Trabalho Completo RELATÓRIO DE ESTÁGIO - MAGISTÉRIO / NORMAL DE NÍVEL MÉDIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO - MAGISTÉRIO / NORMAL DE NÍVEL MÉDIO

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Outras

Enviado por: karumbau 22 maio 2013

Palavras: 3537 | Páginas: 15

1 – Introdução

Antes de sairmos a campo nos propomos a compreender primeiramente o objetivo proposto para a educação no ensino médio. E detectamos que o novo ensino médio proposto pelo MEC, através da LDB, sugere um currículo voltado para desenvolvimento de competências, no qual a interdisciplinaridade e a contextualização permeiem a prática pedagógica. Educar para a vida, preparar para o mundo do trabalho, superar o “rótulo” de “ante sala” da universidade: este é o papel assumido pelo ensino médio.

Precisávamos de nos inteirar sobre a definição da proposta do ensino médio para então começarmos a reflexão de como seria realizado esse estágio, logo, percebemos que o estágio seria uma análise das políticas educacionais da instituição observada, sua organização, histórica, legal e curricular, aspectos teóricos metodológicos no planejamento de aula e da docência do ensino bem como a contribuição e participação de todos os agentes imbuídos na perspectiva do bom funcionamento escolar. Serão desenvolvidas as atividades de observação participativa com os alunos da 1ª e 2ª série do Ensino Médio.

As relevantes modificações sofridas por nossa sociedade no decorrer do tempo, dentre elas o desenvolvimento tecnológico e o aprimoramento de novas maneiras de pensamento sobre o saber e sobre o processo pedagógico, têm refletido principalmente nas ações dos alunos no contexto escolar, o que tem se tornado ponto de dificuldade e insegurança entre professores e agentes escolares resultando em forma de comprometimento do processo ensino-aprendizagem.

A sociedade atual se vê confrontada com o desenvolvimento acelerado que ocorre a sua volta, onde o desenvolvimento e as descobertas ocorrem em frações de segundos, ocasionando certo desgaste e comprometimento das ações voltadas para o aprimoramento do ensino.

Dessa forma, faz-se necessário a busca de uma nova reflexão no processo educativo, onde o agente escolar passe a vivenciar essas transformações de forma a beneficiar suas ações podendo buscar novas formas didáticas e metodológicas de promoção do processo de ensino-aprendizagem com seu aluno sem com isso ser colocado como mero expectador dos avanços estruturais de enfoque motivador desse processo.

Diante do exposto procuramos refletir,através da elaboração deste, na observação do corpo escolar, nas relações, na intersecção entre a teoria e a prática educativa, bem como a realidade dos sistemas de ensino e as atividades docentes. Logo, desenvolve-se um relatório com o resultado das pesquisas concluídas como: concepção pedagógica da escola, entrevista ao corpo escolar (professor, aluno, pedagogo) bem como a análise da proposta curricular.

2- IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO ESTAGIADA

CIEM – Colégio Integrado de Educação Moderna Escola, com regime jurídico particular, está situado em um bairro nobre da capital. A comunidade escolar pertence à classe média alta, do próprio bairro e adjacências.

Com o slogan: “Um jeito Coração de Ensinar”, O CIEM foi inaugurado dia em 02/02/1987, compreendendo uma área total de 3.259,62, onde possui dois pavilhões com área verde, piscinas, quadra coberta, salão de festa, videoteca, biblioteca, refeitório, auditório, cozinha, cantina, e demais dependências administrativas.

As 14 salas de aulas existentes são amplas e arejadas. As salas de aulas possuem a seguinte medida: 63 m2.

Há em toda a escola acesso à crianças portadoras de necessidades especiais.

A comunidade escolar pertence à classe média alta, do próprio bairro e adjacências.

2.1. LOCALIZAÇÃO DA ESCOLA

A instituição está localizada em um Bairro Residencial:

Rua J 6 nº 199 Setor Jaó – Goiânia – Goiás

2.2. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO:

Divididos em dois turnos:

Matutino: das 7:30 às 12:00 e Vespertino: 13:00 ás 17:30

2.3. NÍVEIS DE ATENDIMENTO

A Escola atende a Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio

Educação Infantil: Nível III ( crianças na faixa etária de 5 anos)

Há uma média de 15 crianças em sala de aula.

Ensino Fundamental: Composto de 9 anos, engloba crianças na faixa etária de 6

á 14 anos, do 1º ao 9º ano, com uma média de 25 alunos por turma.

Ensino Médio: Do 1º ao 3º ano é etapa final da Educação Básica, faixa etária dos 14 aos 17 anos, média de alunos: 15 por turma.

3. CONCEPÇÃO PEDAGÓGICA DA INSTITUIÇÃO

Observamos que na instituição pesquisada a concepção de EDUCAÇÃO ocupa-se em educar com sentimento, amor ’’... Um jeito coração de ensinar... ’’preparar para a vida, possibilitar a formação de indivíduos com uma nova mentalidade, que conduzam à superação dos dilemas sociais e à construção de uma nova forma de gerenciar os recursos naturais e históricos da humanidade, uma forma mais adequada socialmente, menos predatória, e mais solidária nas relações entre os indivíduos e com o planeta.

Dessa forma a educação busca as suas fontes de inspiração no saber e nas necessidades do contexto social. No exercício da função social da escola, cabe a construção de um projeto político-pedagógico, expresso no desenvolvimento de um currículo que ajude a compreender a complexidade dos fenômenos da realidade, articulando-os ao todo social de que faz parte. É função também da escola, apresentar ao aluno, com os instrumentos de cada disciplina, as possibilidades de leitura das dimensões do todo, integrando-as interdisciplinarmente, para uma visão de complexidade da realidade. Um professor reflexivo trabalha com e sobre o pensar da e na prática pedagógica, em processo repensado e reconstruído. A concepção de ensino de nossos professores embasa nas possibilidades de educar para um novo modo de pensar, de construir e de acessar conhecimento numa sociedade tecnológica e metamórfica.

Importa que o gestor do processo educativo (que pode ser a escola, o professor, a sociedade...), oportunize o preenchimento do vazio existente nas fronteiras disciplinares, oportunize condições necessárias de transformação para uma prática pedagógica mais eficaz, para que possa compreender quem são seus alunos e identificar as necessidades de atenção, sejam relativas aos afetos e emoções, aos cuidados corporais, de nutrição e saúde, sejam relativas às aprendizagens escolares e de socialização, o professor precisa conhecer aspectos psicológicos que lhe permitam atuar nos processos de aprendizagem e socialização; ter conhecimento do desenvolvimento físico e dos processos de crescimento, assim como dos processos de aprendizagem dos diferentes conteúdos escolares em diferentes momentos do desenvolvimento cognitivo, das experiências institucionais e do universo cultural e social em que seus alunos se inserem. São esses conhecimentos que o ajudarão a lidar com a diversidade dos alunos e a trabalhar na perspectiva da escola inclusiva.

4- DESCRIÇÃO E ANÁLISE REFLEXIVA DAS ATIVIDADES DE ESTÁGIO

Nosso estágio de observação ocorreu na escola com o nome de CIEM – Colégio Integrado de Educação Moderna, Escola particular, de regime jurídico privado,funciona desde o ano de 1987, atendendo alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio.

O tipo de construção foi bem elaborado e pensado para ser um local educativo, respeitando cada espaço essencial para um funcionamento de uma escola, sendo que nesse ambiente, existem árvores e ainda terreno suficiente para futuras construções, se necessário. Localizada na região norte da cidade em um Bairro residencial de classe média alta, situada à Rua J 6 nº 199 Setor Jaó – Goiânia – Goiás, atende crianças do Próprio bairro e adjacências.

As observações de estágio ocorreram durante o mês de abril do ano de 2010, entre os dias 8 e 30, e as turmas estagiadas foram as de 1º e 2º ano do Nível Médio, nas disciplinas de Filosofia e Sociologia, pertencentes ao turno matutino.

A escola possui o slogan “ Um Jeito coração de Ensinar”, e segundo os gestores, esta frase partiu de um sonho de criar uma escola com respeito à individualidade da criança com sonhos e desejos diferentes, mas com direito de se tornar um cidadão com acesso ao conhecimento, e esta escola tem esta proposta de levá-lo a encontrar este caminho de uma forma afetiva e respeitosa.

A sala de aula estagiada possui a medida de 63 m2, construídas de alvenaria,com iluminação e ventilação adequadas. A sala possui carteiras confortáveis, uma mesa pra professor, armários, quadro digital, aparelho de TV e sistema de som que interliga as salas de aulas às outras dependências da escola, usado basicamente para avisos e uma oração matinal proferida geralmente pela coordenação ou direção da instituição. A disposição dos móveis e a decoração da sala, mostra um ambiente agradável e muito aconchegante, onde se desenvolve um trabalho dinâmico, num ambiente planejado e organizado, com materiais e recursos pedagógicos atualizados.

Os alunos são distribuídos em volta da mesa do professor em forma de círculo, obtendo todos uma boa visibilidade do quadro e do professor, A média de alunos do Ensino médio é de 15 por turma, num total de 60 alunos, no período matutino, com oficinas pedagógicas de reforço no turno vespertino. Todo o ambiente da escola é limpo e conservado, com acesso disponível para crianças portadoras de necessidades especiais.

As salas da administração ficam na entrada da escola, com acesso e segurança para toda a comunidade escolar.

A turma foi organizada num total de 15 alunos entre 14 e 17 anos, com 8 alunas do sexo feminino e 7 alunos do sexo masculino, todos com aspecto saudável; a ocupação além da escola relata a freqüência à aulas de inglês, natação, dança, e a utilização o computador pessoal para interagir com os amigos.

Durante as aulas notamos o desinteresse de alguns alunos com o tema desenvolvido da aula de sociologia, mas nada que modificasse ou atrapalhasse a transmissão de idéias do professor, a atenção dos alunos foi considerada mediana, pois há relativo falta de interesse, apesar de alguns serem participativos, e terem boa freqüência. O agrupamento entre eles é razoável, porque falta concentração e entendimento entre eles.

A atuação pedagógica do professor é de um profissional preparado para com as ações a serem desenvolvidas. A forma de abordagem do conteúdo e o desenvolvimento de técnicas seguem as regras da didática. O planejamento de ensino é flexível e busca a sistematização de conteúdos e a organização de práticas educativas e sociais.

Diariamente são planejadas as aulas, seguindo uma ordem cronológica de conteúdos. Também é priorizada a interdisciplinaridade,o que proporciona uma situação de reflexão e descoberta através de ações individuais ou conjuntas,com um planejamento acessível e adequado às características dos alunos da turma do Ensino Médio.

Não há isolamento de alunos nesta turma estagiada, apesar do relacionamento um pouco conturbado entre si, há uma aglomeração natural da faixa etária da adolescência.

O perfil sócio econômico dos alunos é alto, a maioria são filhos de empresários e profissionais liberais.

A principal motivação dos alunos é o curso superior, nenhuma preocupação foi relatada com a formação de nível ensino médio. As suas pretensões acadêmicas giram em torno de profissões como advogados, médicos, dentistas, a exemplos dos pais.

Durante os questionamentos da entrevista deixaram claro que o curso atual do Ensino Médio é só um degrau para o seu acesso à Universidade.

O professor observado durante o estágio é formado em História e Pós graduado na área de Filosofia, e sua experiência profissional é de 10 anos. Ele ministra as disciplinas de sociologia e Filosofia no ensino médio.

As perspectivas observadas durante o estágio foi que o professor domina os conhecimentos sociológicos necessários que permite ao aluno perceber as dinâmicas de relação e interação sociais e a construir explicações a respeito da sociedade e de suas transformações. Seu atendimento é paciente e educado, o mesmo tem uma relevante segurança em suas explicações, é disposto e aberto a discussões, promove e valoriza a elaboração de um conhecimento crítico a respeito das questões sociais, incentivando a autonomia dos alunos. Mostra ser capaz de, ao desenvolver as atividades pedagógicas, a partir do aluno, do seu contexto social de origem, das suas vivências e experiências como forma de introdução, desenvolvimento e apreensão do saber sociológico.

Percebemos que nas características pessoais do professor que o otimismo e o compromisso são harmônicas e consideráveis, porém a motivação deveria ser mais trabalhada. Os recursos audiovisuais são pouco trabalhados na prática. As condições, quantidades e tipos desses recursos são ótimos, mas precisa ser diversificado para uma melhor atenção dos alunos.

Descrevemos a seguir as aulas assistidas de sociologia, nas turmas de 1º e 2º ano do ensino médio. Em todas as aulas o professor seguiu o mesmo roteiro e estratégias.

O professor após nos apresentar à sala, iniciou um diálogo com a turma sobre “A Transição para o Capitalismo no Brasil”, que era o assunto do seu plano de aula do dia.

A aula foi expositiva e dialógica, apresentando o tema com intersecções das falas dos alunos, ao mesmo tempo realizando uma linha de tempo no quadro.

Falou com segurança sobre o assunto: “O trabalho escravo utilizando negros africanos foi introduzido no Brasil no período colonial, a fim de atender à demanda da grande lavoura monocultora agroexportadora. Após a independência, as classes dominantes brasileiras mantiveram intacta a estrutura escravista. O Brasil do período imperial (1822-1889) foi um dos últimos países do mundo a abolir o trabalho escravo, em 1888. A questão central deste plano de aula é como o Brasil transitou para o modo de produção capitalista, levando-se em consideração que a adoção do "trabalho livre" (trabalhador juridicamente livre) é condição inerente ao capitalismo”. Ao final da exposição explicou que este assunto seria discorrido em mais ou menos em 4 aulas, pois era extenso e havia muito à tratar.

Em seguida escreveu no quadro algumas reflexões que os alunos deveriam anotar no caderno:

...As características do sistema colonial, no qual o Brasil se incluía. Uma colônia de exploração tinha como objetivo a produção em larga escala de produtos que eram comercializados no mercado mundial, cujos excedentes (lucros) serviram para desenvolver o capitalismo nos países colonizadores, chamados de metrópoles...

Os assuntos das aulas de dividiram assim:

Aula 1: Consequências históricas da escravidão

Aula 2: A economia cafeeira do século 19 e a degradação do trabalho

Aula 3: os percursos da Abolição

Aula 4: produção de homens livres enquanto mercadoria para o capital

Ao final de todas as aulas o professor solicitou aos alunos um trabalho que pode ser subdividido em duas pesquisas. Os alunos deveriam optar por uma delas. Primeira opção: pesquisar (décadas de 1870 e 1880) sobre o problema da transição da mão-de-obra escrava para o trabalho livre. Segunda opção: pesquisar a década de 1920 assuntos relacionados com a organização sindical dos trabalhadores de São Paulo, sobretudo os operários.

O professor demonstrou muita segurança ao trabalhar os temas citados, através da linha de tempo podia claramente ser percebido o domínio do assunto, os conteúdos desenvolvidos nas aulas tem grande importância para os alunos uma vez que se trata de temas da nossa história, e que os mesmos reverão estes temas ao estudar para o vestibular.

A metodologia usada pelo professor foi coerente, a exposição de conteúdo foi através da exposição dialogada, na qual ele poderia ter usado alguns recursos audiovisuais, mas não usou, a aula se tornou maçante ao final provocando indiferença em alguns alunos. Não houve interação dos alunos entre si, a participação de dava somente professor/ aluno. Faltaram recursos didáticos pedagógicos para motivar e despertar o interesse dos participantes e favorecer o desenvolvimento da capacidade de observação.

É importante empregar métodos de ensino que utilizem simultaneamente recursos orais e visuais, o que nos leva a concluir que a utilização de recursos didáticos é fator de fundamental importância e excelente aliado para todos aqueles que exercem a tarefa de ensinar e divulgar uma mensagem.

Somente através de seu uso adequado é que se irá conseguir sensibilizar e despertar os a alunos para o conteúdo ministrado.

Caberá ao professor mediador, orientar a aprendizagem no sentido de capacitá-los para discutir as informações recebidas. Para tanto deverá dar ênfase aos aspectos formativos, procurando transformar o participante de simples espectador, de mero e passivo receptor, de elemento manipulado pelo tema, em elemento crítico da mensagem em estudo.

A finalidade dos recursos didáticos é a de melhorar a qualidade de transmissão e recepção das mensagens e tornar os conteúdos ministrados mais facilmente assimiláveis, aprimorando o processo ensino-aprendizagem.

Como notamos os alunos dispersos entre si, sendo apenas expectadores durante as aulas assistidas, após análise reflexiva das mesmas resolvemos, preparar um plano de aula, em o aluno fosse levado a um despertar das relações sociais, como um chamamento para as relações interpessoais.

Escolhemos como tema estruturante o seguinte assunto: “Processo de Socialização e as Instituições Sociais”, tendo como conteúdos básicos o Processo de Socialização; As Instituições de Reinserção (prisões, manicômios, educandários, asilos, etc).As Instituições sociais:Familiares; Escolares;Religiosas.

A justificativa para este trabalho se dá na tentativa de mobilizar o olhar dos alunos a reconhecer os diferentes problemas sociais, contribuir para fortalecer os mecanismos de transformação social por meio da educação cidadã.

Os objetivos a serem atingidos serão: Identificar-se como seres eminentemente sociais; que compreendam a organização e a influência das instituições e grupos sociais em seu processo de socialização e as contradições deste processo; a reflexão sobre suas ações individuais tendo uma compreensão e crítica dos elementos da realidade social, Refletir sobre o caráter dos procedimentos adotados por instituições totais (manicômios, hospitais, prisões, etc.).

As ações para atingir os objetivos propostos partirão de:

Levantamento do conhecimento prévio dos alunos acerca da internação em manicômios ou clínicas reabilitadoras; estimulando os alunos a levantar hipóteses sobre os motivos que levam uma pessoa a ser internada e de como se dá o tratamento.

Assistir ao filme "Bicho de Sete Cabeças", de Laís Bodanzky (DVD Sony Pictures, 2002). Solicitar que os alunos observem três períodos na vida da personagem principal (Neto): fase de pré-paciente (antes da internação), fase de internamento e fase de ex-doente (após a alta).

Discutir o filme com os alunos, solicitando que revelem suas impressões acerca desses três períodos na vida de Neto(protagonista). É importante evidenciar o caráter das relações sociais, ou seja, como o jovem se relaciona com as pessoas com que convive.

Refletir com os alunos que o filme é um bom exemplo para pensarmos como a interpretação que as instituições totais (manicômios, hospitais, prisões, etc.) fazem das pessoas pode alterar o seu destino social, sobretudo a imagem que têm de si mesmas e dos outros.

Destacar, durante a discussão, como o jovem constrói a imagem de si mesmo, ou seja, como manipula as impressões que os outros possam ter dele, à medida que sente que não pode confiar nem mesmo nas pessoas mais próximas. Esconde fatos fundamentais a seu respeito e tenta descobrir se os outros sabem disso.

5 - CONSIDERAÇÕES FINAIS

O conhecimento e as informações obtidas pelo nosso grupo de estudo, ao longo deste Estágio, foram de relevante importância: O estudo contou com informações obtidas através de observações em sala de aula, entrevistas realizadas com alunos e professores e gestores da instituição estagiada e vistas em documentos afins.

O primeiro passo deste trabalho foi a coleta dos dados referentes à identificação da Escola, pesquisa realizada com o apoio da coordenação pedagógica, que disponibilizou documentos e o Projeto Político Pedagógico, para nossa observação inicial.

Após termos observado algumas aulas de Filosofia e Sociologia, e de algumas reflexões acerca do Projeto Político Pedagógico da Escola, procedemos aos questionamentos aos educadores, através de uma entrevista previamente estruturada, onde obtivemos dados simplificados como: metodologia de ensino, principais desafios como profissional da educação, a formação acadêmica, alguns referenciais das disciplinas de Filosofia e Sociologia, o papel social da escola, entre outros.

A seguir procedemos a algumas entrevistas com alunos do Ensino Médio. A maioria dos alunos quando inquiridos sobre a possibilidade de serem futuros professores, foram unânimes na negativa, alegando que os professores não são reconhecidos pelo trabalho que prestam à comunidade, tão pouco valorizados; quando questionados sobre a importância das disciplinas de Psicologia, Filosofia e Sociologia no Curso de Nível Médio, onde salientaram a sua importância apenas no entendimento dentro do contexto social.

Ao longo do estágio, pudemos perceber e compreender que no exercício da docência, devemos valorizar os processos de construção da identidade do aluno tanto quanto a dos professores também, que estão em constante mutação através do desenvolvimento dos saberes.

Diante de todo o contexto que envolveu este relatório de Pesquisa, identificamos mediante esta convivência na escola, e da análise da proposta curricular a importância do constante aprimoramento dos conhecimentos, da investigação da nossa própria prática e a capacidade de questionar e refletir sobre o contexto político e social , que nas ações dos professores são expressos no seu compromisso ético com a educação e a competência em incluir em suas práticas pedagógicas às ações dos alunos, inserindo-as na realidade social dos mesmos. BREZEZINSKI (1996; P.170 – 171) aponta que a prática educacional: "Tem a prática social como ponto de partida e de chegada; (...) a transformação do sistema educacional exige e supõe sua articulação com a própria mudança estrutural da sociedade em busca de condições de vidas justas, democráticas, igualitárias para as classes populares."

Consideramos ainda que, somente a formação acadêmica não confere subsídios para uma atuação efetivamente democrática e transformadora, e que estágios realizados nesses moldes podem complementar a formação acadêmica proporcionando além do desenvolvimento profissional, um crescimento pessoal onde aponta para um novo profissional: o pesquisador crítico, inovador e observador que venha a atender às exigências imperativas e urgentes do mundo globalizado.

REFERÊNCIAS

I.Silva, Mônica Caetano Vieira, II.Urbanetz, SandraTerezinha.

O Estágio no curso de pedagogia, volume 1

Curitiba: Ibpex, 2009

ROMANOWSKI, P. Joana. Formação e

profissionalização docente. Curitiba.PR,IBPEX, 2007

SACRISTÁN, J. Gimeno. O Currículo. Uma reflexão

sobre a prática. Porto alegre, ArtMed, 1998.