Trabalho Completo Prova De Filosofia Ensino Medio

Prova De Filosofia Ensino Medio

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Filosofia

Enviado por: sernegio 23 julho 2013

Palavras: 2480 | Páginas: 10

FILOSOFIA QUESTÕES PARA A PROVA DO 4º BIMESTRE DE 2012

QUESTÕES 3º ANO

QUESTÃO UM

A estética como estudo da percepção da sensibilidade e subjetividade , constrói no universo da arte, o entendimento da manifestação tanto de uma como da outra faceta da vida humana. Sobre o desenvolvimento da arte no mundo ocidental é correto afirmar que:

Nas primeiras sociedades e culturas, o artista era um mago, um artesão e um iniciado num oficio sagrado.

A relação profunda da arte com a religião foi marcante durante a idade média, pois a cultura cristã deste período valorizava o trabalho dos artífices e religiosos que expressavam em suas realizações os valores do mundo pagão.

A autonomia das artes enfrentou grandes obstáculos com a dessacralização do mundo promovida pela implantação do modelo capitalista na Europa.

Para os gregos, como Platão e Aristóteles, o trabalho do artista era a reprodução do mundo idealizado pelos deuses gregos.

QUESTÃO DOIS

A partir da renascença a arte passou a ser concebida de forma distanciada do sentido religioso que até então predominava na Europa, sobre esse período analise as afirmações a seguir e depois assinale a alternativa errada:

I- Os conhecimentos teóricos, elaborados a partir da renascença, tinham como características a aplicação do conhecimento para a invenção e construção de instrumentos, ao tempo em que, buscavam a realização de atividades como a medicina, a engenharia e a arquitetura.

II- Como conseqüência da renascença, surgiu na arte, a preocupação com o aspecto útil e belo da realização humana.

III- Com a idéia de beleza, utilidade, juízo de gosto, as artes passaram a ser o sustentáculo da idéia de estética que o mundo ocidental tem nos dias de hoje.

Apenas as afirmações I e III são corretas

Apenas as afirmações I e II são corretas

Apenas as afirmações II e III são corretas

Todas as afirmações são corretas e não há contradições entre elas

QUESTÃO TRES

Sobre a finalidade da arte, analise as afirmações a seguir e assinale a alternativa correta.

I- Pela finalidade social das obras de arte na antiguidade eram feitas para dar prestígio a seus patrocinadores.

II- Pelo lugar social ocupado pelo artista nos dias de hoje o profissional desta atividade tem grande interesse na produção religiosa e na cultura de massa.

III- Pelas condições de recepção da obra de arte a classe economicamente dominante buscou se aliar às classes populares para popularizar e fazer acessível a todos o trabalho do artista.

Todos os itens apresentam algum elemento de contradição.

O iten III complementa o sentido do item II e os torna verdadeiros

Todos os itens estão corretos.

Há apenas dois itens errados.

QUESTÃO QUATRO

Sobre o nascimento da arte popular e da cultura de massa , é correta a seguinte alternativa:

A arte popular, ou a indústria cultural de massa não se conecta às transformações econômicas ocorridas no mundo ocidental, desde a revolução industrial.

Em nossos dias as artes costumam ser distinguidas em folclore , popular, erudita, de massa e tem seus público alvos definidos pelo poder econômico e social de suas assimilações.

A arte de elite não se distancia significativamente da arte de massa, porque ambas surgiram da implantação do modelo capitalista, a partir da revolução industrial.

A cultura de elite não sofre influencia da cultura de massa e nem a influencia, pois são realizadas para públicos diferentes.

QUESTÃO CINCO

A indústria cultural que é um fenômeno da contemporaneidade, pode ser vista como um fenômeno que provoca situações complexas como as que se pode analisar a seguir. Interprete os itens e em seguida assinale a alternativa incorreta.

I- A indústria cultural se apropria de criações populares e eruditas, pois é nessa dimensão que tal industria cumpre seu papel social de democratizar a arte.

II- A indústria cultural cria a ilusão de que todos têm acesso aos mesmos bens culturais, cada um escolhendo o que deseja.

III- A indústria cultural define a cultura como formação intelectual dos mais favorecidos e eliminação da alienação das classes mais populares.

Os itens I e III estão corretos

Os itens II e III estão corretos

Os itens I e III estão errados

Os itens I e II estão errados

QUESTÃO SEIS

(ENEM-2012) Nossa cultura lipofóbica muito contribui para a distorção da imagem corporal, gerando gordos que se veem magros e magros que se veem gordos, numa quase unanimidade de que todos se sentem ou se veem “distorcidos”.

Engordamos quando somos gulosos. É pecado da gula que controla a relação do homem com a balança. Todo obeso declarou, um dia, guerra à balança. Para emagrecer é preciso fazer as pazes com a dita cuja, visando adequar-se às necessidades para as quais ela aponta.”

FREIRE, D. S. Obesidade não pode ser pré-requisito. Disponível em htpp//gnt. Globo.com.

O texto apresenta um discurso de disciplinarização dos corpos, que tem como consequência:

A ampliação dos tratamentos médicos alternativos, reduzindo os gastos com remédios.

A culpabilização individual, associando obesidade à fraqueza de caráter.

A democratização do padrão de beleza, tornando-o acessível pelo esforço individual.

O controle do consumo, impulsionando uma crise econômica na indústria de alimentos.

QUESTÕES 2º ANO

QUESTÃO UM

A ciência é um conhecimento racional dedutivo e demonstrativo como a matemática, portanto, capaz de provar a verdade necessária e universal de seus enunciados e resultados, sem deixar nenhuma dúvida. (Chaui, M. Convite à Filosofia, p. 221)

O trecho acima resume qual concepção de ciência?

Empirista.

Construtivista.

Racionalista.

Newtoniana.

QUESTÃO DOIS

(ENEM- 2012) TEXTO I

Experimentei algumas vezes que os sentidos eram enganosos, e é de prudência nunca se fiar inteiramente em quem já nos enganou uma vez.

DESCARTES, R. Meditações Metafísicas. São Paulo: Abril Cultural,1979.

TEXTO II

Sempre que alimentarmos alguma suspeita de que uma ideia esteja sendo empregada sem nenhum significado, precisaremos apenas indagar: de que impressão deriva esta suposta ideia? E ser for possível atribuir-lhe qualquer impressão sensorial, isso servirá para confirmar nossa suspeita.

HUME,D. Uma ivestigação sobre o entendimento. São Paulo: Unesp.2004 (adaptado)

Nos textos, ambos os autores se posicionam sobre a natureza do conhecimento humano. A comparação dos excertos permite assumir que Descartes e Hume:

Defendem os sentidos como critério originário para considerar um conhecimento legitimo.

Atribuem diferentes lugares ao papel dos sentidos no processo de obtenção do conhecimento.

Concordam que conhecimento humano é impossível em relação às ideias e aos sentidos.

Entendem que é desnecessário suspeitar do significado de uma ideia na reflexão filosófica e critica.

QUESTÃO TRES

(ENEM-2012) Não ignoro a opinião antiga e muito difundida de que o que acontece no mundo é decidido por Deus e pelo acaso. Essa opinião é muito aceita em nossos dias, devido às grandes transformações ocorridas, e que ocorrem diariamente, as quais escapam à conjectura humana. Não obstante, para não ignorar inteiramente o nosso livre-arbítrio, creio que se pode aceitar que a sorte decida metade dos nossos atos, mas [ o livre-arbítrio] nos permiete controlar a outra metade.

MAQUIAVEL, N. O Principe. Brasilia:EdUnB, 1979 (adaptado)

Em O Principe, Maquiavel refletiu sobre o exercicio do poder em seu tempo. No trecho citado, o autor demonstra o vinculo entre o seu pensamento politico e o humanismo renascentista ao:

Afirmar a confiança na razão autonôma como fundamento da ação humana.

Romper com a tradição que valorizava o passado como fonte de aprendizagem.

Redefinir a ação politica com base na unidade entre fé e razão.

Valorizar a interferência divina nos acontecimentos definidores de seu tempo.

QUESTÃO QUATRO

“O filósofo Thomas Kuhn afirma que uma teoria se torna um modelo de conhecimento ou um paradigma científico. O paradigma se torna o campo no qual uma ciência trabalha normalmente, sem crises. Em tempos normais, um cientista, diante de um fato ou de um fenômeno ainda não estudado, o explica usando o modelo ou o paradigma científico existente. Em contraposição à ciência normal, ocorre a revolução científica. Uma revolução científica acontece quando o cientista descobre que o paradigma disponível não consegue explicar um fenômeno ou um fato novo, sendo necessário produzir um outro paradigma.”

(CHAUÍ, M. Convite à Filosofia. 14.ª ed. São Paulo: Ática, 2011, p. 281).

Sobre isso, julgue os itens e assinale a alternativa correta:

I- O paradigma científico é o campo teórico do cientista porque fornece os parâmetros para a ciência normal.

II- A teoria torna-se um modelo de conhecimento porque ela se constitui como uma explicação dos fenômenos para o cientista.

III- O paradigma científico é incompleto porque os cientistas estão sempre negando os paradigmas.

IV- A revolução científica é um avanço na ciência porque os cientistas sempre descobrem que as teorias anteriores estavam erradas.

V- Embora verdadeiros, os paradigmas científicos são mutáveis porque os cientistas podem alcançar os limites dos modelos teóricos.

Todos os itens estão corretos.

Há apenas um item errado.

Há apenas dois itens errados.

Há apenas um item correto.

QUESTÃO CINCO

O conhecimento pressupõe a existência de um sujeito conhecedor e de um objeto a ser conhecido mediados pelo ato de conhecer: “ é a relação estabelecida entre sujeito e objeto, na qual o sujeito apreende informações a respeito do objeto. É a atividade do psiquismo humano que torna presente à sensibilidade ou à inteligência um determinado conteúdo, seja ele do campo empírico ou do próprio campo ideal” (Severino, 1992:38). Cabe-nos entender que, o conhecimento consiste na apropriação intelectual de um conjunto de dados empíricos ou ideais, com a finalidade de dominá-los e utilizá-los para entendimento e elucidação da realidade.

Tomando como base a palavra grifada, assinale a ideia defendida pelos empiristas.

Os empiristas afirmam a negação da razão e da experiência como fonte de aquisição de conhecimento real e ideal.

Os empiristas afirmam que a razão, a verdade e as ideias racionais são adquiridas por nós através da experiência.

Os empiristas afirmam que nascemos trazendo em nossa inteligência não só os princípios racionais, mas algumas ideias verdadeiras chamadas de ideias inatas.

Nenhuma das alternativas corresponde a ideia defendida pela filosofia empírica.

QUESTÃO SEIS

Existem diferentes concepções filosóficas sobre a natureza do conhecimento verdadeiro que dependem da ideia original da verdade que predomina no pensamento de um ou de alguns filósofos. Sobre os fundamentos da verdade que predominam nas correntes filosóficas, julgue os itens a seguir e assinale a alternativa correta.

I- O dogmatismo impõe uma verdade como algo absoluto, a partir disto não se torna necessário superar tal verdade, pois ela é a resposta às questões apresentadas na busca pelo conhecimento.

II- A ideia de verdade pode ser originada da compreensão grega, em que verdade era Aletheia, ou seja, a verdade está nas próprias coisas.

III- A predominância da ideia de verdade como Veritas, ideia latina de que nossas ideias são verdadeiras quando obedecem a princípios, regras e normas de uma linguagem rigorosa, indica que é tal rigor que tornam verdadeiras nossas idéias.

IV- A verdade é um fator de compreensão que depende de condições históricas, culturais e de informação que podem afetar nossa maneira de aceitá-la.

Há apenas uma afirmação correta

A afirmação IV contradiz a afirmação I

As afirmações não negam qualquer outra afirmação feita.

Há apenas uma afirmação errada.

QUESTÕES 1º ANO

QUESTÃO UM

Na concepção aristotélica, ________________ é o princípio para escolher entre alternativas possíveis, realizando-se como decisão e ato voluntário. Contrariamente, sob a ________________, o agente sofre a ação de uma causa externa, que o obriga a agir de uma determinada maneira. (Chauí, M. Convite à filosofia)

Neste trecho, preenchem correta e respectivamente as lacunas, de acordo com o pensamento da autora:

liberdade - necessidade

determinação - liberdade

fatalidade - necessidade

contingência - liberdade

QUESTÃO DOIS

“Estamos condenados a ser livres.” (Sartre, J.- P. O existencialismo é um humanismo)

Ao fazer essa afirmação aparentemente paradoxal, Sartre pretende dizer que:

Existem forças transcendentes superiores as nossas e que nos governam, quer o queiramos quer não.

A liberdade é uma característica essencial dos seres humanos.

Existem relações causais necessárias que regem a realidade conhecida e controlada pela ciência.

O homem é socialmente determinado a agir de acordo com leis que condicionam suas ações, tornando a liberdade ilusória.

QUESTÃO TRES

Considere as seguintes alternativas relacionadas ao pensamento existencialista de Sartre extraídas do texto O existencialismo é um humanismo.

I. O homem primeiramente existe, se descobre, surge no mundo; e só depois se define.

II. Não há natureza humana, visto que não há Deus para a conceber.

III. O homem é, antes de mais nada, algo que se projeta em direção ao futuro e ciente que está fazendo isso.

IV. O homem é liberdade porque a essência precede sua existência.

A alternativa que confirma as afirmativas CORRETAS é:

I e II.

II, III e IV.

I, II e IV.

I, II e III.

QUESTÃO QUATRO

O filósofo Immanuel Kant (1724-1804) estabelece uma íntima relação entre a liberdade humana e sua capacidade de pensar autonomamente, ao afirmar: “Esclarecimento é a saída do homem da menoridade pela qual é o próprio culpado. Menoridade é a incapacidade de servir-se do próprio entendimento sem direção alheia. [...] É tão cômodo ser menor. Possuo um livro que faz as vezes do meu entendimento; um guru espiritual, que faz às vezes de minha consciência; um médico, que decide por mim a dieta etc.; assim não preciso eu mesmo dispensar nenhum esforço. Não preciso necessariamente pensar, se posso apenas pagar.”

(KANT, I. Resposta à questão: o que é esclarecimento?” In: Antologia de textos filosóficos. Curitiba: SEED-PR, 2009. p. 407).

A partir do texto de Kant, julgue os itens e assinale a alternativa correta:

I- liberdade é não precisar de ninguém para nada.

II- riqueza não é sinônimo de liberdade, como pobreza não é sinônimo de escravidão.

III- a justificativa para a falta de liberdade é a pouca idade dos seres humanos.

IV- a liberdade é, primeiramente, liberdade de pensamento.

V- a liberdade é resultado de um esforço pessoal incômodo para libertar-se das amarras do

pensamento.

Todos os itens estão corretos.

Há apenas um item errado.

Há apenas dois itens errados.

Há apenas um item correto.

QUESTÃO CINCO

Segundo diversas teorias, só é considerado livre o ser humano que é autônomo, ou seja, capaz de pensar por si mesmo e dar respostas originais a si próprio e ao mundo. Essas mesmas teorias afirmam que é possível educar para isso, aprimorando o ser humano para a capacidade de pensar. Isso o levará a caminhar na direção da autonomia e, consequentemente, da liberdade. Na concepção aristotélica, a liberdade é o princípio para escolher entre alternativas possíveis, realizando-se como decisão e ato voluntário.

Assim sendo, são elementos que negam a liberdade:

I. Determinismo

II. Necessidade

III. Fatalidade

IV. Contingência

Estão corretas as alternativas I, III e IV.

Estão corretas as alternativas I, II e III.

Estão corretas as alternativas I e IV.

Todas as alternativas estão corretas.

QUESTÃO SEIS

(ENEM-2012) É verdade que nas democracias o povo parece fazer o que quer; mas a liberdade política não consiste nisso. Deve-se ter sempre presente em mente o que é independência e o que é liberdade. A liberdade é o direito de fazer tudo o que as leis permitem; se um cidadão pudesse fazer tudo o que elas proíbem, não teria mais liberdade, porque os outros também teriam tal poder.

MONTESQUIEU. Do Espírito das Leis. São Paulo: Ed. Nova Cultural, 1997(adaptado)

A característica de democracia ressaltada (enfatizada) por Montesquieu diz respeito:

Ao status de cidadania que o individuo adquire ao tomar decisões por si mesmo.

Ao condicionamento da liberdade dos cidadãos à conformidade das leis.

Ao direito do cidadão exercer sua vontade de acordo com seus valores pessoais

À possibilidade de o cidadão participar no poder, e nesse caso, livre da submissão às leis.