Trabalho Completo Qualidade De Vida

Qualidade De Vida

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Outras

Enviado por: marisete 24 abril 2013

Palavras: 666 | Páginas: 3

Qualidade de Vida no Trabalho

A Qualidade de Vida no Trabalho é um dos novos desafios para a administração contemporânea. O trabalho, no decorrer da história, foi ocupando a maior parte do tempo do ser humano, que no início era só para suprir as necessidades básicas de subsistência e que após a Revolução Industrial passa a ser o ponto central da vida do homem.

O homem passa a maior parte do seu tempo em seu local de trabalho, dedicando sua força, energia e esforço para as organizações. Disponibilizando maior parte do seu tempo ao trabalho e não para sua família e amigos.

Mesmo quando o homem tenta se desligar do trabalho não estando no local, a vida dele gira em função do trabalho, pois está sempre presente, tanto no local quanto fora do local de trabalho.

A idéia de Qualidade de Vida no Trabalho baseia-se em uma visão integral de pessoas, que é o chamado enfoque biopsicossocial. O enfoque biopsicossocial origina-se da medicina psicossomática, que propõem a visão integrada, ou holística, do ser humano.

Segundo esse enfoque, saúde não é apenas ausência de doenças, mas também o completo bem-estar biológico, psicológico e social. Esta definição, adotada pela Organização Mundial de Saúde em 1986, abre espaço significativo para a compreensão e administração de fatores psicossociais na vida moderna, especialmente no ambiente de trabalho. Um desses fatores é o stress.

As teorias convencionais da motivação preocupam-se predominantemente com a satisfação das pessoas, sem abordar explicitamente o stress. No entanto, a correlação entre stress e trabalho é evidente. O stress depende da capacidade de adaptação, que envolve o equilíbrio entre a exigência que a tarefa faz e a quem a realiza e a capacidade da pessoa que a realiza. Equilíbrio produz bem-estar. Sem equilíbrio, resultam diferentes graus de incerteza, conflito e sensação de desamparo.

O equilíbrio, ou desequilíbrio, pode ser produzido não apenas pela tarefa, mas também pela conjuntura. Uma situação de crise econômica e a perspectiva da perda de emprego deixam as pessoas em estado de grande tensão. Uma pessoa que perde o emprego pode passar a sofrer de diversos males, decorrentes da perda de estima pela dificuldade de recolocação. Tão sérios são esses e outros problemas decorrentes da situação e do ambiente de trabalho, que algumas empresas investem no apoio psicológico a seus executivos.

A organização percebe cada vez mais a importância do ser humano para o alcance de resultados, pois a capacidade de raciocínio, criatividade e solução de problemas, estão presentes nas pessoas e não nas máquinas.

Com isso, a organização se preocupa em oferecer um ambiente que traga ao individuo: conforto, respeito, segurança e bem-estar, entre outros. Muitos fatores contribuem para uma não qualidade de vida, e por isso devem ser identificadas e procurar solucionar os problemas que ali apresentam.

A busca pela Qualidade de Vida e a implantação de ações visando melhoria para as pessoas, não pode ser considerada como um custo nas planilhas das organizações, uma vez que os custos com afastamentos e ações trabalhistas são maiores que uma medida preventiva.

O bem-estar e a segurança dos indivíduos é de suma importância para assegurar uma maior produtividade e qualidade no trabalho e maior satisfação na vida familiar e pessoal.

A Qualidade de Vida no Trabalho é um conjunto de ações de uma empresa que envolve diagnóstico e implantação de melhorias e inovações gerenciais, tecnológicas e estruturais, dentro e fora do ambiente de trabalho, visando propiciar plenas de desenvolvimento humano na realização do seu ofício. (ALBUQUERQUE: FRANÇA, 1998: 41).

A Qualidade de Vida no Trabalho, baseava-se na análise e reestruturação das tarefas com o objetivo de tornar a vida dos trabalhadores menos sofrida. Com a abordagem do enriquecimento de cargos, conseguiram-se algumas melhorias, mas como as variáveis estão interligadas, não sendo somente os cargos que deveram ou poderão ser mudados para garantir a qualidade de vida dos trabalhadores, tornou-se necessário investir em uma filosofia da relação capital-trabalho, aquela onde se estabelece uma parceria, e os resultados da empresa são compartilhados com os funcionários, oferecendo a eles e suas famílias uma condição de vida mais humana.