Trabalho Completo Rogers, Humanismo E Aprendizagem

Rogers, Humanismo E Aprendizagem

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Psicologia

Enviado por: danielre1s 28 maio 2013

Palavras: 1601 | Páginas: 7

Rogers: Humanismo e Aprendizagem

Conhecido como a terceira força em Psicologia. O humanismo diz que o homem não está determinado pela situação imediata ou pela experiência passada; por nenhuma condição (cultural, histórica, natural etc.), pois tem sua capacidade de autonomia, de sobrepor-se a determinações de qualquer natureza, tem o poder de escolher um ato ou não, independentemente das forças que o constrangem. Defende a possibilidade de auto realização do homem, sua condição de liberdade e de independência no que tange às determinações e à necessidade de levar em conta a sua experiência subjetiva no processo de ensino-aprendizagem.

O Homem e sua tendência para a realização

Segundo Rogers, é a partir da concretização de nossas necessidades básicas que nos mantemos vivos. Além disso, um motivo mais vasto nos direciona, ou seja, somos providos com a tendência para a realização, que se constitui num impulso inato que revela oi desejo de crescer, de melhorar as próprias competências, de desenvolver-se, de atingir o potencial pleno. É em razão dessa tendência/impulso que somos lançados a novos desafios, que ousamos mudar, que buscamos alternativas para as situações-problemas vivenciadas.

Rogers afirma que a possibilidade de “ver” partir do “olhar” do outro, a capacidade de entender as percepções e sentimentos de outra pessoa, que ele denomina empatia, impulsiona nosso crescimento saudável.

O desenvolvimento saudável depende das condições existentes: se estas forem satisfeitas, a pessoa se direcionará ao seu desenvolvimento pleno, à congruência, vivendo a vida como um processo e não como uma série de objetivos a serem alcançados.

Sobre a Educação, o ensino e a aprendizagem.

Para Rogers a educação tem que ser centrada no aluno, ou seja, uma aprendizagem autocentrada.

Ensinar compreende que se deve criar condições para que o outro, a partir dele próprio, aprenda e cresça, que seja facilitada a aprendizagem. O aluno é possuidor de forças de crescimento e tem a possibilidade de ser livre (mas com responsabilidade), digno de confiança e o professor está a seu serviço, possibilitando-lhe uma autoaprendizagem.

Não se pode ensinar diretamente outra pessoa, o que se pode é facilitar sua aprendizagem.

Facilitação da Aprendizagem: Qualidades Essenciais.

1) A Autenticidade do professor; significa ser ele próprio, colocar-se no processo, de modo que exista uma real integração entre suas experiências.

2) Aceitação, abrange o apreço, e expressa a necessidade de o professor/facilitador apresentar confiança na capacidade humana, desenvolver um apreço incondicional pelo aluno. Uma relação de empatia.

3) Compreensão empática, acarreta a possibilidade e a capacidade de o facilitador compreender internamente as reações de seus alunos.

O professor, em seu trabalho, trabalha para elucidar os propósitos que têm sentido para cada um e mais gerais do grupo. Organizar e disponibilizar recursos para a aprendizagem significativa. A técnica não diretiva, em que o educador se limita a facilitar a comunicação da pessoa consigo mesma para que ela se autodirija.

Aprendizagem com significado: Um envolvimento pessoal.

O ensino deve fazer sentido para o aluno, deve ter significado pessoal, do contrário, “tal aprendizagem” lida apenas com o cérebro. Para Rogers, aprendizagem significativa ou experiencial ocorre quando o aluno percebe o conteúdo como importante para seus próprios objetivos. Na teoria humanista da aprendizagem, o professor sai do foco, deixa de ser o principal dirigente da sala de aula; passa a ser um mediador/facilitador, na medida em que for solicitado, orienta seus alunos, pois ensinar é fazer crescer o outro, criando condições para que este, a partir dele próprio, aprenda e cresça. Assim, o professor está a serviço dos seus alunos, possibilitando-lhes uma autoaprendizagem.

Podemos identificar os conceitos na teoria de Rogers: a) potencialidade para aprender; b) tendência à realização (dessa potencialidade); c) capacidade do próprio organismo de valoração; d) aprendizagem significativa; e) resistência; f) abertura à experiência; g) autoavaliação; h) criatividade; autoconfiança e j) independência.

Autoavalição.

A avalição do processo de aprendizagem é realizada pelo aluno, numa constante revisão do sentido e do significado de aprender para si. Conta com as ponderações e “avaliações” das demais pessoas do rupo e do professor.

Capitulo 3: Abordagem Humanista

Características Gerais

Consideram-se as tendências ou enfoques encontrados predominantemente no sujeito, essas tendências, se interacionam no desenvolvimento humano e do conhecimento.

Embora Neil seja classificado como “espontaneísta”, é dada uma ênfase no papel do sujeito como principal elaborador do conhecimento humano.

Da teoria rogeriana, deriva-se o “ensino centrado no aluno”, essa abordagem dá ênfase às relações interpessoais e ao crescimento que delas resulta. Dá-se igualmente ênfase à vida psicológica e emocional do individuo e

à preocupação com sua orientação interna.

O professor em si não transmite conteúdo, dá assistência, sendo um facilitador da aprendizagem. O conteúdo da educação deveria consistir em experiências que o aluno reconstrói.

Homem

O homem é considerado como único, quer em sua vida interior, quer em suas percepções e avaliações do mundo. Não existem, portanto, modelos prontos nem regras a seguir, mas um processo de vir-a-ser. O objetivo último do ser humano é a auto realização. O homem não nasce com um fim determinado, e é, portanto, possuidor de uma existência não condicionada a priori.

Como básico na concepção de homem, tem-se o conceito de tendência atualizante, que consiste em a pessoa poder desenvolver-se e crescer. O homem é “arquiteto de si mesmo”.

Apesar da ênfase dada ao sujeito, não se pode dicotomizar o homem e o mundo.

Mundo

Para Rogers a realidade é um fenômeno subjetivo, em cada individuo, há ima consciência autônoma e interna que lhe permite significar e optar, e a educação deverá criar condições para que essa consciência se preserve e cresça.

Um dos aspectos básicos da pessoa, que se desenvolve no mundo, é o “eu”, o “eu” do individuo, irá perceber diferencialmente o mundo. A visão de mundo e da realidade é desenvolvida impregnada de conotações particulares na medida em que o homem experiência o mundo e os elementos experenciados vão adquirindo significados para o individuo.

Sociedade-cultura

Em sua critica ao planejamento social e cultural proposto por Skinner, Rogers afirma ser somente necessária estabelecer a qualidade de relacionamento interpessoal. Os indivíduos que são submetidos a esse tipo de relacionamento, apresentam progressos em direção à auto realização, tornando-se flexíveis e adaptáveis, criativamente.

Roger não aceita, o controle e manipulação de pessoas. O homem para Rogers, não deve, de forma alguma, minimizar o papel desempenhado pelo subjetivo, ainda que considerado pré-científico.

Neil tinha como objetivo a educação de crianças para que estas se tornassem seres humanos felizes, cuja noção de valores não fosse baseada na propriedade, no consumo, mas no ser. Mesmo quando não se tornam um sucesso do ponto de vista da sociedade contemporânea, Neil presumir que elas tivessem adquirido senso de autenticidade.

Conhecimento

Para Rogers, a percepção é realidade, ele próprio admite não saber se existe uma realidade objetiva. É atribuído ao sujeito, portanto, papel central e primordial na elaboração e criação do conhecimento. A experiência constitui um conjunto de realidades vividas pelo homem, realidades essas eu possuem significados reais e concretos.

O conhecimento é inerente à atividade humana.

Educação

Educação trata-se de educação centrada na pessoa, o ensino será centrado no aluno. Consiste em deixar a responsabilidade da educação fundamentalmente ao próprio estudante. A educação tem como finalidade primeira a criação de condições que facilitem a aprendizagem e condições as quais os alunos pudessem se tornar pessoas de iniciativa, de responsabilidade, de autodeterminação, de discernimento, que soubessem aplicar-se a aprender as coisas que lhe servirão para a solução de seus problemas e que tais conhecimentos os capacitassem se adaptar com flexibilidade ás novas situações. Seria enfim a criação de condições nas quais o aluno pudesse torna-se pessoa que soubesse colaborar com os outros.

O processo da educação centrada no sujeito leva á valorização da busca progressiva de autonomia.

Neil faz uma análise da educação realizada no século XIX, e considera esta produto da autoridade manifesta, e a do século XX com uma autoridade anônima, e tenta fundamentar suas práxis educacional no mais profundo respeito aquilo que cada ser humano é e manifesta.

Escola

A escola decorrente de tal posicionamento será uma escola que respeite a criança tal qual é, e ofereça condições para que ela possa desenvolver-se em seu processo de vir-a-ser. O principio consiste na ideia da não interferência com o crescimento da criança e de nenhuma pressão sobre ela.

Ensino-aprendizagem

Consiste num conjunto de técnicas que implementa a atitude básica de confiança e respeito pelo aluno.

O Professor-aluno

O professor é, primeiramente, uma personalidade única. É considerado com um único ser humano eu aprendeu a usar-se efetiva e eficientemente para realização de seus próprios propósitos e os da sociedade, na educação dos outros. Cada professor, por sua vez, desenvolverá seu próprio repertório, de uma forma única, decorrente da base perceptual de seu comportamento.

O processo de ensino, portanto, irá depender do caráter individual do professor e como ele se inter-relaciona com o caráter individual do aluno. O professor nessa abordagem, assume o papel de facilitador de aprendizagem, e nesse clima facilitador o estudante entrará em contato com problemas vitais eu tenham repercussão na sua existência. A autenticidade e a congruência são consideradas condições facilitadoras da aprendizagem, as quais, por sua vez, irão facilitar um processo de autenticidade e congruência na pessoa ajudada. Aceitando o aluno e compreendendo-o empaticamente, o professor fará, de sua parte, tudo para a criação de um clima favorável de aprendizagem.

O aluno deve responsabilizar-se pelos objetivos referentes à aprendizagem, que têm significado para ele, e que, portanto, são os mais importantes. O aluno, deve ser compreendido como um ser eu se auto desenvolve e cujo processo de aprendizagem deve-se facilitar. As qualidades do professor facilitador podem ser sintetizadas em autenticidade, compreensão empática.

Metodologia

As estratégias instrucionais, nessa proposta, assumem importância secundaria.

Não se enfatiza técnica ou método para se facilitar a aprendizagem. Rogers parte do pressuposto de que o ensino é uma “atividade sem importância enormemente supervalorizada”. Os demais recursos tem para ele as mesmas que aulas expositivas do professor apresentam: os alunos se tornam apenas receptáculos de informações.

A pesquisa do conteúdo será feita pelos alunos