Trabalho Completo RESENHA CRITICA DA POLITICA NACIONAL DE ESTÁGIO SERVIÇO SOCIAL

RESENHA CRITICA DA POLITICA NACIONAL DE ESTÁGIO SERVIÇO SOCIAL

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Outras

Enviado por: Marileide 15 setembro 2013

Palavras: 1967 | Páginas: 8

RESENHA CRITICA

POLÍTICA NACIONAL DE ESTÁGIO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL – ABEPSS

INTRODUÇÃO

O estágio tem como principal objetivo a capacitação do acadêmico para a compreensão e analise de intervenção da realidade social, a partir do contexto histórico e conjuntural da sociedade, no qual se processa a prática do Serviço Social.

A associação o Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social (ABEPSS), entidade civil de natureza acadêmico-científica em âmbito nacional, em consonância com suas finalidades estatutárias, descritas no art. 2º, busca permanentemente:

I- Propor e coordenar a política de formação profissional na área de Serviço Social que associe organicamente ensino, pesquisa e extensão e articule a graduação com a pós-graduação;

II- Fortalecer a concepção de formação profissional como um processo que compreende a relação entre graduação, pós-graduação, educação permanente, exercício profissional e organização política dos assistentes sociais;

III- Contribuir para a definição e redefinição da formação do assistente social na perspectiva do projeto ético-político profissional do Serviço Social na direção das lutas e conquistas emancipatórias;

IV- Propor e coordenar processos contínuos e sistemáticos de avaliação da formação profissional nos níveis de Graduação.

DESENVOLVIMENTO

A presente identificação trata do estágio curricular no processo de formação do assistente social, focando os aspectos políticos e históricos que o envolvem. Essa temática é relevante pela enfatização e articulação da universidade e o mercado profissional dos assistentes sociais, considerando um dos elementos responsáveis pela introdução do estudante no aprendizado da dinâmica da realidade social bem como do processo técnico-operativo da profissão. A importância do estágio está relacionado ao aprendizado e possibilita a realização de outros estudos e trabalhos que, com certeza, irão aprofundar, confirmar ou negar as reflexões iniciadas e contribuindo para que o estágio curricular cumpra suas finalidades e enriqueça o processo de formação profissional.

Para concluirmos nossa formação profissional temos que ter regras e orientações no campo de estágio como: orientador acadêmico, supervisão de campo.

Na concepção aqui adotada, o estágio é curricular e obrigatório; como as demais disciplinas do projeto de formação profissional, ele não tem existência independente, autônoma, pois, ele é um componente curricular que deve estabelecer a relação do processo de formação com o mundo do trabalho dos profissionais. Não há como discutir estágio dissociado do projeto de formação e do espaço de atuação profissional dos assistentes sociais. Essas duas dimensões, cada uma em sua especificidade, participam no processo de formação profissional.

Dimensão O ensino do trabalho profissional em serviço social, especificamente no se refere à do estágio, vem ganhando espaço na dinâmica acadêmica, para que este se consolide como espaço privilegiado do processo ensino-aprendizagem e como atividade curricular obrigatória, que se configura a partir da inserção do aluno no espaço sócio-institucional. Da nossa preocupação com a implantação do Novo Currículo, particularmente de saber da formação e de seus efeito sobre o mercado de trabalho dos assistentes sociais surgiram trabalhos para acompanhar a formação e sua relação com o mercado de diversas formas. Este trabalho volta sua preocupação para o momento do estágio, particularmente para as produções nos Trabalhos de Conclusão de Curso, seus temas e seus enfoques, para averiguar a relação entre a formação e o mercado de trabalho do assistente social. Através destes verificamos uma preocupação com a política social voltadas mais para as áreas da saúde, assistência e direitos, na área da criança e adolescente e com a família, considerando suas condições de vida, desagregação, marginalidade e exclusão. Geralmente preocupados com o processo de despolitização da questão social por meio das políticas sociais focalizadas num quadro dissociado da proteção e dos direitos. Como os objetos de estudos são determinados pelo processo sócio-histórico, pelas relações que a atividade profissional estabelece com a realidade, significa dizer que a profissão e as pesquisas desenvolvidas estão acompanhando o movimento da sociedade, assumindo um papel fundamental na formação profissional, subsidiando o aprofundamento do debate sobre a vida social e as especificidades da sociedade brasileira, destacando o conhecimento das condições concretas nas quais se viabiliza o trabalho do assistente social.

No início do 5º semestre onde se torna a inserção dos alunos para observação no campo de estágio percebe-se a dificuldade de se encontrar vagas principalmente quando a universidade é regida através de ensino por EAD. Devido o encontro não ser presencial nós alunos somos descriminados. Então temos que está interado e orientado em relação ao ensino se ele é de forma legal ou não. Mas também temos o direito de saber qual a função do tutor de sala para que podemos estar exigindo os nossos direitos porque muitas vezes recebemos critícas em sala de aula que desmotiva o aluno em qualquer situação, por isso a importância de pesquisar e ler, pois através do aprendizado que vamos saber reivindicar os nossos direitos.

O que é educação à distância (EAD)?

De acordo com a legislação educacional brasileira, "educação a distância é uma forma de ensino que possibilita a auto-aprendizagem, com a mediação de recursos didáticos sistematicamente organizados, apresentados em diferentes suportes de informação, utilizados isoladamente ou combinados, e veiculados pelos diversos meios de comunicação."(definição que consta no Decreto n.º 2.494, de 10 de fevereiro de 1998, que regulamenta o art. 80 da LDB lei n.º 9.394/96.).

A evolução na educação à distância no Brasil, sua legislação segundo o que rege a LDB. As tecnologias telemáticas que permitem uma rápida comunicação entre professores e alunos.

Justificativa: A educação à distância, surge na Alemanha em 1890. A seguir, inúmeros países adotam o ensino a distância como uma opção a mais para ministrar cursos em nível médio, técnico, universitário e, de pós-graduação. A lnglaterra, foi o primeiro país a instituir a "Universidade Aberta",verdadeiro marco de vanguarda no ensino superior a distância.

Na visão histórica da Antigüidade constatam-se iniciativas de intercambiar informações, de veicular orientações, instruções entre pessoas ou cidades dedicam à modalidade da educação a distância. Tanto na Grécia como, posteriormente, em Roma, as pessoas comunicavam-se através de correspondência (correio), com o intuito de troca de informações sobre o cotidiano privado e/ou da comunidade, transmitindo informações, notícias úteis ao desenvolvimento econômico e social das comunidades. No entanto é na modernidade que se manifestarão as primeiras iniciativas de ensinar determinados saberes sem a relação presencial entre o preceptor (professor) e o aprendiz (aluno). Na concepção, tratar de educação a distância implica não isolá-la da educação em geral. Sua preocupação básica é a democratização e o acesso ao saber escolarizado, para atender a demanda imposta pela sociedade contemporânea, como uma das formas de superação de exclusão social. É importante evidenciar partindo da reflexão da Preti (1996) que “se antes existiam muitas resistências e pré-conceitos quanto a esta modalidade, parece que a conjuntura econômica e política no limiar do milênio acabou encontrando nesta modalidade uma alternativa economicamente viável, uma opção ás exigências sociais e pedagógicas, contando com o apoio dos avanços das novas tecnologias da informação e da comunicação.

O tutor ou orientador acadêmico tem o papel didático-pedagógico de acompanhar, motivar, orientar e estimular o aprendizado de um aluno adulto, “solitário” da EAD. Seu trabalho será mais qualificado na medida em que conheça com profundidade o material didático produzido pelo professor, muitas vezes até podendo participar de sua produção e/ ou reformação, sobre modo se estiver inteirado do projeto político-pedagógico do curso. “O tutor, respeitando a autonomia da aprendizagem de cada aluno, estará constantemente orientando, dirigindo e supervisionando o processo de ensino-aprendizagem dos alunos. É por intermédio dele, também, que se garantirá a efetivação do curso em todos os níveis.”. na avaliação do papel da tutoria pelo aluno e docente e a avaliação do próprio curso nesta modalidade. Isto tudo para assegurar um constante acompanhamento pedagógico, que garantirá a qualidade e a seriedade da educação à distância. Quando iniciamos o estágio não tivemos oportunidade de orientação acadêmica logo no inicio , sentimos prejudicados pois, quando se deu inicio a orientação acadêmica tinha acadêmico já se encontrava em término de estágio.são direitos que temos, que as vezes são violados pela própria faculdade. No meu entender a instituição tem a programação das turmas que tem que ser inseridas no campo de estágio isto já teria que estar previsto em calendário acadêmico, para que todos não entrasse dessa forma no seu campo de estágio vai se afirmando diante da intencionalidade, da orientação, do acompanhamento sistemático e do ensino, na perspectiva de garantir ao estudante o desenvolvimento da capacidade de produzir conhecimentos sobre a realidade com a qual se defronta no estágio e de intervir nessa realidade. Desse modo a supervisão acadêmica está imbricada diretamente com a finalidade social da profissão, na prestação de serviços sociais, que consiste, dentre outras questões, em conhecer e refletir com os(as) estagiários(as), em pequenos grupos, a realidade profissional nos campos de estágio, reconhecer os limites e possibilidades das respostas profissionais nas diferentes organizações no enfrentamento das expressões da "questão social", reconhecer e debater os elementos constitutivos do projeto profissional em curso nos espaços sócio ocupacionais e sua relação Assim é preciso compreender o estágio enquanto espaço para aprendizagem do processo de trabalho através da relação teoria/prática, entendendo-a enquanto unidade indissolúvel. Entende-se então, que o estágio caracteriza-se como momento privilegiado da formação profissional onde o aluno estagiário deverá ter experiência e aprendizagem do exercício profissional que contém dimensões ética, política, ideológica, pedagógica e técnica. O processo de Supervisão deve proporcionar ao estagiário vivenciar e analisar criticamente o exercício do processo de trabalho do Assistente Social, de forma que contemple todas as suas etapas e dimensões. Supervisionar, nesta perspectiva é auxiliar o aluno no desenvolvimento do seu projeto. Envolve a contribuição para o desenvolvimento do senso crítico, do pensar autônomo, do saber indagar e problematizar e,conseqüentemente, investigar, planejar e executar propostas qualitativas, na dinâmica das relações entre Estado, Sociedade Civil e Instituição (unidade de ensino e dos campos de estágio). Tudo isso, na busca de respostas sociais às demandas que estão postas para a profissão. É também no espaço da supervisão acadêmica que discutimos os medos e as indagações, as indignações, as duvidas e questionamentos. A supervisão é um espaço muito satisfatório pra o aluno-estagiário, futuro assistente social, tal como para o grupo, como para o supervisor de estágio, que automaticamente se relaciona com os conteúdos discutidos e assim contribuímos para que seu conhecimento esteja sempre pautado e relacionado com os conteúdos estudados renovando sua prática.

Do(a) estagiário(a):

O estagiário deve Observar e zelar pelo cumprimento dos preceitos ético-legais da profissão e as normas da instituição campo de estágio;devera Informar ao supervisor acadêmico, ao supervisor de campo e/ou ao coordenador de estágios, conforme o caso qualquer atitude individual, exigência ou atividade desenvolvida no estágio, que infrinja os princípios e preceitos da profissão, alicerçados no projeto ético-político, no projeto pedagógico do curso e/ ou nas normas institucionais do campo de estágio;

O estagiário de modo geral ao inserir no campo de estágio tem que cumprir o seu papel, respeitando o sigilo que o código de ética condiz a profissão que envolve a vida de pessoas que se encontra em situação vulnerável.

CONCLUSÃO:

Percebe-se uma atualização dos temas e que os objetos de estudos são determinados pelo processo sócio-histórico, pelas relações que a atividade profissional estabelece com a realidade, significado dizer que a profissão e as pesquisas desenvolvidas estão acompanhando o movimento da sociedade, assumindo assim um papel fundamental na formação profissional, já vem subsidiar o aprofundamento do debate sobre a vida social e as especificidades da sociedade brasileira, destacando o conhecimento das condições concretas nas quais se consubstanciaria o trabalho do assistente social.

REFERÊNCIAS:

“A construção do projeto ético-político do Serviço Social frente à crise contemporânea.” Capacitação em serviço social e política social – Módulo 1: Crise Contemporânea, questão social e Serviço Social. Brasília: CEAD, 1999, p. 91-110.

BARBOSA, Rosangela Nair de Carvalho. Gestão: planejamento e administração. IN

Temporalis, O ensino do trabalho Profissional: desafios para a formação das Diretrizes

Curriculares e do Projeto Ético-político. Ano IV, no 08 (Jul.\ dez de 2004) Porto Alegre:

ABEPSS\ Gráfica odisséia, 2004, ISBN: 85-89252-06-X.