Trabalho Completo Resumo De Humilhação Social (Gonçalves Filho)

Resumo De Humilhação Social (Gonçalves Filho)

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Ciências Sociais

Enviado por: annebrito 23 março 2013

Palavras: 435 | Páginas: 2

Faculdade Anhanguera Uniderp

Curso: Serviço Social Turma: E-20

2º Semestre: 1º etapa de Psicologia Social

Humilhação Social- Um problema Político em Psicologia. De José Moura Gonçalves Filho

Lendo o texto do autor, observei a constante correria da sociedade e as conseqüências materiais e psicológicas que afetam sua harmonia social. Abordando diversos cotidianos ele tentou explicar e compreender as transformações que considera como uma reação às condições de humilhação social que o capitalismo automaticamente provoca em cada um de nós.

Citando Marx com suas determinações econômicas e Freud com suas determinações pulsionais comenta ele, que é possível compreender o mecanismo das relações sociais e as pressões inconscientes que o homem em seu contexto social manifesta.

As dificuldades geram migrações à capital na esperança de uma vida mais farta e menos trabalhosa, assim percebe um dos entrevistados no projeto. Verdade que se mascara diante da certeza que “em São Paulo se não há dinheiro, não se vive”... Essa infelizmente é a realidade de boa parte do mundo. Essas pressões de compra e venda, configuram o capitalismo e formam o circulo vicioso que vende mão de obra pela necessidade de sobrevivência. Os vínculos e os valores sociais, com isso sofrem interrupções. A rotina do trabalho e as poucas horas de descanso entre os intervalos nos cegam diante de riquezas essenciais como sentar num banco de praça, sentir a brisa das flores e deixar de lado o relógio para se reunir com amigos ou familiares num lazer absoluto.

As humilhações sociais são bem perceptíveis quando se quer enxergar. Nos lugares públicos se percebe o rico e o pobre quando numa bilheteria de cinema ,tanto o vendedor que cobra o bilhete e o cenógrafo que vai liberar uma imagem são invisíveis, mesmo contribuindo para o lazer de uma classe com aquisição maior, porém não melhor que os trabalhadores que ali exercem suas funções.

Diferentemente aconteceria se num restaurante onde almoçam a mocinha do interior com a prima granfina da capital. Os demais diante de um mero costume metropolitano,são observados pel a carente mocinha que tudo prestigia e naturalmente ao ser atendida pelo garçon, pergunta se ele está servido. Valores perdidos e ao mesmo tempo valorizados se confrontando num mesmo lugar.

Tudo isso retrata a importância de um estudo baseado no contexto social.Essa leitura me fez compreender o quanto o homem necessita do outro para se compreender e a importância que seus costumes , crenças e vida social colaboram na formação de seu caráter. Somente ele próprio é capaz de transformar as desigualdades que a política capitalista impõe sobre sua harmonia física, mental e emocional.