Trabalho Completo Tuberculose

Tuberculose

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Biologia e Medicina

Enviado por: Tallita18 25 junho 2013

Palavras: 1309 | Páginas: 6

Relatório de Aula Prática

Disciplina de Microbiologia

Prof. Ms. Amanda Mortoza

Aluno: Tállita Martins de Miranda

Curso: Biomedicina, 7º Período, Noturno Data: 27/03/13

TEMA DA AULA

Espermograma

INTRODUÇÃO

A analise do sêmem é indicada em casos de infertilidade conjugal, avaliação e controle do paciente pós vazectomizado, avaliação de doenças testiculares e penianas sobre o espermatogênese.

O sêmem normal é uma mistura de espermatozóides e secreções provenientes dos testículos e epidídimos, os quais são misturadas durante a ejaculação com secreções oriundas da próstata, vesículas seminais e glândulas bulbouretais. A composição final é um liquido viscoso que forma o ejaculado.

OBJETIVOS

Observar tanto o exame físico e químico do sêmen:

Exames Físico:

• Liquefação ou Coagulação;

• Volume;

• Aspecto;

• Cor;

• Viscosidade;

• pH.

Exame Microscópico:

• Motilidade;

• Vitalidade;

• Contagem dos espermatozóides;

• Contagem de leucócitos e hemácias;

• Morfologia dos espermatozóides;

• Parasitos/Fungos/Cristais

MATERIAL E MÉTODOS

1. A amostra deve ser coletada durante um período de abstinência sexual de 3 a 5 dias. O paciente deve ser instruído para evitar perda de material, principalmente o 1º jato, que contem a maior concentração de espermatozóides.

2. A amostra deve ser obtida por masturbação e ejaculada dentro de um recipiente de boca larga de vidro ou de plástico. Se for de plástico, deve-se analisar o possível efeito tóxico sobre os espermatozóides. Deve-se evitar um choque frio à coleta e proteger de temperaturas extremas (-20ºC ou +40ºC).

3. O frasco contendo a amostra deve ser identificado, contendo o nome do paciente, o período de abstinência sexual, data e hora da coleta, o nome do medicamento em uso.

4. Duas amostras devem ser coletadas, num período de 7 a 90 dias. Se o resultado destas duas analises forem discrepantes, análises adicionais devem ser examinadas, porque a produção de espermatozóides num mesmo individuo podem variar consideravelmente.

5. O ideal é coletar o material no laboratório, porem se isso não for possível, a amostra deve ser encaminhada ao laboratório dentro de no maximo 1 hora apos a coleta. repetir o exame, em resultados com menos de 25% de progressão rápida e linear.

6. Preservativos comuns não devem ser usados na coleta, pois podem interferir com a viabilidade dos espermatozóides. Em casos particulares, onde a masturbação não for possível preservativos especiais de silastico podem ser utilizados.

7. No caso da realização de uma avaliação microbiológica, o paciente deve primeiro urinar e depois fazer a assepsia das mãos e pênis antes de ejacular num frasco esterilizado.

8. Quando houver Dosagem de frutose no sêmen, o paciente deve fazer jejum alimentar de 12 horas.

EXAME FISICO:

 Tempo de Duração da Coagulação ou Tempo de Liquefação - TDC:

Procedimento: Pode ser feito imediatamente apos a ejaculação, colocando a amostra em uma estufa a 37ºC, e verificando em 5 em 5 minutos, cronometrando o tempo de liquefação. A O.M.S estabelece que o tempo de liquefação, deve ser observado em temperatura ambiente até 60 min apos a coleta do sêmem. Ocasionalmente, a amostra pode não liquefazer e nesse caso um tratamento adicional é necessário parta tornar a amostra analisável, portanto deve-se agitar a amostra em um vortéx, até se liquefazer.

 Volume:

Procedimento: Medir o Volume com proveta ou pipeta graduada.

 Aspecto:

Procedimento: O aspecto deve ser analisado após liquefação, por simples inspeção à temperatura ambiente, e sofre direta influencia da liquefação e coagulação.

 Viscosidade ou Consistência:

Procedimento: Pode ser estimada atraves de uma pipeta de 5 mL, deixando o sêmem pingar pela

 pH:

Procedimento: Medir o pH do sêmem, atraves de fita de pH.

EXAME MICROSCÓPICO:

 Grau de Motilidade ou Motilidade de 1ª hora:

Procedimento: Homogeneizar a amostra em temperatura ambiente (20ºC a 25ºC), colocando 10μl de sêmem, em uma lamina de vidro limpa e cobrir com uma lamínula de 22mm x 22mm. Fazer 2 laminas (fazer media entre as 2 laminas). Se o numero de espermatozóides por campo variarem consideravelmente, isso indica que a amostra não esta homogeneizada. Se o numero de espermatozóides for muito pequeno, devem-se centrifugar a amostra.

 Contagem dos Espermatozóides:

Procedimento: Fazer duas diluições em um tubo de hemólise, homogeneizar e preencher a Câmara de Newbauer, contando nas 4 quadrantes laterais da Câmara.

 Contagem Global de leucócitos e Hemácias:

Procedimento: O procedimento é o mesmo para contar leucocitose hemácias. Na diluição 1:20, conta-se as células nos 4 quadrantes laterais da Câmara, e multiplica o resultado por 50. O valor é expresso em mm3.

 Morfologia dos Espermatozóides Maduros:

Procedimento: Confeccionar um esfregaço fino(tipo hemograma), secar a temperatura ambiente e corar pela técnica de Leishmann, ou Papanicolau, ou May Grumwald. Observar em imersão, e contar 200 espermatozóides, sendo o resultado relatado em % de espermatozóides normais e espermatozóides anormais. A analise é multiparamétrica, cada defeito mesmo que presente em um mesmo espermatozóide deve ser computada separadamente.

RESUTADOS E DISCUSSÃO

EXAME FISICO:

 Tempo de Duração da Coagulação ou Tempo de Liquefação - TDC:

Amostra normal: Se liquefaz em até 60 minutos à temperatura ambiente.

A amostra de sêmen pode apresentar alterações na liquefação e coagulação.

Primaria: o sêmen é totalmente liquefeito imediatamente apos a ejaculação pela obstrução dos ductos ou agenesia das vesículas seminais.

Parcial: o sêmen é parcialmente liquefeito de imediato apos a ejaculação pela deficiência de espermolisinas.

Ausência de Coagulação: falta completa ou parcial de fatores de coagulação (vesículas seminais), baixos níveis de testosterona e dihidrotestosterona. Causa imobilidade dos espermatozóides.

Ausência de liquefação: baixas quantidades de substancias de liquefação. Formação de liquido espermático de viscosidade aumentada (aspecto heterogêneo), ou persistência do coagulo.

Causa imobilidade dos espermatozóides.

 Volume:

Valor Normal: 2,0 a 5,0 ml

Hipospermia: Volume menor que 2,0 ml

Hiperespermia: Volume maior que 5,0 ml

Aspermia: Ausência de ejaculação

 Aspecto:

Amostra Normal: Aparência homogênea, opaca .

Ausência de Coagulação: Aspecto homogêneo do esperma desde a sua emissão.

Ausência de Liquefação Secundaria: aspecto heterogêneo devido à ausência de espermolisinas e conseqüentemente persistência da fase de coagulo.

Aspecto heterogêneo por agregados protéicos de consistência firme e incolor: Períodos prolongados de abstinência sexual, diminuição dos níveis de testosterona, alterações nas concentrações de prostaglandinas, espermáticas, processos inflamatórios genitais, medicamentos.

 Cor:

Normal: Branco-opaco

Outras colorações:

Amarelado

Hemorrágico

Outras Tonalidades.

 Viscosidade ou Consistência:

Viscosidade Diminuída: A amostra se despende da pipeta em gotas.

Viscosidade Normal: A amostra se alongará em filetes com menos de 2 cms.

Viscosidade Aumentada: A amostra se alongará em filetes com mais de 2 cms de comprimento.

 pH:

Valor Normal: 7,2 a 8,0

pH acima de 8.0

pH Ácido: Menos que 7,2

EXAME MICROSCÓPICO:

 Grau de Motilidade ou Motilidade de 1ª hora

A Espermatozóides com motilidade rápida, linear e progressiva;

Espermatozóides com motilidade linear ou não linear, lenta;

Espermatozóides com motilidade não progressiva;

Espermatozóides imóveis.

Valor Normal:

o Acima de 50% de espermatozóides em a + b;

o Acima de 25% de espermatozóides em a.

Astenospermia: Abaixo de 50% das categorias a + b;

Astenospermia extrínseca: Devido ao aumento da viscosidade;

Astenospermia Intrínseca: Nível baixo ou ausente de frutose.

 Contagem dos Espermatozóides:

1:20 – 20μl de sêmem

0,4 ml do liquido diluidor.

Resultado da contagem multiplica por 50.000;

1:200 – 20μl de sêmem

4,0 ml do liquido diluidor

Resultado da contagem multiplica por 500.000;

Valor Normal: Acima de 20.000.000/mL

Oligozoospermia: Quando o numero de espermatozóides é menor que 20.000.000/ml.

 Contagem Global de leucócitos e Hemácias:

Valor Normal de Leucócitos: Até 1.000/ mm3

Valor Normal de Hemácias: Até 1.000/ mm3

Morfologia dos Espermatozóides Maduros

 Espermatozóides Normais: Quando a cabeça é oval, a peça e o flagelo normais e a acrossoma ocupa uma área entre 40% - 70% da região cefálica.

Cabeça: Cabeça oval, contendo 3 a 5µm de comprimento, 2 a 3µm de largura e menos de 1,5µm de espessura. Nota-se que praticamente dos terços da cabeça na sua porção anterior apresenta coloração levemente cianofílica e é denominada de acrossoma; o núcleo ocupa o terço posterior e apresenta coloração densamente basofilica com cromatina compactada.

Peça Intermediaria: 3 a 5µm de comprimento, 1µm de largura. A peça intermediaria é delgada, curta e retilínea, apresentando-se levemente basofílica.

Cauda: 50 a 60µm de comprimento. A cauda é um pouco menos delgada do que a peça intermediaria.

 Espermatozóides Anormais: Com defeito na formação e no tamanho da cabeça, defeito na peça intermediaria e com defeito da cauda.

Alterações na cabeça: Macrocéfalo, microcéfalo, cabeça piriforme, bicéfalo, acéfalo, tapering e cabeça com forma bizarras.

Alterações na peça intermediaria: espessada, ausente ou gota citoplasmática (restos citoplasmáticos)

Alterações na cauda: Curta, enrolada, espessa, ausência de cauda, bicaudal.

Valor Normal: Acima de 50% de espermatozóides normais.

BIBLIOGRAFIA CONSULTADA

1. O M.S; Manual de laboratório para o Exame do Semem Humano e Interpretação Esperma Muco Cervical; 3º ed. Santos, 1994.

2. PIVA. S; Espermograma, Análise e Técnicas. 6º ed. Santos, São Paulo, 1985.

3. ATRASINGER, S.K; Uroanálise e Fluidos Biológicos, ed. Panamericana, São Paulo, 1991