Trabalho Completo Poluição Do Solo

Poluição Do Solo

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Ciências

Enviado por: xgokux 04 abril 2013

Palavras: 827 | Páginas: 4

Poluição do Solo

A poluição do solo consiste numa das formas de poluição, que afeta particularmente a camada superficial da crosta terrestre, causando malefícios diretos ou indiretos à vida humana, à natureza e ao meio ambiente em geral. Consiste na presença indevida, no solo, de elementos químicos estranhos, de origem humana, que prejudiquem as formas de vida e seu desenvolvimento regular. A poluição do solo pode ser de duas origens: urbana e agrícola. A poluição urbana consiste nos resíduos produzidos e jogados no ambiente pela população e a poluição agrícola consiste na utilização de substâncias prejudiciais como os agrotóxicos.

Devido à grande população mundial o homem desenvolveu a agricultura para sustentar todos e produzir quantidades grandes de alimento como mercadoria enriquecedora do comércio dos países. Isso fez com que o homem desenvolvesse técnicas que facilitassem o seu trabalho. São ações humanas prejudiciais ao solo:

• Queimadas: geralmente os agricultores fazem queimadas com a finalidade de limpar os terrenos para outro plantio. É uma prática antiga e barata e também é extremamente prejudicial. O fogo mata, além das plantas, os microrganismos. Os nutrientes viram cinzas e são transportados facilmente para outros locais, empobrecendo, desta maneira, o solo.

• Desmatamento: retirar a vegetação de um determinado local, além de alterar a paisagem contribui para o enfraquecimento do solo. Ficando exposto, ele facilitadamente sofrerá efeitos como a erosão.

• Erosão: é resultante da atividade humana também é capaz de alterar a paisagem, a composição e a formação do solo, numa velocidade bem maior que os processos naturais.

• Extrativismo: o extrativismo mineral também causa impacto, pois é necessário modificar o local para conseguir retirá-los. Devido à grande demanda, locais de difícil acesso estão sendo explorados. Outro problema sério é que, geralmente, na extração são usados produtos tóxicos que contaminam o ambiente.

• Lixo: uma das principais causas da poluição do solo são o acúmulo de lixo domiciliar, constituído predominantemente por matéria orgânica. Existem tipos específicos de lixo:

• Lixo industrial: é o resíduo proveniente de processos industriais. Varia conforme o processo de produção. Alguns podem ser reutilizados, como a produção alimentícia. Já o lixo dos processos que geram material químico são bem menos aproveitados por apresentarem maior grau de toxicidade, e elevado custo para reaproveitamento.

• Lixo Hospitalar: é o lixo que resulta da manipulação em hospitais e clínicas. Esse lixo representa um grande perigo à saúde, uma vez que pode estar contaminado com microorganismos causadores de doenças.

• Resíduo nuclear: é o lixo atômico e as escórias radioativas provenientes de processos como a fissão nuclear, gerado nos reatores nucleares. São criados isótopos radioativos como o césio, estrôncio, iodo, criptônio e plutônio. A radioatividade é extremamente nociva aos seres humanos.

Existem métodos de eliminação do lixo que reduzem o efeito deles no ambiente:

• Lixão: é uma área, sem nenhuma preparação anterior, onde é feita a disposição final dos resíduos sólidos. Não tem nenhum sistema para efluentes líquidos: o chorume (substância líquida resultante do processo de putrefação de matérias orgânicas).

• Aterro Sanitário: o solo é impermeabilizado, o resíduo é compactado e coberto diariamente. O chorume é coletado e tratado para não causar contaminação do solo.

• Aterro Controlado: é um modo controlado de depositar resíduos no ambiente. O lixo é espalhado e compactado, depois coberto por terra.

• Reciclagem: É um processo que reaproveita os resíduos já utilizados pelo homem.

• Incineradores: São fornos que queimam os resíduos.

• Compostagem: o material orgânico sofre um tratamento biológico resultando em um composto.

• Agrotóxicos: Os agrotóxicos são substâncias químicas utilizadas em produtos agrícolas e pastagens com a finalidade de alterar a composição destes preservando-os da ação danosa de seres vivos ou substâncias nocivas. Alguns exemplos de agrotóxicos são os pesticidas, herbicidas, inseticidas, fungicidas e fertilizantes. Eles servem para eliminar pragas ou fortificar o crescimento das plantações.

O maior problema são os elementos encontrados na formação dos agrotóxicos. O que causa mais danos é o DDT (diclorodifeniltricloroetano), que é proibido por lei, pelo fato de se acumularem durante as cadeias (isso ocorre pois as substâncias são solúveis em gordura, ficando armazenado nos tecidos gordurosos do corpo por um longo tempo). Pesquisas comprovaram a possibilidade de pessoas que consomem alimentos com agrotóxicos desenvolverem doenças que afetam o sistema imunológico e nervoso, até mesmo o câncer. Os danos no ambiente também são grandes, pois as substâncias são fortemente absorvidas pelo solo, mudando a sua composição e afetando todos os meios que se envolvem com ele (animais, plantas, etc). Existem técnicas que evitam o uso dos agrotóxicos, como a agricultura orgânica.

Tratamento do solo: para amenizar o grau de poluição e desgaste do solo existem métodos de tratamento do mesmo, como o tratamento térmico (é feita através do uso do vapor), tratamento biológico (através de microorganismos que metabolizam compostos químicos), e tratamento físico-químico (lavagem do solo).

Os métodos de preservação do solo e diminuição da poluição são baseados no controle consciente de resíduos humanos (controle na produção excessiva e eliminação correta do lixo), diminuição no uso de agrotóxicos e a conscientização dos danos causados pelos processos de exploração do ambiente.