Liquidez Imediata (ILM):

DISPONÍVEL 15.463,00 = 1,19.

PC 12.900,00

4-R: Análise do índice (ILM)

Para cada R$ 1,00 de dívida, teremos R$ 1,19 para saldar as obrigações, portanto não dependo diretamente do cliente e também nota-se um valor de dinheiro parado.

O índice de liquidez imediata ou solvência de caixa, mostra o montante de dinheiro de que a empresa dispõe no ato, isto é, sua disponibilidade (caixa e aplicações financeiras de curtíssimo prazo) para honrar as dívidas de curto prazo, ou seja, todo seu passivo circulante. Esse indicador examina a liquidez da empresa com o máximo de vigor, pois revela se ela tem caixa de imediato para quitar qualquer compromisso de curto prazo.

Geralmente, recomenda – se que esse índice seja o menor possível, sempre a fim de evitar o risco de não contar com fundos nas datas de vencimentos das dividas. É preciso cautela na análise, pois reduções no índice de liquidez imediata pode ser resultado de uma administração de caixa mais rígida e eficiente. Entretanto, a combinação de frequentes atrasos no pagamento aos fornecedores e a diminuição desse índice podem indicar dificuldades de liquidez da empresa.

Índice de liquidez geral = Ativo circulante + Realizável a longo prazo

Passivo circulante + Exigível a longo prazo

3-R: Apuração do índice (ILG)

Índice de Liquidez Geral (ILG):

AC+RLP 27.198,00 + 8.500,00 = 35.698,00 = 1,49.

PC+ELP 12.900,00 + 11.000,00 23.900,00

4-R: Análise do índice (ILG)

À curto e à longo prazo, para cada R$ 1,00 de dívida, teremos R$1,49 para saldar as obrigações, portanto o índice é bom, pois ainda sob ra R$ 0,49.

Esse índice mostra a capacidade da empresa em pagar suas dívidas a longo prazo. Entretanto, esse quociente deve ser analisado com muito cuidado, pois engloba os prazos de liquidação do passivo e recebimento do ativo, que podem ser os mais diferenciados possíveis, ainda mais se considerarmos que temos passivo e ativo de longo prazo. É importante examinar esse quociente em conjunto com o índice de liquidez corrente. No caso de a empresa contrair um empréstimo de longo prazo, sua liquidez corrente será favorecida pela entrada do empréstimo em caixa, ao passo que o valor da dívida não estará registrado no passivo circulante, e sim no exigível a longo prazo. Nesse momento, se calcularmos a liquidez da empresa, teremos uma posição enganosa, que só será corrigida se examinarmos também o quociente de liquidez geral.

OPINIÃO DO GRUPO

Este trabalho teve uma grande importância para colocarmos em prática o que aprendemos em sala de aula.

Observamos na elaboração do balanço que tivemos um lucro considerável e também identificamos os valores das origens que são os capitais de terceiros e capitais próprios e as aplicações de recursos que são os bens e direitos e também conseguimos apurar os índices de liquidez , analisando um por um e visualizamos que os valores dos índices foram bons.

Portanto com este trabalho, aprendemos com a contabilidade aplicar as ferramentas que ela proporciona.

CONCLUSÃO

A contabilidade é fundamental na gestão de uma empresa.

Portanto concluímos que as ferramentas que ela fornece tem uma grande importância para a demonstração contábil.

Com o balanço patrimonial, podemos observar a situação patrimonial e financeira da empresa. Sendo que o patrimônio da empresa é representado pelo balanço patrimonial onde podemos visualizar a sua origem, isto é, de onde veio o dinheiro para a aplicação dos recursos. É através das contas do balanço patrimonial que podemos apurar os índices de liquidez, destacando a real situação financeira da empresa em pagar suas dívidas.

Essas ferramentas tem um grande valor para o gestor financeiro, pois é através delas que ele poderá identificar os pós e os contras definindo o futuro da empresa da melhor maneira possível.