Trabalho Completo Genero Textual

Genero Textual

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Língua Portuguesa

Enviado por: nerina 23 setembro 2013

Palavras: 1538 | Páginas: 7

Neste trabalho será apresentado um estudo de Gêneros Textuais do agrupamento do narrar e sobre linguagem corporal. O agrupamento do Narrar inclui todos os gêneros, orais e escritos, que estão a serviço do imaginário humano e que se valem, para serem produzidos, da subjetividade e da ficção. É nesse agrupamento que se encontram as narrativas tradicionalmente transmitidas pela oralidade, entre elas o conto de fadas, da tradição celta, o conto maravilhoso da tradição oriental, o conto de ensinamento, a fábula, a lenda, o mito, a paródia, os contos de animais e outros. Sabemos que a humanidade não para de evoluir e que com sua evolução, evolui também a linguagem por ela usada, tanto a oral quanto a escrita.

O texto aborda basicamente sobre a representação simbólica da linguagem corporal, onde o movimento do corpo remete a uma condição motriz, como instrumento relacional do indivíduo. Logo a utilização do movimento do corpo no contexto escolar, favorece na construção de conhecimentos dos educandos, tornando-os mais interessados nos conteúdos que lhe são apresentados pelos professores.

A linguagem corporal tem o papel essencial no processo ensino-aprendizado porque toda em qualquer instrumento que venha somar com método do ensino docente irão de fato oferecer ótimos resultados futuros na educação em geral, e sem dúvidas também facilitara no mundo do trabalho, com o trabalho profissional responsável por esse trabalho tão importante, não só nas séries iniciais, assim como em geral na vida escolar.

Percebe-se que a dinâmica de sala de aula sofre uma modificação, pois a utilização do... [co1 INTRODUÇÃO

Entendemos através desse trabalho que gêneros textuais são línguas em uso social, seja quando usamos a língua na escola, seja quando usamos a língua fora dela para nossa comunicação, seja quando usamos gêneros escritos, seja quando usamos gêneros orais. Os gêneros são língua em uso, é língua viva, são instrumentos de comunicação.

Ao ensinar uma diversidade de gêneros na escola aprendemos que, por mais simples que eles sejam (como uma receita culinária, por exemplo), todas as palavras e letras ganham uma significação.

Também aprendemos a respeito do agrupamento do narrar que envolve os gêneros cujo domínio é o da cultura literária ficcional, marcados pela manifestação estética e caracterizados pelas mimeses da ação através da criação, da intriga no domínio do verossímil. E sabemos que tudo isso contribuiu para a linguagem corporal que não é menos importante que as demais coisas citadas.

2 DESENVOLVIMENTO

Os Gêneros textuais são as estruturas com que se compõe os textos, sejam eles orais ou escritos. Essas estruturas são socialmente reconhecidas, pois se mantêm sempre muito parecidas, com características comuns, procuram atingir intenções comunicativas semelhantes e ocorrem em situações específicas. Gênero Textual ou Gênero de Texto se refere às diferentes formas de expressão textual. Nos estudos da Literatura, temos, por exemplo, poesia, crônicas, contos, prosa, narrativa, etc. Dessa forma, podem ser considerados exemplos de gêneros textuais: anúncios, convites, atlas, avisos, programas de auditórios, bulas, cartas, cartazes, comédias, contos de fadas, crônicas, editoriais, ensaios, entrevistas, contratos, decretos, discursos políticos, história de terror ou não, instruções de uso, letras de música, leis, mensagens, notícias, São textos que circulam no mundo, que têm uma função específica. de qualquer natureza, literários ou não-literário, contribuem para ordenar e estabilizar as atividades comunicativas do dia a dia.

Gêneros textuais são formas de interação, reprodução e possíveis alterações sociais que constituem ao mesmo tempo, processos e ações sociais e envolvem questões de acesso é um nome que se dá às diferentes formas de linguagem que circulam socialmente eles são a forma como a língua se organiza nas inúmeras situações de comunicação que vivemos no dia-a-dia, são línguas em uso social, seja quando usamos a língua na escola, seja quando usamos a língua fora dela para nossa comunicação, seja quando usamos gêneros escritos, seja quando usamos gêneros orais..

No agrupamento Narrar, são colocados os gêneros da cultura literária ficcional, como contos, lendas, romances, fábulas, crônicas. A situação de produção desses gêneros sempre envolve a ficção e a criação.

Segundo definição “narrar” significa narrativo que vem da palavra latina Narratio’’ que narra uma historia reais ou fictícias.

A narração é um tipo de gênero literário que é dividido em Romance, Conto, Novela, Crônica, Fábula, Parábola, Lenda e outros. O principal objetivo de suas características é contar e narrar um fato, fazendo com que este fato sirva de informação, entretenimento e aprendizado, visando sempre o bem-estar do receptor. Em relação a esse agrupamento, Dolz e Schneuwly recorrem à descrição de um esquema sócio psicológico de funcionamento da linguagem, que parte das práticas

passa pelas atividades, para chegar às capacidades de linguagem a fim de justificar os critérios de seleção adotados para o agrupamento. Doz e schneuwly (1996) subdividiu esse grupo em 5.

• Narrador: é o que narra a história,

• Tempo: é um determinado momento em que os personagens vivenciam as suas experiências e ações.

• Espaço: lugar onde as ações acontecem e se desenvolvem.

• Enredo: é a trama, o que está envolvido na trama que precisa ser resolvido,

Personagens: através das personagens, seres fictícios da trama, encadeiam-se os fatos que geram os conflitos e ações.

Vejamos cada um deles e suas características separadamente:

• Romance: é uma narrativa longa, geralmente dividida em capítulos, possui personagens variadas em torno das quais acontece a história principal e também histórias paralelas a essa, pode apresentar espaço e tempo variados.

• Novela: é um módulo mais compilado do romance e também mais dinâmico, é dividida em episódios, são contínuos e não têm interrupções.

• Conto: é uma narrativa curta que gira em torno de um só conflito, com poucos personagens.

• Crônica: é uma narrativa breve que tem por objetivo comentar algo do cotidiano; é um relato pessoal do autor sobre determinado fato do dia a dia.

Se trabalharmos com muitos gêneros narrativos ao longo da Educação Básica, nas séries finais poderemos trabalhar com a leitura de romances e obter ótimo aproveitamento. Se começarmos a trabalhar com gêneros expositivos a partir de pequenos verbetes de enciclopédia infantil, lá no início do Fundamental, e formos ampliando o estudo desses gêneros ao longo das demais séries, poderemos trabalhar textos de informação científica nas séries finais com tranquilidade.

Já a linguagem corporal é uma habilidade social muito útil. É uma forma de comunicação não verbal. Abrangem principalmente gestos, postura, expressões faciais, no ato de transmitir conhecimento à linguagem corporal é uma interação harmoniosa na prática escolar. Todo e qualquer indivíduo deve saber que o corpo é um grande aliado na transmissão de conhecimento, pois, o mesmo e um recurso de grande relevância para a transmissão de novas informações.

Alguns de nós conseguimos ler naturalmente; alguns são completamente alheios aos sinais. Felizmente, com uma atenção extra, você pode aprender a ler a linguagem corporal, e, com bastante prática, a leitura vai se tornar praticamente um instinto. A linguagem corporal pode ser utilizada como código por determinados grupos. Militares e policiais possuem códigos A libra não pode se enquadrar neste artigo, pois a libra é uma Língua de Sinais (natural das comunidades surda retirada)

É importante entendermos que cada parte do corpo, do músculo, dependendo dos gestos com eles feitos, podem ter vários significados, sendo assim, tornando-se uma forma de comunicação.

A criança toma consciência, trava conhecimento e adquire progressivamente o domínio dos elementos que constituem o mundo dos objetos, graças as seus deslocamentos e à coordenação de seus movimentos, isto è, graças a um uso cada vez mais precioso do próprio corpo, o gestual, o brincar, o desenvolver movimentos, dançar, estão ligados a uma possibilidade direta motivação na escola, nestas primeiras. Desta forma o autor Carmo Junior observa:

0 ato criativo, no sentido fenomenológico (no mundo da vida) esta representando pelo instante lúdico extremamente profanador, violador, influente e que contem um movimento incessante.(1995, pg.19).po. (1984, pg.21)

Vejamos algumas atividades onde se usa a linguagem corporal.

Brincando de estátua

Estátua: todos deverão se movimentar ao som da música e quando esta parar deve fazer uma estátua sem se mexer

Estátua: Após a primeira brincadeira, explicar que podemos nos movimentar em três planos: o alto (de pé) o médio (de joelhos ou agachados) e o baixo (no chão). Propor então, a mesma brincadeira só que agora só “vale” se movimentar e fazer a estátua no plano pedido pelo professor.

Brincando de massinha

Para este momento da aula, a turma deverá ser dividida em dois grupos: um grupo de “escultores” e outro grupo de “massinhas”.

As massinhas ficam paradas e não podem fazer nenhum movimento, já os escultores, têm que “modelar” as massinhas. Neste caso, modelar significa manipular o corpo do coleguinha montando diferentes poses ao som de uma música. Em seguida, invertem-se os papéis, quem era escultor vira massinha e vice versa

Pedir para que os alunos representem algumas situações corporalmente, essas representações se refletem no andar, no agir, no se comportar, na postura, etc.:

Representem como o corpo se comporta

Estamos com medo;

Estamos com frio;

Estamos com sono;

Estamos com raiva; etc

3 CONCLUSÃO

Podemos perceber que o trabalho realizado possibilitou a oportunidade de conhecermos mais a respeito de gêneros textuais suas diferentes formas de interpretação, as diferentes e as formas de nos comunicarmos.

Um tipo textual pode aparecer em qualquer gênero textual, da mesma forma que um único gênero pode conter mais de um tipo textual a linguagem corporal e uma delas. Com todos os conhecimentos vividos podemos fortalecer o ensino com nossas experiências e contribuir com ensino-aprendizagem ao incluir em nossa metodologia a linguagem corporal não somente o gênero textual, mas também o do narrar.