Trabalho Completo Pma De Processos Gerencias 3 Semestre

Pma De Processos Gerencias 3 Semestre

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Outras

Enviado por: gilberson 13 maio 2013

Palavras: 3331 | Páginas: 14

PASSO 2

A) Descrição da Empresa (nome; localização; segmento em que atua; produtos fabricados e/ou comercializados; porte/tamanho; missão e valores; justificativa da escolha da empresa; nome e cargo do contato da equipe na empresa).

Escolhemos a empresa abaixo descrita, por ser uma empresa de grande porte conhecida como uma das maiores empresas no segmento químico.

Chevron Oronite Brasil Ltda

Av Ayrton Senna da Silva, 2500

Capuava-SP – CEP: 09810-902

Tel. 11 4478-1200

Empresa de Grande Porte

Segmento: Química

Missão:

A Chevron Oronite assume o compromisso com a melhoria contínua dos seus sistemas e processos, prevenção da poluição, atendimento das legislações governamentais, normas da empresa e outros requisitos relativo ao produto e meio ambiente.

Valores:

Para alcançar o nível mais alto de desempenho empresarial, a Chevron Oronite busca a excelência operacional através de operações seguras, confiáveis, eficientes e que respeitam o meio ambiente.

Produtos

A Chevron oronite produz Aditivos para Óleos Lubrificantes, Aditivos para Combustíveis e Melhoradores de Índice de Viscosidade.

Fornecimento:

A Chevron Oronite é conhecida no Brasil como Chevron Texaco ou Texaco, onde fornecemos por meio de postos e pontos de manutenção de maneira que atenda a expectativa dos clientes, trazendo a melhor tecnologia quanto à resposta do motor.

Nos preocupamos desde a extração do petróleo, seu tratamento até o fornecimento final ao cliente, nunca deixando de lado os compromissos sociais e respeitando o meio ambiente.

Produtos relacionados com serviços

A Chevron Oronite tem suas unidades Upstream (extração) de petróleo, localizadas nos grandes oceanos, basicamente fornecendo o petróleo necessário para cada planta produzir a quantidade de demanda a ser atendida.

Sistema de Gestão Integrado

O compromisso da Chevron é ser um fornecedor eficiente e confiável, buscando a satisfação de nossos clientes, funcionários e partes interessadas.

Mantendo sempre a boa relação, nos preocupamos também em estar sempre em dia com nos mesmos, organizando e agilizando processos.

Temos periodicamente auditorias internas para estabelecer os melhores sistemas e melhor desempenho pessoal.

Para sermos reconhecidos globalmente, temos certificados de grande importância e que são renovados anualmente, mostrando aos clientes a nossa preocupação em sempre fornecer o melhor produto de maneira correta.

- ISO 9001 – (estabelece requisitos da qualidade voltados à satisfação dos clientes).

- ISO 14001 – (permite atingir e demonstrar um desempenho ambiental correto).

- OHSAS 18001 – (para prevenção e controle de riscos de acidentes e doenças ocupacionais).

Capacitação de Profissionais da Chevron Oronite Brasil

Os funcionários Chevron precisam saber o nosso real objetivo antes de nos dar resultados.

Os funcionários passam por treinamentos e vídeo-aulas para entenderem a nossa real responsabilidade com os clientes e qual é nossa marca a ser atingida.

Temos cerca de 10 políticas internas e é necessário saber todas elas para manter o ótimo resultado, cumprindo as políticas de maneira rigorosa, terão sempre um ótimo trabalho nas áreas de produção, administrativas e de carregamento.

Gerenciamento ambiental

A Chevron, por ser uma empresa de produtos químicos tem uma grande responsabilidade ambiental, somos inteiramente ligados com o que está acontecendo e onde esta acontecendo, em todo o mundo.

Não podemos ter falhas principalmente na hora da extração do petróleo, pois um pequeno erro pode causar gravíssimas conseqüências ao meio ambiente.

Seguimos um padrão alto de tecnologia, então basicamente evitamos erros humanos, mais sempre são passadas informações rigorosas ao colaboradores de como evitar pequenos erros, a nossa missão também envolve o planeta e não queremos causar nenhum tipo de seqüela no nosso real objetivo, que é somente a extração e transformação do petróleo.

Performance ambiental

Nossa área de SMA (Segurança e Meio Ambiente) esta inteiramente ligada a todas as plantas, tendo como objetivo o “acidentes zero”.

Obtendo um grande aproveitamento, nunca tivemos grandes desastres e há anos não ocorre nenhum caso de derramamento.

Licenças ambientais

As operações nas unidades de produção da Chevron ao redor do mundo possuem licenças que obedecem à legislação nacional. O impacto ambiental dessas instalações consiste principalmente em emissões no ar, lançamentos na água, resíduo industrial, cheiro forte e ruído. Além da legislação e das condições incluídas nessas licenças, há também padrões e requisitos internos de cada operação que devem ser seguidos.

Gerenciamento de risco ambiental

Somos focados em ações preventivas para proteger os funcionários e os valores prioritários da empresa. A Chevron tem um procedimento global para integrar questões relacionadas ao risco de danos ambientais a outros trabalhos de gerenciamento de risco.

Cada unidade possui um plano de emergência para gerenciar distúrbios ao meio ambiente.

Norma ISO 14001; política ambiental (permite atingir e demonstrar um desempenho ambiental correto).

PASSO 3

Ler os capítulos 1 e 2 do PLT.

PASSO 4

Definir o que se entende por:

- Mudança Organizacional

- Quebra de Paradigmas

- Como uma empresa deve se preparar para mudar sempre que necessário

MUDANÇA ORGANIZACIONAL

As empresas estão inseridas em um ambiente em constante mudança, influenciando e sofrendo influências, aprendendo e ensinando, nisso temos a aprendizagem organizacional, onde todos estão envolvidos, apresentando um diferencial: o trabalho é melhor quando realizado em equipe.

As teorias administrativas buscam sempre evoluindo, buscando melhorias continuas para as organizações.

Por causa das necessidades que as organizações têm em relação ao ambiente interno e externo, as empresas precisam sempre buscar entender o que são os processos fabris e não fabris, como o propósito de controlar e gerenciar melhor a organização, e sempre lembrando que podem ter de mudar com certa agilidade, sempre que necessário, pois cada organização conhece cada etapa de seu processo é mais flexível, sendo assim, adaptando-se melhor às mudanças com maior velocidade e eficácia.

Mudanças exigem comprometimento, envolvimento e objetivos claramente estabelecidos e difundidos entre todos os envolvidos no processo. Deve ser bem definida e delimitada.

Etapas para definir uma mudança organizacional:

- Qual é o objetivo?

- Estado atual do grupo?

- Qual a mudança? (Conhecimento / Atitude / Comportamento individual ou do grupo).

Processo de aprendizagem:

- Planejar e realizar testes (os conceitos em novas situações)

- Ter uma experiência concreta

- Avaliar / Reavaliar (Observações e reflexões)

- Conclusão (Formação de conceitos abstratos e generalizados)

QUEBRA DE PARADIGMAS

O termo “paradigmas” serve para indicar modelos ou padrões, servindo como referência para explicar às pessoas como lidar com diferentes situações e ajudá-las nisso. Criando um critério para as escolhas de problemas que poderemos considerar como dotados de uma solução possível.

O paradigma oferece uma visão acerca do mundo e também um conjunto de problemas para serem resolvidos, contudo, quando muitas questões surgem e já não são solucionadas pelo paradigma vigente.

PREPARAR-SE PARA MUDAR SEMPRE QUE NECESSÁRIO

Devem ser sempre ter cada vez mais flexibilidade e agilidade, esperando que os custos sejam menores, que a satisfação dos clientes e a lucratividade sejam maiores.

O cenário apresenta-se como um grande desafio aos gestores que deverão liderar, devendo estimular cada trabalhador para que confie em seus pares, equipe. Permitindo que cada pessoa possa se desenvolver profissionalmente, pois assim os processos de trabalho tendem a ser mais produtivos, mediar conflitos, assegurando os interesses individuais, e os organizacionais estejam alinhados para que as partes ganhem e se conquiste e então tenham um bom clima organizacional.

PASSO 5

A) Definindo conceito e papeis do gestor organizacional.

CONCEITO E PAPEL DO GESTOR ORGANIZACIONAL

A palavra gestão vem do Latin gestioone – ato de gerenciar, administrar e para tanto o gestor organizacional terá de adotar um modelo orientado por princípios e valores expressos na missão e que reflitam a cultura da empresa para administrá-la rumo ao objetivo traçado. De ainda ser capaz de planejar estrategicamente, alocar recursos humanos, materiais e naturais de tal forma que viabilize o alcance dos objetivos traçados pela organização e materializados na visão. Gestor é conhecido como “administrador”, com uma nova roupagem, imbuído de novas responsabilidades que vieram complementar suas funções ou habilidades, que devem estar alinhadas às necessidades e exigências do mundo contemporâneo.

O papel do administrador

As funções do gestor foram, num primeiro momento, delimitadas como: planejar, organizar, comandar, coordenar e controlar. No entanto, por ser essa classificação bastante difundida, é comum encontrá-la em diversos livros e até mesmo em jornais de forma condensada em quatro categorias. São elas: planejar, organizar, liderar e controlar.

Planejar: "definir o futuro da empresa, principalmente, suas metas, como serão alcançadas e quais são seus propósitos e seus objetivos", ou como "ferramenta que as pessoas e as organizações usam para administrar suas relações com o futuro. É uma aplicação específica do processo decisório."

O planejamento envolve a determinação no presente do que se espera para o futuro da organização, envolvendo quais as decisões deverão ser tomadas, para que as metas e propósitos sejam alcançados.

Organizar: pode-se constatar que [...] se fosse possível seqüenciar, diríamos que depois de traçada(s) a(s) meta(s) organizacional (ais), é necessário que as atividades sejam adequadas às pessoas e aos recursos da organização, ou seja, chega a hora de definir o que deve ser feito, por quem deve ser feito, como deve ser feito, a quem a pessoa deve reportar-se, o que é preciso para a realização da tarefa.

Logo, "organizar é o processo de dispor qualquer conjunto de recursos em uma estrutura que facilite a realização de objetivos. O processo organizacional tem como resultado o ordenamento das partes de um todo, ou a divisão de um todo em partes ordenadas."

Liderar: envolve influenciar as pessoas para que trabalhem num objetivo comum. "Meta(s) traçada(s), responsabilidades definidas, será preciso neste momento uma competência essencial, qual seja, a de influenciar pessoas de forma que os objetivos planejados sejam alcançados."

A chave para tal está na utilização da sua afetividade, na sua interação com o meio ambiente que atua.

Na gestão não basta apenas ser uma pessoa boa, é necessário que tenha nascido para vencer, vitória essa que está relacionada com a busca constante de desafios, com a coragem de mobilizar-se, de assumir seu papel diante de seus pares, de seus colaboradores e de seus supervisores.

A chave para tal está na utilização da sua afetividade, na sua interação com o meio ambiente que atua. (muito bem mencionado)

Falar de afetividade pode significar aderir a um sistema de gestão de pessoas de forma parcial.

Quando se fala de gerir pessoas é importante ter em atenção ser competente, reconhecer competência e competências.

Trabalhar ou liderar pessoas é uma tarefa árdua, em que mais depressa se detectam os fracassos do que o sucesso, já que no primeiro caso toda a empresa se poderá ressentir, no segundo, o mérito é geralmente assumido de forma solitária.

Trabalhar com seres humanos exige conhecer, compreender para posteriormente se desenvolver.

Para identificar competências a que conhecer muito bem a empresa e todos os seus colaboradores. Desta forma partimos para a implementação de todo um sistema organizado, planejado e formalizado com o objetivo de reter talentos, desenvolver as capacidades individuais, prever constrangimentos, e acima de tudo criar e gerir as oportunidades. Desta forma motivamos todos os intervenientes, gerimos as suas expectativas e potenciamos a produtividade.

Liderar significa análise, responsabilidade e justiça.

Maximiano, ao invés de liderar, define o terceiro passo como executar, "o processo de execução consiste em realizar as atividades planejadas que envolvem dispêndio de energia física e intelectual"

E por último controlar, que "estando a organização devidamente planejada, organizada e liderada, é preciso que haja um acompanhamento das atividades, a fim de se garantir a execução do planejado e a correção de possíveis desvios".

Cada uma das características pode ser definida separadamente, porém dentro da organização, são executadas em conjunto, ou seja, não podem ser trabalhados disjuntos.

Princípios para um bom administrador

 Saber utilizar princípios, técnicas e ferramentas administrativas;

 Saber decidir e solucionar problemas;

 Saber lidar com pessoas: comunicar eficientemente, negociar, conduzir mudanças, obter cooperação e solucionar conflitos.

 Ter uma visão sistêmica e global da estrutura da organização;

 Ser proativo, ousado e criativo;

 Ser um bom líder;

 Gerir com responsabilidade e profissionalismo.

 Ter visão de futuro

B) Entrevista com gestor da empresa de estudo sobre o que ele pensa sobre este tema (PASSO 5)

ENTREVISTADO: Privado

CARGO: Privado

OPINIÃO A RESPEITO DO ASSUNTO:

O gestor em si tem um papel extremamente difícil e de muita importância, devido ao bom andamento de toda a organização, pois depende dele toda a estrutura de maneira organizada e de bom funcionamento. Os setores são divididos por tarefas e importâncias, e damos as devidas precauções para cada um deles. Todos devidamente regulares e de acordo com procedimentos elaborados pelos próprios gestores das áreas e revisados pelo gestor organizacional. Cada empresa tem seu gestor e cabe a ele observar e entender o andamento de cada área e como funciona sabendo como lidar e como modificar certas coisas para o bom rendimento. A organização depende fundamentalmente dos funcionários motivados e suas perspectivas futuras para melhor atender sempre e trabalhando sem a estrutura adequada, as demandas não são atendidas a ponto de atingir a excelência, trazendo assim conseqüências negativas e de péssima imagem para a empresa. O papel fundamental de um gestor organizacional é administrar o bom andamento dos setores para o bom andamento da empresa, a organização e seus colaboradores onde em princípio fundamental é buscar atingir a excelência operacional.

C) Relatório com as anotações da entrevista e comparar com a teoria que consta no PLT.

Tanto na Chevron com o PLT demonstram, o papel fundamental de um gestor é clareza com sua ética e responsabilidade sempre disposto a aprender baseando-se nas decisões. Muitos conceitos são usados como forma de network e entendimento sobre os aspectos abrangentes na empresa.

O gestor deve avaliar conceitos e traçar planos de ações para cada método a ser seguido dentro da empresa, em base a missão principal da empresa avaliando todo o conceito, determinando objetivos principais e visando sempre a mudança para melhor. Para ser um grande gestor necessita ter um conhecimento amplo para sempre materializá-los em sua missão.

Sofrem grande pressão interna, pois são os reais responsáveis pelos lucros e mudanças principais dentro da empresa, mais devem manter ao máximo sua ética e princípios morais, seguindo os códigos de conduta. Manter a imagem corporativa preservando sua moral promovendo ações de inovação e mudanças.

As empresas precisam ter visão para o longo prazo, ou seja, planejamento estratégico, e também referente ao meio ambiente, assumir responsabilidades que poderá, eventualmente, sofrer com as atividades produtivas da organização. Também promover ações sociais pelo bem da comunidade em torno da empresa.

Sempre dividir seu conhecimento e aprendizado, um gestor moderno também aplica suas lições para os funcionários visando o crescimento pessoal de cada um, aprimorando quando assim, um crescimento individual e de retorno positivo para a empresa.

Comparando os dois lados, o gestor capacitado é aquele que compreende todas as situações tanto dentro como fora da empresa, para lidar com os paradoxos da economia em escala global, mesmo que suas ações estejam concentradas apenas no mercado nacional. O dinamismo para o conhecimento técnico e conceitual, responsável por criar e operacionalizar empresas e produtos sensíveis ao consumidor.

A etapa principal é a coleta de dados para se interar das necessidades e expectativas, traçarem um plano de ação eficiente e determinado, e dedicação para implantar as mudanças eficazes e certificação de garantia total das novas soluções, tendo em base que ao mesmo tempo em que precisa buscar o conhecimento deve cuidar para que este seja disseminado, com ética e responsabilidade.

ETAPA 2

TEMA: Tecnologias de Gestão Organizacional

PASSO 1: Ler capítulos 3 e 4 do PLT.

PASSO 2: Resumo sobre “Gestão da qualidade total”

GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL

A gestão de qualidade total é conhecida como TQM e também e citada como GQT ou TQC, foi desenvolvida entre as décadas 1950e 1980, ela se baseia nos trabalhos dos autores Crosby,Deming, Freigebaum,Ishikawa e Juram que se difundiu como sistema de gestão mais conhecida e utilizada na industria, ela é focada nas necessidades dos clientes, alem de se tornar a principal qualidade com prioridade nas empresas, com isso envolvem todas as áreas das organizações.

O TQC e o controle exercido por todas as pessoas para a satisfação das necessidades de todas as pessoas.

Exemplo de conceitos:

• Orientação pelo cliente: produzir e fornecer serviços e produtos que sejam definitivamente requisitados pelo consumidor

• Qualidade em primeiro lugar

• Ação orientada por prioridade

• controle de processos

Para Iishikawa (1993) o TQC e uma revolução de pensamentos administrativos como:

• Qualidade em primeiro lugar

• Orientação para o consumidor

• O próximo processo e o próximo processo é o seu cliente.

Para Juran (2002) a gestão de qualidade total é definida como a extensão dos planejamentos da empresa incluindo o planejamento de qualidade.

• Estabelecer metas abrangentes.

• Determinar as ações para alcançá-las.

• Atribuir responsabilidade bem definidas para o comprimento das nações.

Para Harrington (1997) define os pontos básicos da TQM como:

• Prevenção de erros táticos e operacionais

Para Wood (2004) a pratica da TQM, vive um momento delicado. Evidencias praticas demonstram uma lacuna entre as expectativas geradas pelos projetos de implantação e os resultados efetivamente alcançadas.

• Participação efetiva do presidente

• Foco no consumidor para evitar confusão entre os meios e os fins

• Ligação dos objetivos da TQM com os objetivos estratégicos da empresa

• Uso intensivo do BENCHEMARKING.

PASSO 3: Terceirização

A) Pesquisar áreas ou serviços que podem vir a ser terceirizados nesta empresa. Elabore um breve relatório com descrição da área que poderia ser terceirizada, vantagens, desvantagens para empresa, custo estimado.

Os serviços terceirizados da Chevron em base são operacionais, onde os funcionários trabalham atentamente na área de produção e manutenção, ou seja, áreas fabris. As áreas mais comuns de atuação de serviço terceirizado se encontram em: Manutenção Geral, Limpeza, Carregamento, Laboratório, Segurança e Meio Ambiente.

Vantagens para a empresa contratante

• Concentração de esforços na atividade-fim;

• Aumento dos índices de produtividade;

• Maior agilidade, flexibilidade e competitividade;

• Maior eficiência na cadeia produtiva;

• Controle de qualidade assegurado pelo fornecedor;

• Expansão sem grandes investimentos;

• Diminuição dos recursos investidos em infra-estrutura;

• Liberação de capital imobilizado;

• Redução de custo final do produto;

• Transformações dos custos fixos em custos variáveis;

• Redução dos níveis hierárquicos e controles;

• Melhoria na imagem institucional.

Vantagens para a empresa contratada

• Abertura de novos mercados;

• Expansão dos negócios;

• Desenvolvimento do senso de parceria;

• Maior especialização em seu segmento;

• Desenvolvimento gerencial do empresário;

• Aprimoramento da vocação empreendedora.

• Desenvolvimento da visão de longo prazo.

DESVANTAGENS

• Risco de desemprego e não absorção da mão-de-obra na mesma proporção;

• Resistências e conservadorismo;

• Risco de coordenação dos contratos;

• Falta de parâmetros de custos internos;

• Demissões na fase inicial;

• Custo de demissões;

• Dificuldade de encontrar a parceria ideal;

• Falta de cuidado na escolha dos fornecedores;

• Aumento do risco a ser administrado;

• Conflito com os sindicatos;

• Mudanças na estrutura do poder;

• Aumento da dependência de terceiros;

• Perca do vínculo para com o empregado;

• Desconhecimento da legislação trabalhista;

• Dificuldade de aproveitamento dos empregados já treinados;

• Perda da identidade cultural da empresa, em longo prazo, por parte dos funcionários.

O custo seria alto devido aos funcionários que já trabalham diretamente para a empresa nos setores há anos por conta da rescisão e da busca iminente de um funcionário com as mesmas qualificações, definindo assim, o mesmo funcionário ser contratado como terceiro não iria trabalhar de mesmo ritmo e motivação.

PASSO 4: Ler capítulos 5 a 10 PLT

A) Descrever as principais características, vantagens e aplicações de cada uma das tecnologias apresentadas no livro texto.

Benchmarking

Conforme estudado no PLT: Tecnologias e Ferramentas de Gestão dos organizadores Décio Henrique Franco, Edna de Almeida Rodrigues e Moises Miguel Cazela, no capítulo V, entendemos que benchmarking é o processo utilizado pelas empresas para avaliar o desempenho de seus processos, sistemas e procedimentos de gestão, comparando com outras organizações. É dos mais úteis instrumentos de gestão para melhorar o desempenho das empresas e conquistar a superioridade em relação à concorrência.

É necessário que haja preparo para aplicar o benchmarking, pois deverão ser analisadas as informações coletadas e saber usar somente o que irá ajudar a empresa.

Trata-se de um processo de comparação do desempenho entre dois ou mais sistemas, onde são apontadas as práticas erradas dentro da organização.

É um método sistemático de procurar os melhores processos, as idéias inovadoras e os procedimentos de operação mais eficazes que resultem em um desempenho superior.

Podemos citar quatro tipos de benchmarking:

1. Interno: procura das melhores práticas dentro da própria organização.

2. Competitivo: análise das ações de outras empresas presentes no mesmo ambiente.

3. Genérico: são pesquisados os processos mais complexos, independentemente de ser um parceiro do mesmo ambiente competitivo.

4. Funcional: É desenvolvido com os parceiros.

Para que sejam alcançados os objetivos esperados é necessário planejar e executar o benchmarking cuidadosamente, para isso, devemos seguir as etapas abaixo:

1. Planejamento;

2. Coleta de dados;

3. Análise e comparações;

4. Elaboração e implementação do plano de mudança.

Podemos identificar várias vantangens com a utilização do Benchmarking, são elas:

• Introduzir novos conceitos de avaliação;

• Melhorar o conhecimento da própria organização;

• Identificar áreas que devem ser objeto de melhorias;

• Estabelecer objetivos viáveis e realistas;

• Criar critério de prioridade no planeamento;

• Favorecer um melhor conhecimento dos concorrentes e do nível competitivo do mercado;

• Aprender com os melhores.

O benchmarking é aplicável a qualquer organização, independente de seu segmento ou porte.

O benchmarking é uma poderosa ferramenta para a melhoria de diversos processos encontrados nas organizações, sabendo utiliza-lo adequadamente, certamente os resultados serão alcançados resultados satisfatórios.