Trabalho Completo Modelos De Familia Na Contemporaneidade

Modelos De Familia Na Contemporaneidade

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Psicologia

Enviado por: lusleili 17 agosto 2013

Palavras: 1007 | Páginas: 5

Modelos de família na contemporaneidade

Hoje, na sociedade moderna, existem, estruturas diferentes de famílias, vários tipos de arranjos familiares devido às transformações no campo da economia, da política, e da cultura, que afeta e repercutem diretamente em todos os aspectos da existência pessoal e social dessas famílias, ou seja, afetam suas estruturas, formação, conceito, dinâmica e funcionamento. A família na atualidade vem ressaltando além de suas responsabilidades, o compartilhamento com as escolas. A família é considerada uma instituição responsável por promover a educação dos filhos e influenciar o comportamento dos mesmos no meio social. O papel da família no desenvolvimento de cada indivíduo é de fundamental importância. É no seio familiar que são transmitidos os valores morais e sociais que servirão de base para o processo de socialização da criança, bem como as tradições e os costumes passados através de gerações. O ambiente familiar é um local onde deve existir harmonia, afetos, proteção e todo o tipo de apoio necessário para resolver os conflitos ou problemas de seus membros. As relações de confiança, segurança, conforto e bem-estar proporcionam a unidade familiar. De acordo com as mudanças sociais e culturais que caracterizam a sociedade moderna, as relações familiares e principalmente os tipos de formação das famílias atuais são totalmente diferentes e mais diversificadas que as famílias de antigamente. Hoje em dia não podemos mais falar da família brasileira de um modo geral, pois existem várias tipos de formação familiar nossa sociedade, cada uma delas com suas características e não mais seguindo padrões antigos, nos dias atuais existem famílias de pais separados, chefiadas por mulheres, chefiadas por homens sem a companheira, a extensa, a homossexual, e ainda a nuclear que seria a formação familiar do início dos tempos formada de pai, mãe e filhos, mas não seguindo os padrões de antigamente.

Família monoparental: composta por apenas um dos progenitores: pai ou mãe. Os motivos que possibilitam essa estrutura são diversos. Englobam causas circunstanciais (morte, abandono ou divórcio) ou ainda, a decisão (na maior parte dos casos, uma decisão da mulher) de ter um filho de forma independente.

Família comunitária: nesta estrutura, todos os membros adultos que constituem o agregado familiar são responsáveis pela educação da criança.

Família homoparental: é constituída por um casal homossexual (ou pessoa sozinha homossexual) que tenha uma ou mais crianças ao seu cargo.

Família nuclear ou elementar: composta de pessoas que possuem grau de parentesco entre si e vivem na mesma casa formando um lar. Uma família tradicional é normalmente formada pelo pai e mãe, unidos por matrimônio ou união de fato, e por um ou mais filhos.

Família contemporânea: é caracterizada pela inversão dos papéis do homem e da mulher na estrutura familiar passando a ser a mulher a chefe de família. Abrange a família monoparental, constituída por mãe solteira ou divorciada.

Devido a essas mudanças ocorridas na sociedade, à família ganhou outros contornos, diversas necessidades levaram a mulher a se introduzir no mercado de trabalho, fazendo com que se tornasse peça importante do orçamento financeiro da família, não sendo raros os casos em que é a única provedora.

Tal fato, por sua vez, vem promovendo o afastamento precoce dos filhos do convívio familiar e assim fazendo com que dividam o compromisso de educar com a escola, assim a figura do pai passou a ser ou mais presente na educação dos filhos ou em alguns casos a formação familiar não conta mais com essa figura, pois já existem muitos casos de mães solteiras, viúvas ou separadas que comandam a família, o que não é diferente com os pais que muitas vezes também estão à frente de suas famílias sem a ajuda de uma companheira. Porém nos dias de hoje devido a vários motivos, como por exemplo, com a inserção da mulher no mercado de trabalho a família passou a dividir a função de introduzir o indivíduo na sociedade com instituições educacionais como: creches, pré-escolas e escolas e isso acontece em todas as classes sociais. A escola acabou se tornando uma das instituições sociais de maior importância em mediar esta relação entre indivíduo e sociedade caracterizando a transmissão cultural, de valores morais, de comportamento e dos filhos e nos assuntos domésticos em geral, também podemos citar como característica das famílias modernas, a diminuição do número de membros, a diminuição dos casamentos religiosos, o aumento da participação feminina no mercado de trabalho, a participação de vários membros da família em sua socialização, é uma instituição que trabalha a serviço da sociedade ocupando grande parte da vida de seus alunos e cada vez mais substituindo as famílias em ensinamentos como: orientação sexual, profissional, valores e ideais, ou seja, a vida como um todo. Em todo esse processo é muito importante que família e escola sejam parceiras, comprometendo-se com a educação das crianças e adolescentes mantendo-se sempre em ligação, buscando compreender o processo de educação como algo a ser partilhado. Outros aspectos culturais e de comportamentos ligados à família também mudaram, como por exemplo: os casamentos passaram a ser realizados não mais como um negócio, mais sim por interesses individuais e ou do casal, a relação entre pais e filhos se tornou mais íntima, trazendo uma educação mais liberal e a figura paterna passou a não ser mais vista apenas como o provedor do sustento fazendo com que fosse cobrado dele mais participação na educação economia. Notamos então que a formação familiar é hoje é bem diversificada, mas as responsabilidades continuam iguais. Não existe mais um único padrão de estrutura familiar: pais separados, mulheres ou homens que criam os seus filhos sozinhos, casais homossexuais, crianças educadas por avos, tios, entre outros. Podemos dizer que cada ano que passa a sociedade vai passar a se acostumar com esse tipo de família. "A família, por intermédio de suas ações materiais e simbólicas, tem um papel importante na vida escolar dos filhos, e este não pode ser desconsiderado.”

Porém, com certeza, tanto a família quanto a escola desejam a mesma coisa: preparar as crianças para o mundo. Contudo, não importa qual seja o tipo de família a qual pertencemos o mais importante é cultivar o respeito entre os seus integrantes.