Trabalho Completo Circunferencia Logica

Circunferencia Logica

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Outras

Enviado por: vinicoonte 26 setembro 2013

Palavras: 1010 | Páginas: 5

Sumário

1. INTRODUÇÃO 2

2. OBJETIVOS 3

2.1 OBJETIVO GERAL 3

2.2 OBJETIVO ESPECÍFICO 3

3. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 4

3.1 HIPERATIVIDADE E DÉFICIT DE ATENÇÃO 4

3.1.1 SINTOMAS 4

3.1.2 CLASSIFICAÇÃO 6

3.1.3 FATORES PREDISPONENTES 6

3.1.4 DIAGNÓSTICO 8

3.1.5 DESEMPENHO ESCOLAR 9

4. PROCEDIMENTO METODOLÓGICO 11

4.1 PÚBLICO ALVO 11

4.2 METODOLOGIA 11

4.3 JUSTIFICATIVA 11

5. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA 12

1. INTRODUÇÃO

O Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) é uma patologia que apesar de atingir uma pequena porcentagem da população, merece devida atenção, pois consideramos que durante o crescimento e desenvolvimento a criança vivencia diferentes transformações tanto físicas quanto psíquicas. Desta forma é necessária então a realização de um acompanhamento minucioso que permita o profissional identificar precocemente alterações que possam prejudicar a criança durante as diferentes fases de sua vida, visto que muitas vezes os transtornos deixam marcas prejudiciais que permeiam a vida das mesmas.

Atualmente nos deparamos com a vulgarização destes termos, talvez devido o desconhecimento da população em relações a complexa problemática que envolve tais alterações. Em instituições de ensino e até mesmo no contexto familiar tornou-se comum o uso destas terminologias para classificar crianças inquietas, agitadas, de comportamento diferenciado dos demais, não considerando que para essa classificação são necessárias avaliações médicas-psicológicas adequadas para efetuar de fato diagnóstico.

Ressaltamos ainda que geralmente crianças com estes transtornos podem de fato ter condutas não condizentes com o esperado para certo momento, no entanto qualquer indivíduo em alguma ocasião de sua vida pode vir a ter uma conduta não esperada, mas quando isso se torna frequente e causa graves prejuízos, inclusive cognitivos, é possível suspeitar de algum tipo de transtorno, entretanto o cuidado nesta fase é essencial para evitar a exposição do individuo a possíveis preconceitos.

Desta forma optamos por desenvolver um trabalho com profissionais da educação, visto a importância de embasá-los quanto à diferença que há entre crianças simplesmente agitadas daquelas que possuem algum transtorno, visto que estes mantém contato direto com elas, podendo assim detectar precocemente alguma alteração. Aprendendo assim a lidar com essas crianças, conhecer suas limitações, e descobrir com ela aprende melhor, pois essas crianças não têm problemas cognitivos, aprendem bem quando tratados de uma forma adequada, por isso é essencial que tenham noções básicas sobre o TDAH, sobre sintomas e os efeitos em sala de aula, conseguindo distinguir a incapacidade da desobediência. 

2. OBJETIVOS

2.1 OBJETIVO GERAL

Esclarecer e proporcionar aos professores a compreensão do TDAH.

2.2 OBJETIVO ESPECÍFICO

• Orientar os professores a respeito do TDAH.

• Exemplificar os principais sinais e sintomas do mesmo.

• Apresentar possíveis intervenções para minimizar a adversidade.

3. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

3.1 HIPERATIVIDADE E DÉFICIT DE ATENÇÃO

Torna-se difícil determinar se o comportamento da criança indica problemas emocionais ou não. Manifestações comportamentais como não sendo apropriada à idade, desviando-se das normas culturais e/ou ocasionando déficits ou distúrbios no funcionamento adaptativo, podem apontar existência de um problema emocional (TOWNSEND, 2002).

O Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) é uma condição neurobiológica que atinge de 3% a 7% da população, tendo maior prevalência em crianças em idade escolar. Caracteriza-se por diminuída capacidade de atenção, impulsividade e hiperatividade (LOPES, NASCIMENTO, BANDEIRA, 2005; PASTURA, MATTOS, ARAÚJO, 2007).

O TDAH repercute na vida da criança e do adolescente levando a prejuízos em múltiplas áreas, como a adaptação ao ambiente acadêmico, relações interpessoais e desempenho escolar. Estes são denominados sintomas não-cardinais do TDAH, ou seja, embora não imprescindíveis para o diagnóstico, freqüentemente, fazem parte das queixas do portador. As repercussões do mau desempenho escolar (MDE) na vida do aluno com TDAH, como necessidade de turmas especiais de apoio, sofrimento pessoal e familiar, bem como a influência na vida adulta, justificam o investimento no diagnóstico e manejo precoces do problema (PASTURA, MATTOS, ARAÚJO, 2007).

O TDAH em adultos muitas vezes tem sido visto como uma doença camuflada, devido ao fato dos sintomas serem mascarados, ocorrendo problemas de relacionamento afetivo e inter-pessoal, de organização, problemas de humor, abuso de substâncias, ou seja, caracterizados pela comorbidade (PASTURA, MATTOS, ARAÚJO, 2007).

3.1.1 SINTOMAS

A TDAH manifesta-se através das características centrais da hiperatividade, distúrbio de atenção (ou concentração), impulsividade e agitação. Na grande maioria dos casos, as crianças com esta síndrome são facilmente reconhecidas em clínicas, escolas e em casa. ROHDE & HALPERN (2004); FACION (2003).

Os indivíduos com este transtorno podem não prestar muita atenção a detalhes ou cometer erros por falta de cuidados nos trabalhos escolares e outras tarefas. O trabalho frequentemente é confuso e realizado sem meticulosidade adequada. Os indivíduos diagnosticados com este transtorno podem iniciar uma tarefa, passar para outra, depois voltar a atenção para outra coisa antes de completarem qualquer uma de suas incumbências. Frequentemente não conseguem completar o trabalho escolar, tarefas domésticas ou outros deveres. Os materiais necessários para a realização de tarefas com frequência são espalhados, perdidos ou manuseados com descuido e danificados. Estes indivíduos são facilmente distraídos por estímulos irrelevantes e habitualmente interrompem tarefas para dar atenção a ruídos ou eventos sem importância. Com frequência esquecem de coisas nas atividades diárias. Nas situações sociais, a desatenção pode manifestar-se por mudanças de assunto, falta de atenção ao que os outros dizem. As manifestações comportamentais geralmente aparecem em múltiplos contextos, incluindo a própria casa, a escola,o trabalho ou situações sociais. FACION (2003).

Segundo VEIGA (2008) na hiperatividade os sintomas podem varias de brandos a graves, podendo incluir problemas de linguagem, memória e habilidades motoras. Apesar disso, muitas vezes, a criança hiperativa tem uma inteligência normal ou acima da média, mas pode ser caracterizado por problemas de aprendizado e comportamento. A mesma apresenta diversos comportamentos como dificuldades de concentração, não escutam quando lhe dirigem a palavra, evitam ou tem forte antipatia por tarefas que exigem dedicação ou esforço mental prolongado ou que exigem organização e contração, não se envolvem em brincadeiras, quando se envolvem, não as mantém por muito tempo, tem dificuldades em aguardar a vez, falam em demasia e em momentos inoportunos, nunca param sentados e frequentemente não atendem a solicitações ou instruções. Estes comportamentos interferem na vida familiar, escolar e social da criança.

Entretanto, estes sintomas isolados, conforme afirma ROHDE & HALPERN (2004), podem resultar de vários outros problemas na vida de relação da criança, de sistemas educacionais inadequados, ou pode estar associado a outros transtornos comumente encontrados na adolescência e infância. Sendo assim, é de relevante importância á observação detalhada desta criança e/ou adolescente. Levando em consideração, que os sinais de transtorno podem ser mínimos ou estarem ausentes quando o individuo se encontra sob um controle rígido, envolvido em atividades especialmente interessantes ou enquanto recebe recompensas frequentes por um comportamento apropriado.