Trabalho Completo A Evolução Da Mulher

A Evolução Da Mulher

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Outras

Enviado por: Elizabetelima 06 junho 2013

Palavras: 1006 | Páginas: 5

1. A Evolução da mulher no mercado de trabalho.

1.1. Resumo

Tudo começou de fato com as I e II guerras mundiais, as mulheres tiveram que assumir a posição dos homens no mercado de trabalho, enquanto os mesmos estavam à frente das batalhas. No século XIX com o sistema capitalista e com o desenvolvimento tecnológico, ocorreram varias mudanças na organização do trabalho feminino, algumas leis passaram a beneficiar as mulheres. Através dessa evolução as mulheres foram conquistando seu espaço mercadológico e social, estão conquistando e ampliando o seu espaço no mercado de trabalho em diversos setores, o processo ainda é lento, mas constante e progressivo. Através do seu potencial, eficiência e características próprias às mulheres estão se especializando cada vez mais, em busca de novos desafios. Além de trabalhar fora e ocupar cargos de responsabilidade, aglutinam também tarefas tradicionais como ser mãe e dona de casa. Mesmo com todas essas conquistas algumas formas de exploração ainda perduram, sofre uma desvantagem em relação aos homens, sofre preconceito e discriminação, mas principalmente desigualdade salarial em relação aos homens. (Probst e Ramos, 2003).

Palavra – chave: Mulher, trabalho, inclusão/exclusão, desigualdade.

Abstract

Everything began in earnest with the World Wars I and II, the women had to take on the position of men in the labor market, while they were ahead of the battles. In the nineteenth century with the capitalist system and the technological development, there were several changes in the organization of women's work, some laws passed to benefit women. Through this evolution women were gaining share market and social, are conquering and expanding its space in the labor market in various sectors, the process is still slow, but steady and progressive. Through its potential, efficiency and characteristics women are specializing increasingly in search of new challenges. Besides working out and occupy positions of responsibility, also agglutinate traditional tasks as being a mother and homemaker. Even with all these achievements some forms of exploitation still linger, suffer a disadvantage in relation to men, suffer prejudice and discrimination, but mostly wage inequality relative to men. (Probst and Ramos, 2003).

Keywords: Women, Work, inclusion / exclusion, inequality.

1.2. Introdução

Atualmente as mulheres vêm se destacando no mercado de trabalho, com isso ampliando seu espaço. Tudo indica que essa evolução começou a partir das I e II guerras mundiais, onde as mulheres tiveram que assumir as responsabilidades da casa, enquanto os maridos lutavam na guerra. Mas foi na década de 70 que as mulheres se destacaram e mostraram a importância da participação da mulher frente à força de trabalho e principalmente na economia. (Probst e Ramos, 2003).

O capitalismo e desenvolvimento tecnológico também contribuíram para o crescimento e a inclusão da mulher no mercado de trabalho (Probst e Ramos, 2003). Mas de acordo com Pochmann e Amorinn (2003), ”em outras palavras, o desenvolvimento de um pais pode gerar condições de inclusão em paralelo à de exclusão”. Conforme Coutinho (2003), “o Brasil é um pais historicamente excludente”.

As mulheres estão conquistando e ocupando diversas áreas do setor do mercado de trabalho. Mas segundo Yonnoulas, (2002), o aumento da participação das mulheres no mercado de trabalho esta mais vinculada à expansão de atividades femininas do que ao acesso a atividades masculinas. Nas áreas de maquinários mais avançados predominam os homens, nas áreas de trabalho manual as mulheres (Antunes, 1999). Os setores de postos automatizados utilizam pouca mão de obra feminina (Hidrata 2002).

Por esse fator as mulheres estão se especializando cada vez mais, estão sempre em busca de novos desafios, estão mais preocupadas com a instrução do que os homens. “Pesquisas mostram que no Brasil as mulheres são escolhidas para a maior parte das novas vagas, a Fundação Seade mostra que, em 1994, 35% das mulheres contavam com o ensino médio completo, ao final da década esse número chegou a 43%” (Probst e Ramos, 2003).

As mulheres que desenvolvem atividades fora do lar enfrentam uma dupla ou até mesmo uma jornada de trabalho, é como se chama a obrigação feminina de cuidar da casa e dos filhos depois de um dia inteiro de trabalho. “Esse fato não é exclusivo nas camadas populares: pesquisa realizada por Ludermir (2000, p.656) aponta que independente da camada social, a maioria das mulheres estudadas, ao contrario dos homens, ao desempenhar uma atividade econômica, assumia também as responsabilidades de esposa, mãe e trabalhadora e empreendia dois trabalhos: o remunerado e o não remunerado, geralmente não reconhecido dentro de casa”. “Se dedicam tanto ao trabalho quanto ao homem e, quando voltam para casa instintivamente se dedicam com a mesma intensidade ao trabalho do lar” (Rodrigues, 2008), mas como aponta Diogo, (2005), “mulheres apresentando restrições de horários e / ou filhos pequenos sofrem preconceito e discriminação, tendo maior dificuldade em conseguir e manter uma colocação no setor ocupacional”.

Entretanto, mesmo com o expressivo crescimento da mulher no mercado de trabalho, como já foi colocado, ainda não foram superados os obstáculos de acesso a cargos de chefia e diferenças salariais. Nas empresas a maioria são mulheres, mas o que chama a atenção é que a minoria ocupam cargos de chefia, e ganham cerca de 30% a menos que os homens exercendo a mesma função (Probst e Ramos, 2003). Nem mesmo a instrução tem sido capaz de assegurar a igualdade de condições (D Maria Fernanda, MC Coutinho, 2006).

“O problema, está localizado nas formas como a sociedade se organiza. Enquanto estas não sofrerem modificações, pouco avançaremos em busca de uma situação mais igualitária e equilibrada entre homens e mulheres. Poucas são aquelas que adquirem consciência deste problema e se propõe discuti-lo ou mesmo desafia-lo. ”,(D Maria Fernanda, MC Coutinho, 2006)

“È necessário haver uma tomada de consciência. Só assim teremos alguma possibilidade de questionar este lugar social ocupado pelas mulheres na sociedade, especificamente no mercado de trabalho”, (D Maria Fernanda, MC Coutinho, 2006).

Este artigo mostra um pouco da história, a participação da mulher no mercado de trabalho, sua inclusão nesse mercado, nas conquistas, especializações e instrução, na sua dupla jornada de trabalho, na desigualdade em relação aos homens, no que diz respeito ao salário, problemas e soluções em relação à evolução da mulher no mercado de trabalho.