Trabalho Completo FUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO

FUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Ciências Sociais

Enviado por: fsantos 24 abril 2013

Palavras: 1080 | Páginas: 5

FUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO

Todo o ser humano, desde seu nascimento até à morte faz parte de uma realidade com a qual se habitua a conviver, a sociedade. Das pessoas com quem convivemos habitualmente ao tipo de alimentação que preferimos, do local onde habitamos aos meios de comunicação que usamos e às atividades de lazer que realizamos, do processo de procriação até à expansão da esperança média de vida, tudo faz parte da realidade social. Essa realidade, aparentemente simples para quem nela vive, é, porém, muito complexa e qualquer acontecimento, ou decisão, acaba por ter reflexos na vida das outras pessoas, mesmo daquelas que nem sequer conhecemos ou convivemos regularmente.

ETAPA 1

A Sociologia é a ciência que estuda as relações entre as pessoas que pertencem a uma comunidade ou ao diferentes grupos que formam uma sociedade. A Sociologia pertence ao grupo das Ciências Sociais e humanas, que engloba o estudo dos fenômenos de interação entre os indivíduos, as formas internas de estrutura, tais como a mobilidade social, valores, instituições, normas e leis, além dos conflitos e as formas de cooperação geradas através das relações sociais.

A sociologia de Bourdieu como um todo está marcada pela busca de superação de um dilema clássico do pensamento sociológico, aquele que se define pela oposição entre subjetivismo e objetivismo. Bourdieu aponta as insuficiências e os riscos das abordagens que se restringem à experiência imediata do ator individual, ou seja, que se atêm de modo exclusivo ou preponderante ao universo das representações, preferências, escolhas e ações individuais. Essas abordagens, rotuladas por ele como subjetivistas, são criticadas não apenas por seu escopo limitado, isto é, pelo fato de não considerarem as condições objetivas que explicariam o curso da experiência prática subjetiva, mas, sobretudo, por contribuírem para uma concepção ilusória do mundo social que atribuiria aos sujeitos excessiva autonomia e consciência na condução de suas ações e interações.

Sociologia da Educação de Bourdieu se notabiliza pela diminuição que promove do peso do fator econômico, comparativamente ao cultural, na explicação das desigualdades escolares. Em primeiro lugar, a posse de capital cultural favoreceria o desempenho escolar na medida em que facilitaria a aprendizagem dos conteúdos e códigos escolares. A educação escolar, no caso das crianças oriundas de meios culturalmente favorecidos, seria uma espécie de continuação da educação familiar, enquanto para as outras crianças significaria algo estranho, distante, ou mesmo ameaçador. A posse de capital cultural favoreceria o êxito escolar, em segundo lugar, porque propiciaria um melhor desempenho nos processos formais e informais de avaliação. Bourdieu observa que a avaliação escolar vai muito além de uma simples verificação de aprendizagem, incluindo um verdadeiro julgamento cultural e até mesmo moral dos alunos.

Durkheim acreditava que a sociedade seria mais beneficiada pelo processo educativo. Para ele, "a educação é uma socialização da jovem geração pela geração adulta". E quanto mais eficiente for o processo, melhor será o desenvolvimento da comunidade em que a escola esteja inserida.

Nessa concepção de Durkheim, também chamada de funcionalista, as consciências individuais são formadas pela sociedade. Ela é oposta ao idealismo, de acordo com o qual a sociedade é moldada pelo "espírito" ou pela consciência humana. "A construção do ser social, feita em boa parte pela educação, é a assimilação pelo indivíduo de uma série de normas e princípios, sejam eles morais, religiosos, éticos ou comportamentais, que norteia a conduta do indivíduo em um grupo. Para Durkheim, “o homem, mais do que formador da sociedade, é um produto dela".

ETAPA 2

O filme “Entre os muros da escola” se passa em uma escola, cujo grupo de alunos com idade entre 13 e 15 anos apresentam de forma latente seus medos, anseios, incertezas. O grupo escolar é formado por negros africanos, asiáticos e franceses.

O professor tem a tarefa de fazer com que os alunos aprendam a falar o francês, além de aprenderem a disciplina, tarefa difícil, já que a classe apresenta uma diversidade cultural, social e principalmente racial.

Na sociologia este filme aponta como ponto forte a linguagem de cada um, e as várias dificuldades que há em cada atitude. Ali é apresentado ao xenofobismo contra os imigrantes (africanos, franceses e chineses).

O conflito entre alunos e professor é o ponto forte do filme, que demonstram alunos agressivos e cheios de rancores, se defendendo das vicissitudes da vida com desrespeito ao mestre e com agressividade exacerbada.

O professor no filme é o elo existente entre os destinos dos alunos através dos aprendizados e das várias vezes em que o professor procurou conscientizar cada um a não perder o foco na vida que é lutar pelos seus direitos, defender o outro, trabalhar com a diversidade cultura e principalmente com a diferença que há em cada ser humano.

Interpretar as figuras:

Os desenhos acima demonstram o quanto ainda há de preconceito de descaso e principalmente de comportamento inadequado na sociedade.

O primeiro quadrinho demonstra o meio ambiente e posterior às atitudes inadequadas quanto a preservação do meio em que vivemos, desperdício, descaso, atitudes inaceitáveis e principalmente o não pensar sobre o outro, sobre os gerações futuras.

A sequencia de quadrinhos demonstra o quanto ainda temos de preconceitos. De julgar as pessoas, de termos pensamentos pré-concebidos. É necessário mudar, é necessário conscientizar principalmente às crianças para que elas sejam diferentes e que ajam diferentes.

ETAPA 3

Quais são as possíveis contribuições da Sociologia da Educação no cotidiano da sociedade atual?

A sociologia é uma ciência que não se reduz a estudar os fenômenos sociais, mas também procura entender os processos e estruturas que contribuem para o funcionamento ou não dos sistemas sociais. A sociologia é um tipo de interpretação e de conhecimento de tudo o que se relaciona com o homem e com a vida humana, um método de investigação que busca identificar, descrever, interpretar, relacionar, e explicar regularidades da vida social.

A Sociologia da Educação tornou impossível analisar as desigualdades escolares, simplesmente, como frutos das diferenças naturais entre os indivíduos. Bourdieu apresentou a análise das relações entre o sistema de ensino e a estrutura social. É necessário um estudo mais minucioso dos processos concretos de constituição e utilização do ambiente familiar e principalmente das diferenças sociais entre famílias e a escola.

Referências

CARVALHO, Alonso B.; SILVA, Calis S. Sociedade e Educação: leituras e Interpretações: Leituras e Interpretações. São Paulo: Avercamp, 2006.

Introdução à Sociologia de Durkheim. Disponível em: <http://www4.fct.unesp.br/docentes/educ/alberto/page_download/SOCIOLOGIA%20I_2010/Introdu%E7%E3o%20%E0%20Sociologia%20de%20Durkheim.pdf.

FERREIRA, Rosilda Arruda. Sociologia da Educação: Uma análise de suas origens e desenvolvimento a partir de um enfoque da sociologia do conhecimento. Disponível em: <http://www.scielo.oces.mctes.pt/pdf/rle/n7/n7a07.pdf.

NOGUEIRA, Cláudio Marques Martins; NOGUEIRA, Maria Alice. A sociologia da educação de Pierre Bourdieu: limites e contribuições. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v23n78/a03v2378.pdf.