Trabalho Completo Produção Textual Interdisciplinar Em Grupo

Produção Textual Interdisciplinar Em Grupo

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Outras

Enviado por: Paulo 02 janeiro 2012

Palavras: 2207 | Páginas: 9

...

s desiguais e, por isso, é um efeito e não a causa da pobreza.

Considerando a importância da inclusão das pessoas com necessidades educacionais especiais (NEE) na escola, a educação inclusiva é hoje, um conceito que engloba diversas propostas educativas, entre as quais, a educação especial para alunos jovens e adultos.

Levando em conta o papel desempenhado pela Educação de Jovens e Adultos (EJA) e pela Educação Inclusiva, temos que contribuir positivamente ao processo de formação dos alunos com necessidades especiais no que se refere ao amadurecimento das habilidades, com competência e atitudes comunicativas como para que possamos fazer uma relação com as duas temáticas, visto que em meio à vasta literatura acerca dos temas, podemos perceber que em sua maioria são discutidas separadamente.

Se para os jovens e adultos “ditos normais”, já lhe são negados o direito à educação de qualidade, imaginemos aos jovens e adultos com necessidades educacionais especiais, que longa distância a percorrer para encontrar soluções e garantir esse direito. O ensino do EJA ao aluno com necessidades especiais aparentemente não se insere no modelo de educação inclusiva.

Temos ciência que por princípio, a EJA já é diferenciada devido à diversidade de seu alunado e da amplitude de conhecimento que o mesmo possui ao ingressar na escola assim compreender ser, muitas vezes é humilhante para um adulto de ter que estudar como se fosse criança renunciando a tudo que ávida ensinou-lhe. É preciso sabermos como o trabalho é feito de forma precária por falta de estrutura por ter um número reduzido de professores especializados, capacitados ou mesmo sensibilizados para o trabalho em uma educação inclusiva.

Faz-se necessário que percebamos a educação como algo singular, individual, pois cada aluno se apropria do conhecimento de forma diferente, de acordo com suas aptidões e experiências de maneira de perceber o mundo das condições sociais do amadurecimento cronológico e psicológico ou mesmo de acordo com suas limitações físicas ou mentais.

É inconcludente pensar numa escola onde haja preocupação em diferenciar o sujeito, na sua singularidade onde o processo de inclusão não seja percebido de forma consciente e extensivo a todo segmento da escola, principalmente no processo ensino aprendizagem de todas as modalidades e em particular na educação de jovens e adultos devido a relevância dessa modalidade de ensino na construção do conhecimento de pessoas que tardiamente ingressaram na escola de forma que venha viabilizar e promover condições de desenvolvimento considerando as implicações de natureza social e cognitiva, favorecendo “[ ] uma educação para o desenvolvimento e para a democracia” (DAMKE, 1995, p. 29).

Os alunos do EJA são bastante influenciados na sua aprendizagem no que diz respeito aos seus ciclos de vida, ou seja, a juventude, a maturidade e a velhice; quanto á suas identidades: sexo, geração raça formação cultural que exercem

Para eles ler e escrever passam a ser um objetivo intimamente ligado às representações que esses alunos formaram através dos conhecimentos e habilidades que foram adquirindo e desenvolvendo ao longo da vida. O jovem, o adulto, o idoso, cada um inserido na sua realidade social e cultural, adquiriram conhecimentos diversos no desempenho de papéis sociais e experiências das mais diferenciadas. Isso tudo terá uma forte influência na forma como esses alunos se inserem na alfabetização e consiste no desafio maior para os professores de EJA.

Conhecer seus alunos, saber onde e como vivem qual o seu histórico de vida e a sua realidade consistem no primeiro passo para uma experiência de EJA bem sucedida. Esse levantamento também deve considerar as motivações desses jovens e adultos não alfabetizados ou pouco escolarizados, quais as condições e perspectivas em relação ao retorno ou acesso à escolarização.

PERGUNTAS:

1- Você conhece o conteúdo da LDB – Educação Especial para EJA ? se conhecer faça um comentário a respeito e se não conhece justifique o motivo.

Não conhecemos nenhuma legislação que contemple esse conteúdo, o que sabemos é que há necessidade de elaborar, implementar lei que trate propriamente desses casos. Sabemos que há pessoas debatendo o assunto, Seminários, tese de mestrado, porém legislação específica não conhecemos. Agradeço antecipadamente, e solicito que você nos envie caso tenha conhecimento de tal documento.

2- Na escola existe algum tipo de acompanhamento para alunos de inclusão do EJA?Comente.

Sim existe uma sala de EJA Ciclo I, com a professora da prefeitura, nesta sala ocorre aula diariamente por um período inteiro, o aluno tem esse acompanhamento , após sanar as dificuldades que ficaram acumuladas, a professora encaminha para os nossos módulos e eles passam a estudar no formato presença flexível, estes alunos podem procurar auxílio sempre que precisarem (na mesma sala).

Temos também a Inclusão dos Deficientes Visuais; auditivos e mentais, todos do Madre Cecília.Uma professora especialista para cada turma, elas tem o nosso material e utilizam adaptando as necessidades desses alunos.

A professora de D.V tem apostilas ampliadas, e faz a leitura para os D.Vs , após a leitura da professora , eles respondem em Braille ela traduz , nossos professores fazem a correção.

A Professora de D.A usa gestos e Libras, eles respondem nossas avaliações e nossos professores corrigem.

A professora de D.M lê explica, simplifica e estes respondem de acordo com suas limitações, nesse caso nossos professores corrigem e ela orienta em caso de dúvida.

3- Nesta escola a tecnologia contribui de alguma forma com os processos inclusivos para alunos da EJA?Cite exemplos.

Contribui no caso de espaço para conferências com data show, DVD, em relação a PC para alunos, não temos disponíveis, porém os da Madre Cecília, fazem uso dessa tecnologia no CEMT, já os da sala EJA Ciclo I, infelizmente não tem acesso na nossa U.E.

4- O Projeto Político Pedagógico da escola contempla o uso de tecnologias para alunos de inclusão da EJA?Justifique.

Nesse P.P.P do quadriênio 2011-2014 estamos solicitando computadores para uso do aluno, dos quais, um terá internet, porém é projeto novo ainda estamos na fase de elaboração e encaminhamento.Principalmente para os alunos que não tem acesso ,e necessitam pesquisar, estudar apostilas online etc.

Professora Carolina de Castro Rezende

Conclusão

Este texto procurou levantar algumas referencias à educação inclusiva, elaborado para destacar importância da inclusão social nas escolas públicas no país que vem direcionar as escolas e alcançarem seus objetivos enfatizando alguns pontos sob os aspectos sócios – políticos e culturais no contexto brasileiro, priorizando a formação integral do indivíduo, organizando-se de forma a retratar o quanto é possível a idéia de aprender fazendo, como o conhecimento resulta da ação a partir do interesses e necessidades, valorizando as tentativas experimentais a pesquisa, a descoberta, o estudo natural e social a motivação que depende da força de estimulação dos problemas e das disposições internas e interesses dos alunos. Procuramos defender a Educação Inclusiva com a perspectiva da garantia dos direitos e da cidadania das pessoas com deficiência, e para que inclusão social aconteça, ela deve começar pela escola, que é o primeiro lugar social e, em decorrência da importância que ela tem, deve acolher a todas as crianças, jovens e adultos sem discriminação.

Contudo acreditamos que possamos contribuir para o processo d formação do educador da EJA, levando-o a refletir sobre a importância do amadurecimento das habilidades, competências e atitudes de forma que possa proporcionar aos alunos com necessidades educacionais especiais, a minimização ou superação das dificuldades de aprendizagem, bem como, o desenvolvimento de suas potencialidades, permitindo-lhes o total exercício da cidadania, princípio básico da educação inclusiva.

A inclusão escolar implica na reestruturação de diversos fatores pertencentes à educação como um todo, de forma que possa atender a todos os educandos e em particular aos educandos da EJA. É papel da Escola, dar condições igualitárias a todos, todavia o ideal de escola inclusiva pressupõe que todos são iguais no respeito às diferenças para se construir uma sociedade justa, onde todos possam viver e conviver com os direitos garantidos.

Referências Bibliográficas:

DAMKE, Ilda Righi: O processo de conhecimento na pedagogia da libertação. Rio de Janeiro: Petrópolis, 1995.

GADOTTI, Moacir. A educação de jovens e adultos não é questão de solidariedade: é uma questão de direito. Revista Pátio. Ano VIII. N º 32. nov / 2004, Jan /2005.

NALLIN, Araci. Reabilitação em instituição: suas razões e procedimentos. analise e representação do discurso. Brasília: Corde, 1994.

PERRENOUD, Philippe. A pedagogia na escola das diferenças: fragmentos de uma sociologia do fracasso. Porto Alegre: Artmed , 2001.

RIBEIRO, Maria Luisa Sprovieri .Perspectivas da escola inclusiva: algumas reflexões.

In : RIBEIRO, Maria Luisa Sprovieri e BAUMEL, Roseli Cecília Rocha de Carvalho.

Ministério da Educação e do Desporto. Lei de Diretrizes e Bases da educação Nacional, Nº9394 de dezembro de 1996. FREITAS, S.N. A formação de professores na educação inclusiva: Construindo a base de todo processo.

.COSTA, E. H. C. E GÓMEZ, C. M. Superar a cultura da violência: Um desafio para a escola. In. TEVÊS, N e RANGEL, M. Representação Social e Educação. Campinas: Papiros, 1999.

B823P – BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental Parâmetros Curriculares Nacionais: Adaptações Curriculares/Secretaria de Educação Especial. – Brasília: MEC/SEF/SEESP, 1998. 62p.

FREIRE, PAULO. Pedagogia da Autonomia. Ano da Publicação Original: 1996. Ano da Digitalização: 2002.

-----------------------

Sistema de Ensino Presencial Conectado

PEDAGOGIA

ANA PAULA CURSINO PANAZZOLO

IRANI ANTONIETTI

LIGIA MARCIA SIMÕES PEREIRA

LUCIANA ORSI PADULA RIBAS DE CASTRO

ROSILDA MARTINELLI DE ARAUJO

ZULEIDE VIVIANE ZORNIO

PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO

Taubaté

2011

ANA PAULA CURSINO PANAZZOLO

IRANI ANTONIETTI

LIGIA MARCIA SIMÕES PEREIRA

LUCIANA ORSI PADULA RIBAS DE CASTRO

ROSILDA MARTINELLI DE ARAUJO

ZULEIDE VIVIANE ZORNIO

PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO

Trabalho apresentado ao Curso Pedagogia da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para as disciplinas Educação, Cidadania e Saúde Infantil, Tecnologia da Educação, Educação de Jovens e Adultos, Fundamentos da Educação Especial, A Ação docente e a Diversidade Humana e Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS – Módulo VII

Taubaté

2011