Trabalho Completo Ursula Buns

Ursula Buns

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Religião

Enviado por: kusho 02 maio 2013

Palavras: 636 | Páginas: 3

Fundamentação teórica

Função de estoque

De acordo com a Entrevistada, Luana da referida empresa, fazemos um controle de estoque do que entra e do que sai através do próprio sistema, porém o estoque físico não tem uma administração bem definida, mais ou menos o ultimo é o primeiro que sai.

Mas alguns autores como Slack (1997) define estoque como a cumulação armazenada de recursos materiais em um sistema de transformação. Algumas vezes o termo estoque também é usado para descrever qualquer recurso transformador de capital, como os quartos de um hotel ou os carros de uma empresa de aluguel de veículos, mas aqui não usaremos essa definição. Geralmente, o termo refere-se sòmente a recursos transformados. Assim, uma empresa de manufatura manterá estoques de materiais, um escritório de assessoria tributária manterá estoques de informações e um parque temático manterá estoques de consumidores. Note que, quando são consumidores que estão sendo processados, nos referimos a “estoques” deles como “filas”

Chiavenato (2005) também define estoque como a composição dos materiais que não são utilizados em determinado momento, mas que existe em função de futuras necessidades. Estocar significa guardar algo para utilização futura. Se essa utilização for muito remota no tempo, a sua guarda se torna prolongada; ocupa espaço alugado ou comprado, requer pessoal adicional, significa capital empatado, exige seguro contra incêndio ou roubo etc. Isso significa que ter estoque é ter despesas de estocagem. Se, contudo, essa utilização for imediata, pode não haver tempo suficiente para estocar, havendo risco de paralisação da empresa por qualquer atraso no fornecimento. Essas duas situações extremas, estoque demasiado e por longo tempo ou estoque insuficiente e atrasado são indesejáveis e devem ser evitadas. O desafio é conhecer o meio termo e aplicá-lo a todos os itens de estoque.

Já Robert Jacobs (2009) define como a qualidade de qualquer item ou recurso usado em uma organização. Um sistema de estoque é um conjunto de políticas e controles que monitoram os níveis de estoque e determinam quais níveis devem ser mantidos, quando os estoques devem ser abastecidos e como os pedidos grandes devem ser.

Pela convenção, o estoque de produção geralmente se refere aos itens que contribuem para a produção de produtos de uma empresa, o que dela fazem parte. Esse estoque é normalmente classificado em matéria prima, produtos acabados, peças componentes, suprimentos e estoque em processo. Nos serviços, o estoque geralmente se refere aos bens tangíveis a serem vendidos e aos suprimentos necessários para administrar o serviço.

O objetivo básico da análise do estoque na produção e nos serviços de manutenção do estoque é especificar (1) quando os itens devem ser solicitados e (2) o tamanho do pedido. Muitas empresas procuram fazer acordos de longo prazo para atender às suas necessidades possivelmente anuais. Essa situação muda de “quando” e “quando solicitar” para “quando” e “quanto empregar”.

Modelo(s) de planejamento existente(s)

De acordo com Jacobs, 1- modelos de estoques são excessos de reservas nos voos aéreos é comum clientes cancelarem as reservas de voos por vários motivos. O custo de subestimar o numero de cancelamentos é a receita perdidas por causa de acentos vazios em um voo. O custo da superestimativa dos cancelamentos são os prêmios/desembolso, como viagem grátis ou pagamentos em dinheiro, ofertados aos clientes que não conseguiram embarcar.

2- Fazer pedidos de itens da moda. Um problema para o varejista de vende itens da moda é que geralmente apenas um pedido poderá ser feito para toda a temporada. Isso geralmente é causado pelo longo lead times e pelas vidas limitadas das mercadorias. O custo de subestimar a demanda se reflete em lucro perdido por causa das vendas não realizadas. O custo de superesti