Trabalho Completo GENEROS TEXTUAIS DO GENERO DO NARRAR

GENEROS TEXTUAIS DO GENERO DO NARRAR

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Língua Portuguesa

Enviado por: MARCIAPEREGRINA 25 setembro 2013

Palavras: 2144 | Páginas: 9

1 - INTRODUÇÃO: Gêneros textuais normalmente estão associados aos estudos literários. É também uma forma de comunicação. São conceitos que se aplicam aos diversos textos com características comuns em relação à linguagem e ao conteúdo.

No gênero narrar, trata-se de um texto onde o principal objetivo é contar ou narrar um fato e fazer deste fato uma informação ou entretenimento podendo ainda acrescentar na aprendizagem do receptor. O fato deve ocorrer em um determinado tempo e lugar, envolvendo personagens e um narrador.

Em nosso dia a dia nos deparamos com diversas formas de expressão na comunicação seja oral, corporal ou escrita. No entanto, nem sempre temos a curiosidade de explorarmos como e quando utilizar das formas de comunicação existentes em nosso cotidiano.

A comunicação é algo que parece simples e fácil para qualquer pessoa, mas para isso é necessário que saibamos fazer a comunicação de forma clara para que tenhamos bons resultados.

A importância entre a relação da construção de textos do gênero do narrar e a linguagem corporal é que para existir uma narração é necessária a elaboração de um texto e posteriormente a existência de seus personagens para narrar e executar atividades com a linguagem corporal através da dança, teatro, gestos.

2 - DESENVOLVIMENTO DA PESQUISA

Os gêneros textuais são as formas naturais que utilizamos a língua e são formas diferentes de expressão textual. Cada produção textual seja oral ou escrita, realiza um gênero porque é um trabalho social e discursivo.

São classificados em primários e secundários. São estruturas que se compõem os textos, sejam eles orais ou escritos e são muito parecidas, com características comum, procura de certa forma buscar intenções comunicativas semelhantes e ocorrem em situações especificas. São textos de qualquer natureza.

No dia a dia vivemos diferentes tipos de gêneros textuais e podemos classifica-lo como gênero textual primário – do cotidiano, ou seja, não precisa ser ensinado. Exemplos: bilhetes, conversas ao telefone, lista de compras.

Já os gêneros textuais secundários precisam ser ensinados na escola como, por exemplo, uma redação escolar, um resumo, um texto, dentre outros.

Existe o interesse em se explorar a noção do gênero textual em contexto didático. Entretanto, para que essa atividade seja proveitosa, é necessário que o professor esteja bem consciente de alguns fatores: Quais as razões para selecionar tal gênero? Quais características o configuram? Quais as funções específicas do gênero selecionado? Quais objetivos de aprendizagem o gênero escolhido propicia atingir junto a seu grupo de alunos?

Sabemos que os textos são compostos de uma combinação de sequencias e sendo assim um texto sempre traz em sua composição varias sequencias. Os gêneros textuais estão cada vez mais presentes na educação atual. A proposta didática organizada pelo agrupamento por gêneros, visa uma progressão no ensino, na qual diferentes capacidades leitoras e escritoras fossem paulatinamente construídas. Para os autores Dolz e Schneuwly, devem-se trabalhar todos os agrupamentos e não simplesmente privilegiar uns em detrimento de outros.

Os critérios utilizados para organizar os agrupamentos de gêneros são o contexto, ou domínio social de comunicação, onde os gêneros são produzidos e circulam, considerando que um mesmo gênero pode ser produzido e circular em domínios sociais de comunicação diversos, além de processos de textualização, como o vocabulário e as sequencias textuais.

A narração é um dos gêneros literários mais fecundos, e na antiguidade clássica, os padrões literários reconhecidos eram apenas o épico, o lírico e o dramático. Atualmente surgiu dentro do gênero épico a variante: gênero narrativo, o qual apresentou concepções de prosa com características diferentes, o que fez com que surgissem divisões de outros gêneros literários dentro do estilo narrativo como: o Romance, a Novela, O Conto, a Crônica, a Fábula, a Parábola, o Apólogo, a Lenda, e praticamente todas as obras narrativas possuem elementos estruturais e estilísticos em comum e devem responder a questionamentos como: quem? O que? Quando? Onde? Por quê? Seu principal objetivo é contar algum fato. Tem também como segundo objetivo, é que este fato se torne uma informação, aprendizado ou entretenimento. Se ele não atingir os objetivos propostos, perde o valor. Uma narração visa sempre um receptor. Narrador é quem narra a história, observador e tem o conhecimento da historia. Vejamos abaixo as características de o gênero narrar:

• Romance: é uma narrativa longa, geralmente dividida em capítulos, possui personagens variadas em torno das quais acontece a história principal e também histórias paralelas a essa, pode apresentar espaço e tempo variados.

• Novela: é um módulo mais compilado do romance e também mais dinâmico, é dividida em episódios, são contínuos e não têm interrupções.

• Conto: é uma narrativa curta que gira em torno de um só conflito, com poucos personagens.

• Crônica: é uma narrativa breve que tem por objetivo comentar algo do cotidiano; é um relato pessoal do autor sobre determinado fato do dia a dia.

• Fábula: É semelhante a um conto em sua extensão e estrutura narrativa. O diferencial se dá, principalmente, no objetivo do texto, que é o de dar algum ensinamento, uma moral. Outra diferença é que as personagens são animais, mas com características de comportamento e socialização semelhantes às dos seres humanos. Perfeito para educação infantil.

• Parábola: é a versão da fábula com personagens humanas. O objetivo é o mesmo, o de ensinar algo. Para isso são utilizadas situações do dia a dia das pessoas.

• Apólogo: é semelhante à fábula e à parábola, mas pode se utilizar as mais diversas e alegóricas personagens: animadas ou inanimadas, reais ou fantásticas, humanas ou não. Da mesma forma que as outras duas, ilustra uma lição de sabedoria.

• Lenda: é uma história fictícia a respeito de personagens ou lugares reais, sendo assim a realidade dos fatos e a fantasia estão diretamente ligadas. A lenda é sustentada por meio da oralidade, torna-se conhecida e só depois é registrada através da escrita. O autor, portanto é o tempo, o povo e a cultura. Normalmente fala de personagens conhecidas, santas ou revolucionárias.

A Linguagem corporal é de suma importância para comunicação do aluno por ser uma grande forma de expressar mensagens sem o uso da fala, pois através de gestos pode acontecer uma troca de informações onde a participação coletiva dos alunos acontece de forma espontânea, porém se caso esse interesse não aconteça o entendimento será de difícil compreensão. Sabemos que o nosso corpo é um grande aliado na transmissão do conhecimento, e no ato de transmitir o conhecimento, a comunicação é fator primordial buscando a interação entre aluno e aluno e aluno e professor e que por ser um processo dinâmico nas séries iniciais, tem como objetivo principal apresentar possibilidades que a mesma tem a oferecer ao processo de ensino-aprendizagem. É uma estratégia que pode contribuir muito no aperfeiçoamento da qualidade deste ensino-aprendizagem e o seu uso deve ser de maneira clara e criativa propiciando bons resultados. É importante esclarecer como funciona a linguagem corporal e o que cada gesto significa, pois o professor só saberá ensinar se de fato conhecê-los. O principal valor que a linguagem corporal atribui em uma sala de aula é a diversidade que ela pode oferecer ao âmbito escolar, pois, através das diferentes formas de transferir conhecimentos é que podemos chegar ao sucesso esperado.

A linguagem corporal tem papel fundamental para contribuir no processo ensino aprendizagem, pois, todo e qualquer instrumento que venha a somar com o método de ensino do professor irá de fato proporcionar bons resultados e facilitará o trabalho do profissional em educação, não somente nas séries iniciais mas na vida escolar, como um todo.

Para explorar a linguagem corporal precisamos nos atentar e treinar algumas atividades que irão contribuir ainda mais nesta comunicação e que podem e devem ser desenvolvidas em nosso cotidiano que estão presentes: nos gestos que desde o nascimento desenvolve essa comunicação corporal e também através da expressão facial, na dança que é de uma importância muito grande para desenvolver no individuo a criatividade, a sensibilidade pela música e o que podemos transmitir através desta, no teatro onde o individuo consegue passar para muitas pessoas através da encenação emoção, conhecimento e arte e o que pretende em sua comunicação. A percepção corporal, nos movimentos simples ou complexos permite a criança ser e estar no mundo.

1 - Importância entre a relação da construção de textos do gênero narrar e a linguagem corporal bem como atividades a serem desenvolvidas.

A linguagem corporal foi uma das primeiras formas de comunicação humana e continua sendo uma das mais fortes e expressivas. Além da comunicação verbal, muito pode ser dito por meio da linguagem corporal - com ou sem intenção. Por meio de gestos você pode fazer alguém entender o que você quer. Mas muitas vezes o corpo mostra sinais que indicam o que você está pensando ou sentindo sem que você perceba.

Os textos de o gênero narrar muito tem a ver com esta relação, pois através de contos ou fatos podemos utilizar nosso corpo para demonstrar e narrar tais fatos ou contos utilizando-se da arte, ou seja, do teatro e dança.

A importância que temos nesta relação é que ambos estão juntos, pois precisamos do texto para poder narrar e criar atividades usando da linguagem corporal. A narração só existe na medida em que há ação; esta ação é praticada pelos personagens. Dai o fato de que a linguagem corporal se torna essencial neste tipo de gênero.

Sabemos que a prática da escrita é fundamental para o aprendizado, no entanto não é suficiente. Necessita-se de mais atividades para que o processo de comunicação seja satisfatório. Além da arte é preciso leitura de diferentes tipos de gêneros textuais, entendimento dos textos.

Nós professores devemos envolver nossos alunos em situações concretas de uso dos mais variados gêneros textuais e da comunicação, de modo que eles consigam, com criatividade e consciência, escolher meios adequados aos fins que desejamos alcançar. Dentro dessa perspectiva do ensino de gêneros textuais e de comunicação, podemos sugerir o texto narrativo que é de suma importância para a comunicação corporal.

Sabemos que ao trabalhar um texto do gênero narrar temos como elemento principal o ensino aprendizagem, porém o texto deste gênero pode ser trabalhado na linguagem corporal e o trabalho exige tanto do professor como do aluno uma compreensão do texto que esta sendo narrado, seno que o texto situa-se em um tempo e espaço definidos, persegue uma determinada intenção e instaura uma relação de interação entre produtor e leitor/ouvinte. Assim, podemos considerar a posição de que a produção textual pode ser uma atividade usando-se da linguagem corporal a serviço de fins sociais; trata-se de uma atividade consciente criativa, ou seja, uma atividade intencional que o falante empreende tentando dar a entender seus propósitos ao destinatário, através da manifestação corporal; é uma atividade interacional direcionada para os usuários da comunicação, que se encontram envolvidos na produção do texto.

Quando interagimos através da linguagem corporal, sempre temos um objetivo a ser atingido: há relações para se estabelecer efeitos que se pretende causar, comportamentos para desencadear, ou seja, com o uso da linguagem existe sempre a pretensão do enunciador de atuar, de alguma maneira, sobre aquele que recebe a mensagem e assim, obter determinadas reações. Diante disso, os textos do gênero narrar cumpre seu papel quando o assunto é comunicação e a relação entre os dois é sempre importante.

Um fato, em geral, acontece por uma determinada causa e desenrola-se envolvendo certas circunstâncias que o caracterizam. É necessário, portanto, mencionar o modo como tudo aconteceu detalhadamente, isto é, de que maneira o fato ocorreu. Um acontecimento pode provocar consequências, as quais devem ser observadas. Portanto o texto do gênero narrar deve ser primeiramente escrito para que após seja usado a linguagem corporal através de atividades seja dança, teatro ou gestos.

Uma vez elaborado o texto, resta saber como organizá-los para elaborar uma narração. Dependendo do fato a ser narrado, há inúmeras formas de dispô-los. Portanto, usando-se de qualquer linguagem é possível incrementar sempre os textos e a forma de como será passado esse texto aos receptores. Ser criativo é a principal didática a ser utilizada.

3 – Conclusão: É possível que nas escolas os professores possam incentivar seus alunos a explorar textos de qualquer gênero e que a criatividade seja usada nas mais variadas formas tanto pelo professor como pelo aluno. O que não podemos é deixar de ensinar, incentivar nossos alunos a ler, escrever e entender textos. Colocar em prática os gêneros de o tipo narrar, estaremos desenvolvendo tudo isso e fazendo das aulas um momento de prazer.

Como se vê, a escola tem muito a ensinar e bastante com o que se preocupar, quando se propõe a preparar seu aluno para o desenvolvimento da leitura e também para a produção de qualquer gênero textual – atividades que, a um só tempo, congregam os elementos gramaticais ao ato comunicativo a que eles servem.

4 - Referências Bibliográficas:

BORDENAVE, Juan Diaz. O que é comunicação. São Paulo: editora brasiliense. 2001.

Wikipédia, a enciclopédia livre.

Vídeos de aulas youtube

Site escolakids.com

Site nova escola

Site brasilescola.com

Site infoescola.com